http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Extras de Loren Blake

Oi gente, aqui têm uma parte do penultimo capitolo desta história que se crusa com a que tão bem conhecemos aproveitem :)

Parte 5
Neferet ia fazer um ritual para lançar um sortilégio protector e utilizaria as amigas da Zoey para representares os elementos. E eu só pensava em vê-la outra vez. Quando percebi com quem ela estava de mãos dadas, um instinto possessivo e guerreiro apoderou-se dos meus sentidos. A minha vontade era enfiar um soco no focinho do tal Erik. Respirei fundo para me acalmar e aproximei-me.
- E...como estás hoje, Zoey? – Apanhei-a desprevenida e deu um pulo de susto.
- Estou bem. Obrigada. – respondeu, recompondo-se
- Dormiste bem ontem à noite? Fiquei a pensar se tinhas chegado bem depois dete deixar à porta do dormitório.
Olhei para Erik a tentar sorrir, mas saiu esquisito. – a Zoey passou por um choque e tanto ontem.
- Sim, eu sei. – disse Erik.
Uma tensão evidente entre nós. O rapaz é esperto, percebeu o meu interesse por ela, o que não sabe é que sou muito mais experiente e nunca perdi uma rapariga. Principalmente esta, eu não podia perder!
- Por que parámos aqui? O sangue e tudo o resto não..... – disse ela sem continuar.
- Não, não te preocupes. A Neferet mandou limpar. – a preparar-me para afagar o seu rosto, mas no meio do caminho interrompi, apercebendo-me do erro que estava prestes a cometer. Epa! Foi por pouco!
Neferet fez o ritual magnificamente, tão altiva, tão encantadora. Como alguém poderia supor que ela era do mal. Eu sabia. O ritual acabou. Nem senti a passagem do tempo a pensar em Neferet, Zoey, Nyx e as suas ramificações. Só despertei quando ouvi a minha deixa para declamar o poema.
Estava empolgado para assistir ao ritual no centro de recreações, o ritual que Zoey ia presidir. Ao chegar lá encontrei no círculo junta com o resto das filhas das trevas, Afrodite. A sala de recreação estava em modo exclamação, um zumzum orrivel.
- É melhor começar rápido antes que tenhas de enfrentar um motim.
Ela sorriu de forma encantadora e tremendamente sexy. Uma parte de mim que não deveria ter notado, principalmente à frente de tanta gente, fez um sinal de alerta.
- Ela devia mesmo estar aqui? – perguntei.
- Lamentavelmente, sim.
- Que interessante.
- Esta sou eu e assim é a minha vida: interessante. No sentido de bizarra e sinistra. Comigo isto acontece a toda a hora. Estou pronta. – disse Zoey
- Vou ligar a música. Vais dançando até ao meio enquanto eu recito o poema.
Ri-me.
Está na cara que o que Neferet descobriu era que elas eram amigas. Será que ela sabia que Neferet era do mal? Será que Afrodite também sabe e por isso a Neferet tem tanto medo que elas se tornarem amigas? Deusa cuida dela. Enfrentar Neferet é algo que ninguém quer. Ela é tão poderosa. Será que ela a enfrentaria... Pelo pouco que eu a conheço, sim ela enfrentaria. Ela é corajosa, destemida e luta pelo fraco é responsável e simples.
Tem tantas qualidades o meu amor. E faz o meu coração parar de todas vezes que me olha nos olhos.
Se a Neferet era encantadora, Zoey era três vezes mais. Ela simplesmente desapareceu enquanto se movia no ritmo da musica e da poesia. Quando chegou até o meio dispersou a névoa, mas continuou a personificar a noite. O cheiro e as sensações eram daquelas noites frescas e úmidas de Verão. A magia da Deusa exalava do seus poros.
Encantadora e poderosa. Cada elemento que ela invocava deixava todos à nora, mas felizes, aos poucos ia libertando as pessoas do stress, do medo, do sofrimento e ficava só a tranquilidade e a proteção da nossa Deusa. Então, a bomba era que tinha sido concedido a Afrodite o dom da Terra. Mais uma prova de que Nyx estava do lado daquelas raparigas. Então a Zoey cortou tudo o que toda a gente estava a pensar com a voz autoritária de uma Deusa. Então continuou a chamar os elementos, eparecia mesmo uma poetisa completamente hábil.
Terminou o ritual e Erik curvou-se, com dores, sentindo a sua Mudança para vampyro adulto.
Os meus olhos não saíram da Zoey e do seu desespero.
Vi o seu desespero. Ela pensava que Erik estava a rejeitar a mudança.
Vi o seu meio alívio quando Afrodite contou que ele não estava a morrer.
Vi como ela não sentiu um alívio completo com as suas palavras. Vi a tristeza nos seus olhos, bem escondido, onde só algué que prestace muita atenção se apercebiria. Fiquei do lado de fora do centro de recreação à espera dela para ver se estava tudo bem. Se ainda estava triste. Mas ela não saiu. As pessoas comeram e saíram, todas menos ela. Esperei mais um pouco e nada. Então resolvi entrar e vi que ela estava a chorar e a tremer sem parar.


Que Nyx vos acompanhe :)

Passatempo Frase da Semana: Indomável

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Como não tivemos qualquer participação no passatempo Frase da Semana esta semana iremos estendê-lo até hoje às 23h59h. Se ninguem participar não teremos concurso esta semana. Se só houver uma participação, será essa a vencedora.

Para ver como participar vão aqui.

Que Nyx vos abençoe!

Passatempo Frase da Semana: Indomável - Aberto!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

Informações:

  1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
  2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
  3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
  4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.

Datas:

A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

Prémio:

O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

Importante:

Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 29 de Abril, e a frase deve ser sobre o livro Indomável
As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


Que Nyx vos abençoe!

Actualização PC's Blog

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!



A PC publicou no seu blog o site onde poderão ler o artigo sobre ela e a sua filha do Oklahoma Magazine. O link é:  http://www.okmag.com/.

Fonte: PC's Blog

Benditos sejam!

Fanfic: Sangue Cruzado - Capitulo 7



CAPÍTULO SETE
Ouvi umas impertinentes batidas na porta do quarto. Embrenhei-me mais nos lençóis e tentei encerrar a minha audição mas sem sucesso. Levantei-me posteriormente e encarei-a. Continuava a ouvir aquele som irritante, mas mesmo assim, abri a porta para ver quem tinha ousado acordar-me ainda por cima a meio da manhã. Era Fred. Vinha vestido de uma forma pouco normal para um rapaz, mas isso também não parecia importar-lhe. Envergava calças de ganga azuis com uma ligeira dobra nas pontas, uma camisola branca sem qualquer padrão anexado e umas sapatilhas pretas.
Mas o seu sorriso foi o mais chamativo de tudo. Olhava para mim de uma maneira simples, mas estranha. O seu cabelo loiro já não estava tão amarrotado como ontem, mas sim liso recém-penteado. Contudo, os seus olhos vermelhos ainda me punham assustada e quase ao ponto de me deixar totalmente dominada pelo medo. Algo que não quis, não queria e que não irei demonstrar. Ergui-me perante ele, ainda a desviar-me um pouco para a esquerda devido ao sono.
- O que é que estás aqui a fazer? – Perguntei, enquanto esfregava os olhos irritados por não terem o descanso que lhes faltava.
- Vim ver se querias ir dar uma volta pela cidade. Dar uma vista de olhos ou assim. – Respondeu de forma agradavelmente educada.
Ok. Isto não me estava mesmo a acontecer. Eu a dormir sossegada e este vem logo com uma de dar uma volta? Não era costume estar muito tempo acordada durante a manhã e muito menos à tarde. Os vampyros da minha raça estão mais acostumados a andar em liberdade à noite. Não que a luz do sol nos fizesse algum mal ou coisa do género, mas estávamos mais acostumados à noite do que ao dia em si. Por isso ainda me sentia cansada.
- Não posso. Ainda quero dormir e tu vais sair daqui e não me chateares por umas boas horas. – Respondi revoltada, só pelo facto de me ter acordado.
- Pronto, percebi. – Disse, enquanto se preparava para sair. – Depois falamos então. Bons sonhos, Scarlett.
Fechei a porta e reencaminhei-me de novo para a cama, enquanto ouvia passos ligeiros a afastarem-se cada vez mais do meu quarto. Finalmente silêncio. Estendi-me sobre o colchão, puxando os lençóis para junto do meu corpo. Mais uma vez, o sono consumiu o meu cansaço e levou-me para o seu dorso, aconchegando-me com as suas imagens carenciadas. Algo que não pude deixar de pensar foi no facto de ter sido um pouco fria para com Fred. Mas ele não me devia ter acordado batendo repetidamente na porta. Mais tarde, tinha que lhe pedir as mais sinceras desculpas.
O meu corpo viu-se emaranhado numa tensão que não nunca havia sentido antes. Cada parte de mim arqueava de dor e aquilo parecia nunca cessar. Tinha medo. Acho que estava prestes a mudar-me. Ou a rejeitar-me. Já nem sabia bem, mas a dor era insuportável. Caí da cama a ofegar mas não parou. Comecei a contorcer-me toda no chão, rogando à Deusa para que fizesse aquilo tudo parar. Ainda mal havia sido marcada e já estava a acontecer-me aquilo tudo. Não era justo. Não era. Suores frios percorreram-me o pescoço. Entretanto, a minha visão começava a distorcer-se. A enfraquecer cada vez mais. E, por fim, fechei os olhos. Já não sentia nada.
Tudo aquilo que havia feito de nada servira. Todo o cuidado que tivera não tinha servido para nada perante aquela situação. Por momentos, pressenti que ia morrer e juntar-me aos meus antepassados. Mas ainda me sentia bem firme à terra. Tentei abrir os olhos com a esperança de ver, mas nada. Estava fraca. Ficara gravemente doente por uma estupidez minha e por não ter ido para uma Casa da Noite. Pelos livros que havia lido, não podia estar muito longe duma ou de um vampyro adulto. Por alguma razão, a imagem de Fred viera-me à cabeça. Ele era um vampiro, embora fosse diferente da única espécie de que me deram conhecimento.
Será que podia estar a seu lado sem que ele próprio me fizesse mal? Era misterioso. Não revelara grande coisa do seu passado nem nada sobre a sua transformação. Poderia ter sido demasiado doloroso para se poder recordar ou tentara reprimir as suas emoções a ponto de fechar a cadeado todas as suas memórias anteriores. Não sabia de nada. Só tinha incertezas. À medida que já começava de novo a respirar com mais alívio, fui-me levantado enquanto me segurava à ponta da cama com as mãos. As minhas pernas tremiam e quase não me conseguia erguer. Dentei-me de novo por cima do colchão, sem trazer o único conforto que tinha enquanto dormia.
Por pouco, não começava a rejeitar a mudança. Tenho que arranjar uma solução. Tinha que haver uma simples sem ter de recorrer a uma Casa da Noite. Mas todas as hipóteses que eu tinha estavam prestes a esfumar-se. Eu não queria morrer. Não agora que tinha estabelecido naquela cidade encantadora. Não agora que sabia que havia mais do que uma espécie de vampiros a viver entre os humanos. Não agora que achava que gostava repentinamente de Fred, por mais que fossem claras as evidências.
Marcada apenas há uns dias, viver para Vancouver, encontrar um vampiro, rejeitá-lo e só depois quando estou a meio de um sofrimento é que penso que posso gostar dele parecia-me um bocado egoísta da minha parte. Maldito destino que me fez esta tramóia. Realmente, eu estava alterada. Já não era a mesma de antes. Mudara para algo diferente, algo que já não era eu. Já não me sentia humana, embora ainda o parecesse. Ainda não havia passado ou rejeitado a mudança, mas cada vez mais me sentia outra pessoa. Era uma nova e diferente Scarlett Parker, com a possibilidade de se tornar uma vampyra adulta ou morrer nos braços da sua Deusa.

Extras de Loren Blake

Aqui está o final da 4ª parte, espero que gostem :)

Parte 4.3

É óbvio que a Neferet apareceria esta noite. Eu já não sentia o prazer que sentia quando estava na sua companhia.
- Sabia que me virias contar os acontecimentos.
- Como estão as coisas?Os Filhos de Erebus estarão aqui o quanto antes. E... conseguiste alguma coisa daquela insuportável?
- Bom, Zoey e Aphrodite não são amigas, foi só uma boleia que ela deu. Isso não te parece suspeito? Na verdade parece mentira. A princípio eu também não acreditei, então pressionei-a um pouco, mas ela pareceu-me sincera.
- O quê? – disse Neferet.
- Eu não disse nada. – disse-lhe e ela abriu um enorme sorriso.
- Tenho um encontro, com licença.
Fiquei com uma curiosidade que até pingava dos ouvidos, o que será que estava a acontecer? Onde seria esse encontro?
Resolvi segui-la.
Quem sabe eu não conseguia alguma informação importante que poderia ser utilizada num futuro próximo.
Ela foi para o seu quarto, mas esqueceu-se de trancar a porta e eu entrei sem fazer o menor barulho. Fiquei abismado com o que vi. Uma das paredes era falsa. Encostou-se à moldura de um quadro e a parede girou como as de banco. Pregado à parede havia um altar, mas não era um altar para Nyx, este tinha uma imagem de um anjo branco com asas negras. Ela acendeu uma vela e começou a conversar. Eu não ouvia ninguém do ouro lado, mas ela respondia a alguém, isso era certo. Será que o anjo falava com ela? Então percebeu-se da minha presença, como se o anjo a tivesse avisado. Senti um calafrio a percorrer-me a espinha.
- Caralho! O que raio é que estás a fazer aqui? – disse Neferet.
- Esqueci-me de te contar uma coisa e a porta estava aberta então entrei. – disse. A tentar pensar no que falaria com ela.
- Espero que seja importante. Porque estou muito ocupada.
- Estou a ver. Desculpa. Quem é esse anjo branco? Se eu puder perguntar.
- É Erebus o consorte de nossa Deusa, ela pediu-me para que eu lhe construísse um altar. Mas isso não é da tua conta. Diz rápido o motivo da tua vinda aqui e depois sai.
- Bom, parece que a Zoey tem uma impressão muito forte com o seu ex-namorado humano. Achei que isso era importante já que demonstra a força que ela tem mesmo sendo uma caloura.
- És um incompetente, isso sim. Essa informação eu já tinha à muito tempo. Mas podes me ajudar de uma maneira espetacular.
Chegou-se a mim roçando os seus seios no meu peito e passando a mão pelas minhas partes duras, mas isso já não me atraía mais. Fingi que reagia ao seu toque para que não percebesse.
- O que precisar, Sumo-Sacerdotisa.
- Não quero que esperes mais. Quero que acabes com a virgindade daquela rapariga e faças com que ela confie completamente em ti. Eu quero que ela fique sozinha sem nenhum amigo por perto. Quero-a sozinha entendeste?. Não temos muito tempo, tem que ser rápido. Podes fazer isso rápido por mim. – ela enfiou a mão dentro das minhas calças e eu tremi.
- Já tens provas que ela esta contra ti? Contra Nyx? Como é que conseguiste?
- Como eu consegui não interessa. E tu tens que decidir o teu lado, agora que uma luta muito importante está para começar. Estás do meu lado, que é o mesmo que Nyx, ou do lado deles?
- É claro que estou do teu lado, querida – arquivando as minhas dúvidas para pensar depois. O meu amor por Zoey estava a levar-me para o lado errado? Deveria escutar o meu coração ou a minha mente?
- Então vai e faz o que eu pedi. Lembra-te que tem que ser rápido. – disse ela e mesmo antes de eu sair, já estava virada para o anjo branco, outra vez a conversar, a responder e a perguntar. De alguma forma eu não conseguia assimilar o que falavam. Será magia?
A minha cabeça nunca esteve tão confusa, sempre acreditei tanto em Neferet, será que ela estava a virar as costas a Nyx? Eu não conseguia acreditar nisso. Sem perceber, as minhas pernas levaram-me para a estátua de Nyx. Ajoelhei-me, fechei os olhos e rezei: - Nyx, minha Deusa. Eu só quero seguir a sua vontade e agora estou confuso, já não sei o que é certo e o que é errado. Sempre pensei que se deveria confiar numa Sumo-Sacerdotisa porque ela foi escolhida por si para cuidar do nosso povo. O que acontece? Queria tanto que me pudesse responder.
Nyx apareceu em frente à estátua. Envolta numa luz forte, mas ao mesmo tempo apaziguadora tranquila.
- Querido filho, pensei que talvez pudesses ajudar a minha filha a ver o lado do bem, mas tu também não conseguiste. Preciso que estejas do lado da Zoey. Ela está do lado do bem. Ela precisa muito da tua ajuda. Neferet e o sue anjo caído não podem matá-la. Lembra-te, só ela pode salvar o mundo deste mal. Ajude-a. Amo-te meu filho.
- Mas como devo faze-lo, explique-me como.
Ela já tinha desaparecido. E o perfume de flores abertas na primavera e o cheiro salgado do mar foram-se desvanecendo. A Deusa tinha falado comigo e dito que me amava. Então o que eu sentia pela Zoey não era proibido. Eu tinha o consentimento da Deusa.
Não me ocorreu que se eu trocasse o meu sangue com ela e conseguisse uma Impressão eu conseguiria sentir quando ela estivesse em perigo e então poder salvá-la.
Então seria isso que eu iria fazer. Além de ficar de olho na Neferet a toda a hora.


Que Nyx vos acompanhe :)

Fanarte: Livro


* Por Thalles Marques

Curiosidades no Manual do Novato


"Ritual de iniciação das Filhas das Trevas.
Rituais são o coração da sociedade vampirica.
Dentro das páginas do Manual vais encontrar muitos rituais sagrados usados na Casa da Noite!"

Fonte: Site Oficial House Of Night

Parabéns à Beatriz!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Hoje temos mais um aniversário. A nossa querida Beatriz Barreiros, de Seixal, faz hoje 14 aninhos!!!

Parabéns à Beatriz de toda a equipa do blogue Casa da Noite Portugal!!!


Que Nyx te abençoe!

Actualização PC's Blog

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!





A nossa querida escritora actualizou uma vez mais o seu blog desta vez com o link do vídeo que fez sobre o livro Burned.


Fonte: PC's Blog

Benditos sejam!

Parabéns à Catarina!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Hoje temos mais um aniversário. A nossa querida Catarina Macedo, de Covilhã, faz hoje 15 aninhos!!!

Parabéns à Catarina de toda a equipa do blogue Casa da Noite Portugal!!!


Que Nyx te abençoe!

Fanfic: The Girl With The Red Rose - Capitulo 11

Capitulo 11

(uma semana depois)

Estava a divertir-me imenso com o meu novo dom, não só pelo facto de conseguir usá-lo para meu divertimento como também me fazia esquecer um pouco o facto de conseguir ver iniciados mortos.
As aulas começaram a ficar mais animadas com o meu novo dom. Mas depois da minha Sumo-Sacerdotisa, ter descoberto através dos pensamentos dos meus amigos que conseguia controlar as emoções das pessoas, proibiu-me expressamente que eu a usa-se em professores. Estive cerca de três horas a ouvir um sermão pelo facto de não lhe ter contado do meu dom. Mas apesar disso, algo me dizia para não lhe contar do meu dom de comunicar com os iniciados mortos.
-Mariana promete que não irás usar o dom para fazeres disparates. Se Nyx te concedeu tal poder terás de ser responsável.
-Prometo.
Apesar da minha promessa às vezes fazia batota. Acho que Nyx não irá ficar chateada se o usar algumas vezes para me distrair até porque o facto de ver iniciados mortos conseguia irritar-me.
Estava na aula de teatro quando o professor Pedro nos mandou formar pares. Como Joka estava a faltar eu não tinha par e olhei em redor da sala para ver se mais alguém não tinha par. Vi no canto da sala uma rapariga que estava sozinha. Cheguei-me perto dela e observei-a por breves momentos. Era baixa de cabelo encaracolado e uma franja que quase lhe tapava os olhos.
Fiquei imóvel ao lado dela à espera.
-Mariana já tem par? – o professor aproximou-se de mim e olhou ligeiramente para baixo. Ele era mesmo lindo…
-Sim professor. – fiz sinal para a rapariga que se encontrava ao meu lado. O professor franziu ligeiramente, o sobrolho e ficou a olhar para mim com um ar muito sério. Os meus colegas começaram-se todos a rir de mim. O que teria eu feito de errado?
- Menina Mariana está a brincar comigo?
-De modo algum professor. – todos se riam de mim.
- Deixe-a fazer o exercício com a vassoura professora, sempre é melhor que nada. – um rapaz com o cabelo ruivo encaracolado ria e gozava comigo. Fantástico! Estava-se mesmo a ver. Todos pensavam que eu era uma doida varrida. Mas porque raios, estava ali aquela iniciada morta? Eu sabia que este dom de ver os mortos me iria prejudicar.
O professor deve ter reparado que eu estava meia atordoada e dispensou-me da aula. Dirigi-me até à porta para sair, enquanto passava o corredor os outros iniciados iam cochichando e rindo, provavelmente seria da figura triste que eu acabara de fazer. Tentei ao máximo conter as lágrimas, eles não iriam levar a melhor. Ergui a cabeça e virei-me uma última vez antes de sair. Mas já nenhum deles se estava a rir, estavam com caras muito sérias e angustiadas. Fi-los sentir tudo que me fizeram sentir. Fi-los sentir a minha angústia, tristeza até mesmo raiva. Levei a mão á testa onde permanecia a minha marca tão diferente das outras.
Porque raio me estava Nyx a fazer passar por isto? Sempre que pensava nisto, algo me dizia que isto seria só o começo…
Precisava de falar urgentemente com alguém, precisava de desabafar com alguém. Fui até ao pátio e sentei-me por baixo da árvore onde encontrei Margarida pela primeira vez. Encostei a cabeça ao tronco e fechei os olhos, talves se os fechasse com a força suficiente tudo voltaria a ser como era, tentei afastar todas as energias negativas que estavam dentro de mim mas em vão. Infelizmente o meu dom, de controlar as emoções das pessoas não resultava com as minhas próprias. Chorei tanto que acabei por adormecer.

Passatempo Frase da Semana: Indomável - Aberto!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

Informações:

  1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
  2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
  3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
  4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.

Datas:

A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

Prémio:

O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

Importante:

Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 29 de Abril, e a frase deve ser sobre o livro Indomável
As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


Que Nyx vos abençoe!

Passatempo Frase da Semana: Escolhida - Resultados!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Já sairam os resultados do passatempo Frase da Semana, aqui vão elas:
  1. Todos sabemos que as vampes trintonas ainda parecem ter vinte anos e continuam todas boas. Aliás, vampes com cento e trinta anos ainda parecem ter vinte anos e continuam todas boas. Portanto, mentires sobre a idade não está com nada. - Damien Maslin - 5 (17%) - Eduarda Lopes
  2. Se a Z te deixar pela Madame Damien, estaremos aqui para te ajudar a lidar com a mágoa - Shaunee - 4 (13%) - Ana Sousa
  3. Ser Escolhida pela nossa Deusa, é tanto um sofrimento quanto um privilégio. - Zoey Redbird - 20 (68%) - Rita Figueiredo
Parabéns à Rita Figueiredo!!!


Que Nyx vos abençoe!

Feliz Páscoa!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

A Casa da Noite Portugal vem por este meio desejar-vos uma Feliz Páscoa, com muitos doces e muitas felicidades! Tenham um grande dia!!!!

Que Nyx vos abençoe!

Passatempo Frase da Semana: Escolhida - Votação

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Já está em votação, até as 20 horas de hoje, as frases para o passatempo Frase da Semana.

As frases são as seguintes:
  1. Todos sabemos que as vampes trintonas ainda parecem ter vinte anos e continuam todas boas. Aliás, vampes com cento e trinta anos ainda parecem ter vinte anos e continuam todas boas. Portanto, mentires sobre a idade não está com nada. - Damien Maslin
  2. Se a Z te deixar pela Madame Damien, estaremos aqui para te ajudar a lidar com a mágoa - Shaunee
  3. Ser Escolhida pela nossa Deusa, é tanto um sofrimento quanto um privilégio. - Zoey Redbird
    Não vou dizer os nomes das participantes para não haver influencias. Votem na melhor frase. No dia de anunciar o/a vencedor/a direi o nome do/a mesmo/a.

    Importante:
    • Não votem por comentário, esses votos não contam. Vão à área das sondagens, do lado esquerdo do monitor, para votar.
    • Os resultados sairão até à meia noite de amanhã.
    Que Nyx vos abençoe!

    Fanzone: Stevie Rae


    Vivian Orgulho

    Passatempo Frase da Semana: Escolhida

    Olá Filhos e Filhas das Trevas!

    Como não tivemos qualquer participação no passatempo Frase da Semana esta semana iremos estendê-lo até hoje às 23h59h. Se ninguem participar não teremos concurso esta semana. Se só houver uma participação, será essa a vencedora.

    Para ver como participar vão aqui.

    Que Nyx vos abençoe!

    Jogo HoN

    Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

    No seguimento do post anterior sobre o fórum em que poderiam criar a vossa própria personagem HoN, AngeelDarknezz comentou e deixou outra sugestão de um fórum português que serve para o mesmo efeito.


    Obrigada AngeelDarknezz*

    Benditos sejam!

    Passatempo Frase da Semana: Escolhida - Aberto!

    Olá Filhos e Filhas das Trevas!

    O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

    Informações:

    1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
    2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
    3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
    4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.

    Datas:

    A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

    Prémio:

    O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

    Importante:

    Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 22 de Abril, e a frase deve ser sobre o livro Escolhida
    As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


    Que Nyx vos abençoe!

    Fanfic: Sangue Cruzado - Capitulo 6



    CAPÍTULO SEIS
    Naquele preciso momento, já não sabia onde estava. Não estava no motel nem mesmo em Vancouver. Estava perdida no meio do desconhecido, sem saber por onde andar ou ver que caminho tomar para minha própria segurança. O que apenas via era um prado. Um prado revestido de campos verdes, denotando as pequenas e delicadas flores contidas no seio da terra por ali espalhadas. Ao fundo, via-se um grande carvalho, onde as folhas caíam lentamente sobre as leves brisas do vento deixando-se levar pela corrente do seu destino.
    Caminhei passo ante passo, dirigindo-me até ele. Observei uma figura em movimento a ocultar-se na sua sombra. O sol não rompia a protecção que as folhas providenciavam ao tronco do carvalho, apenas delineava pequenos raios de luz incidentes na frescura da terra. Os espinhos que haviam por entre a relva eram de algum modo diferentes. Não magoavam nem rasgavam a pele cobrindo tudo de um sangue vivo por onde quer que passasse. Estava confusa. Aquele sítio não me parecia real nem com nada que já houvesse encontrado na minha outra vida.
    Porém nada reconhecia, ao mesmo que uma sensação de familiaridade me fazia contorcer de perguntas incessantes sem respostas concretas. Custava a crer que havia chegado a um nível de consenso fora do normal. Acho que quer para iniciados quer para vampiros como os da espécie de Fred, tudo resultava por ser o mesmo para cada uma das partes. Apesar de diferentes, todos tinham o mesmo objectivo: cruzar a linha da mudança e chegar a ser vampiros completos. O sangue era a única coisa pela qual eles matavam e saciavam, enquanto para a nossa espécie de vampyros o sangue dava-nos aquela sensação anormal de prazer inexplicável. Volto a dizer, coisa esquisita.
    Parei por momentos e contentei a beleza interior do carvalho, enquanto a figura que se escondia por detrás dele saía do seu esconderijo e se dirigia na minha direcção. Com um sorriso nos lábios e com a ajuda do sol a incidir na sua pele clara, pude ver a face que se oculta por detrás das sombras. Era o Fred. Ele brilhava perante o sol, algo que não pude deixar de reparar por vários minutos. A sua cara parecia repleta de diamantes ofuscantes e os seus olhos continuavam mergulhados no seu vermelho-vivo. Não obstante, ainda residiam marcas de uma beleza puramente encantadora.
    Chegou a estar cerca de cinco centímetros, mesmo antes de se afastar um pouco para me poder olhar passivamente. A sua mão brilhante chegou à minha cara e ergueu-a lentamente, até o poder olhar nos olhos. Eram assustadores devido à sua cor, mas pareciam necessitar algo. Pareciam que estavam à procura de algo que os preenchesse. A princípio, pensei que precisariam de sangue ou algo assim. Mas estava enganada. Os seus lábios abriram-se num sorriso ainda mais aberto que o anterior, o que me fazia inexplicavelmente bater o coração, algo que nunca presenciara com ninguém.
    Não falamos. Apenas não quis dar a primeira iniciativa devido ao medo de estar assim tão íntima perante ele. Aproximou a sua face lentamente da minha e semeou os seus lábios nos meus, fazendo correr nas minhas veias um sentimento que não sabia que existia. Sentia calor a transbordar naquele gesto de carinho por parte dele. Sentia que era ali que eu queria estar. Ao seu lado, reconfortada nos seus braços. Mas não. Aquilo não era real. Era apenas uma partida que o destino me queria pregar. Não que negasse tudo aquilo que estava a acontecer, mas aquilo não era a realidade original.
    Acordei poucos segundos depois embrenhada nos lençóis brancos da minha cama, a olhar para cada canto do quarto a ver se estava tudo bem. Tudo no sítio, tudo normal. Supus que aquilo tudo que se passara era um simples sonho adverso dos acontecimentos narrados pelo próprio tempo que me entregava a posse do meu destino. Mas não o queria assim estendido de bandeja. Queria apenas que ele decorresse conforme mandasse a natureza. Não iria contra os meus princípios. Apenas ficaria mais descansada se repousasse um pouco.
    E assim o fiz. Estendi os braços para o lado e revirei-me para o outro lado, relaxando cada parte de mim a maciez da cama. O sono estava a dificultar-me os pensamentos, mas talvez até melhor assim. Descansar a mente e deixar-me submeter ao sono que me atacava sem piedade. De novo, fechei os olhos. Mas nada mais aconteceu. Nenhum sonho esquisito se relançou sobre mim nem nenhuma visão anormal do mundo real. Mas algo que nunca queria que acontecesse era ir para uma Casa da Noite. Não me encaixaria naquele novo mundo.
    Necessitava ainda do meu, por motivos que ainda irei descobrir um dia. Talvez fosse hoje, talvez amanhã. O que importava era que eu iria descobrir a razão pela qual continuava a residir aqui neste sítio repleto de humanos insignificante e definitivamente ignorantes demais para o meu gosto. O silêncio permanecia residente em todo o quarto, apesar de ouvir apenas o vento a soprar contra as rígidas plantas do lado de fora do motel. Tinha de parar de insistir naquilo tudo. Tantas inquietações, tantas afirmações e interrogações já estavam a cansar-me ainda mais do que o normal.
    Queria apenas um pouco de paz interior e de um sono relaxante. Havia coisas que ainda não estavam esclarecidas entre mim e o Fred, apesar de só o ter conhecido há pouquíssimas horas. Acharia as minhas respostas quando o confrontasse? Não fazia diferença para mim, neste momento. Dormir era a única opção e a única hipótese de esquecer aquilo tudo. Aprofundei ainda mais a sensatez do sono e deixei-me levar pelas suas réstias, ainda com os nervos em franja. Quando finalmente já dera por mim, estava a dormir. Sem preocupações, sem nada que me incomodasse ou ralasse. Por fim sossegada e descansada.

    Fanarte dos personagens


    Por *Inuyashazgurl4lifez

    Passatempo Frase da Semana: Escolhida - Aberto!

    Olá Filhos e Filhas das Trevas!

    O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

    Informações:

    1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
    2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
    3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
    4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.

    Datas:

    A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

    Prémio:

    O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

    Importante:

    Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 22 de Abril, e a frase deve ser sobre o livro Escolhida
    As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


    Que Nyx vos abençoe!

    Parabéns à Carolina Martins!

    Olá Filhos e Filhas das Trevas!

    Hoje temos mais um aniversário. A nossa querida Carolina Martins, de Lisboa, faz hoje 16 aninhos!!!

    Parabéns à Carolina de toda a equipa do blogue Casa da Noite Portugal!!!


    Que Nyx te abençoe!

    Jogo Hon

    Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!



    Estava a "cuscar" no site House of Night Br quando vejo um post sobre um jogo sobre a nossa saga criado por fãs. A seguir deixo algumas das indicações que lá estavam, mas ainda não me inscrevi no jogo por tal quem já se tiver inscrito poderá enviar para o email jwalter2412@gmail.com mais informações e/ou experiências.

    É um fórum RPG onde a criatividade é valorizada, mas toda a gente pode participar. Neste jogo criam-se interacções entre personagens do mundo HoN. É o jogador que através de textos descreve a sua personagem e cria a sua vida, amizades, namoros, intrigas,... O site também conta com um chat onde poderão falar sobre a saga...

    Aqui fica o link do fórum: http://houseofnightrpg.ativoforum.com/

    Acho que e uma boa ideia e hei-de lá ir... Quem tiver interessado depois diga o que achou para o email em cima enunciado.

    Benditos sejam!

    Fanfic: The Girl With The Red Rose - Capitulo 10

    Capitulo 10

    Depois do que aconteceu com Margarida não aguentei e fui deitar-me. Não conseguia pensar no que iria ou deveria fazer. O que será certo e o que será errado? Fui deitar-me e tentei dormir. Rezei a Nyx pedindo-lhe ajuda.
    Não estava a conseguir assimilar tudo o que se estava a passar comigo. Teria de perceber para que serviam os meus poderes. Como podia ser útil o facto de falar com mortos e sentir as emoções das outras pessoas?
    Estava com uma dor de cabeça horrível quando finalmente consegui entrar no mundo dos sonhos.
    Não me lembro do que sonhei só sei que quando voltei a acordar olhei para o relógio e vi que conseguira descansar 2 horas o que já não fora nada mau, dadas as circunstancias. Decidi ir lá para baixo ver o que os meus amigos estavam a fazer, pois não estava com vontade nenhuma de passar o fim-de-semana todo fechada no quarto. Desci as escadas até ao salão onde estavam Joka e Tekas sentadas a ver um filme. Quando me aproximei vi que estava um rapaz que não conhecia sentado ao lado de Joka.
    -Então Mariana? Já dormiste tudo o que tinhas a dormir?
    -Acho que sim, pelo menos já estou mais descansada. Não vais apresentar-me o teu amigo Joka?
    -Ah, sim este é o Angel, é o companheiro de quarto do David. –Joka vez um gesto na direcção do rapaz.
    -Olá.
    -Olá. Sou a Mariana.
    -Falando em David, não tens nada para nos contar Mariana? – Joka e Tekas riram-se. Comecei a corar, e sem lhes dizer mais nada sentei-me no sofá ao lado do delas.
    -Não há nada para dizer.
    -Namoram? - perguntaram-me enquanto se riam de uma maneira quase histérica uma para a outra.
    -Não sei, tive que me ir embora porque a Margarida não estava bem. – não disse mais nada no que dizia respeito à Margarida e ao meu dom pois Angel estava presente. Permanecemos todos sentados a ver o filme, muito sinceramente não estava a prestar atenção nenhuma ao filme, nem sabia do que se tratava. Estava a pensar no meu suposto dom de sentir as emoções dos outros. Olhei para Joka, e concentrei-me nela. Já que não tinha mais nada que fazer podia pelo menos tentar explorar o meu dom. Concentrei-me na minha amiga. Não precisei de me esforçar muito, passado alguns segundo senti novamente uma corrente eléctrica, parecia que estabelecia uma ligação com ela. Consegui sentir nervosismo e …
    -Há há há – não consegui conter-me e comecei a rir-me. Agora o facto de ter um Dom até me agradava. Nem acredito nisto. A minha amiga Joka estava apaixonada por Angel.
    -Mariana do que te estas a rir? – deviam achar-me uma completa tolinha por me estar a rir sozinha.
    -Descobri o meu dom.
    -Pareces animada, é assim tão bom?
    -Bom? É fantástico, vai divertir-me durante muito tempo. – continuei a minha sessão de riso histérico,
    -Qual é? – Tekas parecia entusiasmada. Angel até se inclinou para também conseguir ouvir o que eu iria dizer.
    -Eu sinto as vossas emoções.
    -Como assim? Tu sentes as nossas emoções?
    -Yap. Consigo sentir tudo o que vocês estão a sentir. – olharam para mim com um ar interrogativo.
    -Achas que isso faz sentido? Quer dizer, sentes as nossas emoções mas para que serve isso?
    -Pois, sentido não faz a não ser que também consiga controla-las. – reflecti no assunto, quer dizer até tinha uma certa lógica, só sentir as emoções não faria qualquer sentido se também não conseguisse modifica-las.
    -Já tentaste? Vá lá Mariana, concentra-te e tenta controlar as minhas emoções. – Joka fez um ar confiante. Assenti com a cabeça e concentrei-me nas emoções da minha amiga. Tentei mudar o estado de espírito dela. Não demorou muito e ela começou a chorar, quando lhe perguntar porque estava ela a chorar ela respondeu que estava triste mas que não sabia porquê.
    -Conseguiste! É incrível, ela consegue mesmo mexer nas nossas emoções.

    Passatempo Frase da Semana: Escolhida - Aberto!

    Olá Filhos e Filhas das Trevas!

    O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

    Informações:

    1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
    2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
    3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
    4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.

    Datas:

    A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

    Prémio:

    O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

    Importante:

    Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 22 de Abril, e a frase deve ser sobre o livro Escolhida
    As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


    Que Nyx vos abençoe!

    Passatempo Frase da Semana: Traida - Resultados!

    Olá Filhos e Filhas das Trevas!

    Já sairam os resultados do passatempo Frase da Semana, aqui vão elas:
    1. Não preciso que humanos e iniciados e vampyros acreditem em mim, porque Nyx acredita. Isto entre nós ainda não acabou. - Zoey Redbird - 47 (643%) - AngeelDarknezz
    2. E de repente aconteceu qualquer coisa dentro de mim. Deixei de me sentir uma adolescente nervosa, desajeitada e totó. A expressão dos olhos dele tocou a mulher dentro de mim, despertando-a, e quando este novo eu acordou, senti uma confiança tranquila em mim que raramente me acontecera. - Zoey Redbird - 27 (36%) - Mariana Ferreira
    Parabéns à AngeelDarknezz!!!


    Que Nyx vos abençoe!

    Actualização do Blog de PC Cast



    " O fabuloso Charles Jeremy (www.jeremycharles.com) apenas fez uma foto minha e de Kristin para a Oklahoma Magazine. 
     Aqui está uma das fotos que eles não vão utilizar. Só queira dar a Jeremy um grande abraço. Foi óptimo trabalhar com ele, e tirarmos fotos bonitas. "

    PC”

    Seduzida na Revista Bang!

    Olá Filhos e Filhas das Trevas!

    Uma fã enviou-nos um artigo que saiu na revista Bang! sobre Seduzida. Dêem uma vista de olhos.


    Obrigada Angeel Darknezz!

    Que Nyx vos abençoe!


    Passatempo Frase da Semana: Traída - Votação!

    Olá Filhos e Filhas das Trevas!

    Já está em votação, até as 20 horas de amanhã, as frases para o passatempo Frase da Semana.

    As frases são as seguintes:
    1. Não preciso que humanos e iniciados e vampyros acreditem em mim, porque Nyx acredita. Isto entre nós ainda não acabou. - Zoey Redbird
    2. E de repente aconteceu qualquer coisa dentro de mim. Deixei de me sentir uma adolescente nervosa, desajeitada e totó. A expressão dos olhos dele tocou a mulher dentro de mim, despertando-a, e quando este novo eu acordou, senti uma confiança tranquila em mim que raramente me acontecera. - Zoey Redbird
      Não vou dizer os nomes das participantes para não haver influencias. Votem na melhor frase. No dia de anunciar o/a vencedor/a direi o nome do/a mesmo/a.

      Importante:
      • Não votem por comentário, esses votos não contam. Vão à área das sondagens, do lado esquerdo do monitor, para votar.
      • Os resultados sairão até à meia noite de amanhã.
      Que Nyx vos abençoe!

      "Uma Grandiosa e Terrível Beleza", de Libba Bray

      Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!


      Hoje deixo-vos com mais uma sugestão de leitura, “Uma Grandiosa e Terrível Beleza” , de Libba Bray juntamente com uma crítica do Blog As Leituras do Corvo.




      Sinopse:

      Gemma Doyle está preocupada com o seu futuro. Por mais que tente insistir na necessidade de ir para Londres para conquistar a sua oportunidade de vida, a mãe não está disposta a isso. Mas uma brusca mudança no rumo dos acontecimentos fará com que Gemma acabe por ter como destino a cidade por que tanto ansiava. A sua mãe foi assassinada em circunstâncias misteriosas e, agora, Gemma encontra-se num colégio interno para raparigas, onde, mais que as dificuldades de integração, terá de lidar com capacidades que nem ela compreende plenamente. Porque Gemma é a ligação a um reino de magia e de poder. Mas de poder com consequências.


      Crítica:

      Há algo de surpreendente na forma como a autora consegue interligar elementos comuns a este tipo de livro e construir uma história com muito de próprio e um ritmo tão envolvente. Os elementos comuns são, claro, uma certa medida de dilema adolescente (que cedo se desvanece ante situações de maior importância), um toque muito leve de romance e o clássico cenário escolar. Mas, talvez, em parte, devido à época diferente, há uma nova visão destes aspectos. As preocupações amorosas de Gemma e suas amigas prendem-se mais com a possibilidade de casarem com um velho rico por vontade dos pais, que propriamente com os habituais dilemas e triângulos amorosos. As regras da Academia são, naturalmente, diferentes das de um colégio actual. E o romance vai-se insinuando de uma forma muito mais gradual, o que o torna também mais real.



      Aliados a esta abordagem refrescante dos pontos mais comuns, há uma mensagem bastante forte e uma abordagem ao sobrenatural um pouco invulgar, mais centrada num poder mágico existente num lugar preciso que propriamente em possíveis criaturas sobrenaturais. Há os que controlam o poder e os que não o fazem, mas, ainda assim, é de humanos que se trata. Depois, há algo de bastante belo no ambiente dos Reinos, estabelecendo um contraste com os perigos ainda desconhecidos, ao mesmo tempo que cria um cenário neutro para o desenrolar de amizades aparentemente improváveis.


      Falta ainda referir o final. Deixando em aberto muitas possibilidades, há, ainda assim, um ciclo que se encerra e que se prende com a já referida mensagem que transparece. Todas as escolhas, ainda que feitas inocentemente, têm consequências, e há alturas em que é simplesmente necessário viver com isso. A forma como este livro se encerra, com algo de perda, muito de responsabilidade e uma inocência que, de certa forma, se desvanece ante o conhecimento, reflecte exactamente essa verdade, uma verdade que, com magia ou sem ela, acaba por se manifestar em todos os ciclos de vida.


      Envolvente, surpreendente, com um enredo cativante e grandes momentos de tensão e emoção (bem como algumas situações divertidas), uma leitura intensa e viciante, com as medidas certas de entretenimento e material para reflexão. Muito bom.


      Benditos sejam!

      Pintura de Palavras - Os livros são nossos amigos!

      Olá Filhos e Filhas das Trevas!

      Hoje vimos publicitar um blogue puxado para a leitura em geral. Pintura de Palavras é um blogue que vos vai dar a conhecer os mais variantes livros e autores, para além de terem um cantinho para vocês darem a conhecer a vossa escrita. O blogue ainda está em fase de amadurecimento, e vocês são carta essencial à sua evolução. Dito isto chamo-vos a visitar o blogue Pintura de Palavras e dêem asas à vossa cultura literária!

      Que Nyx vos abençoe!



      Fanfic: Sangue Cruzado - Capitulo 5



      CAPÍTULO CINCO
      Mal podia acreditar no que ele dissera. As palavras saíram da sua boca com tanta facilidade que até parecia não se importar com a reacção que eu teria. A minha respiração estava fraca e as pernas, embora andassem com normalidade, estavam petrificadas. O medo apoderara-se de mim. Aquele sujeito era um vampiro grande e assustadoramente arrepiante, embora fosse bonito e encantador.
      - Então…o que é que tu és afinal? – Perguntou gentilmente. – Humana não és de certeza.
      Tinha medo de dizer algo que o irritasse. Não consegui sequer pensar nas palavras certas. Ganhei coragem, sabe-se lá como, para apenas lhe dizer que fora marcada por vampyro caça-cabeças e que estava a passar por uma espécie de mudança em que ou passaria para vampyra adulta ou se o meu corpo a rejeitasse, morreria de certeza absoluta. Porém, ele informou-me que com ele era diferente. Ele havia sido transformado por alguém que apenas conhecia como “ela” e que era amigo de um tal Riley, mas que este acabou por se revelar o oposto do que ele havia pensado.
      Contou-me também que era um vampiro nómada (ou seja, um vampiro recém-nascido). Havia sido transformado apenas para participar numa guerra sem sentido nenhum, que era apenas uma marioneta nas mãos do tal Riley e da “ela”. Não quis participar naquilo e veio embora. Mas antes de o fazer, foi ter com uma das suas amigas vampiras, a Bree, e perguntou-lhe se queria ir com ele explorar o mundo que ainda não haviam visto. Ela apenas referiu que tinha de encontrar uma pessoa amiga antes de ir e ele disse-lhe que esperava por ela em Vancouver 1 dia, deixando-lhe um rasto em Riley Parle. E mais nada me havia dito.
      Parecia esconder mais qualquer coisa, mas também não insisti muito. Parecia custar-lhe muito falar sobre aquele assunto. Comecei a dirigir-me para o motel onde eu estava hospedada mas ele continuava a seguir-me, nunca se separando de mim. Por um momento, senti-me vigiada e que me alguém me perseguia. Com o seu olhar fixo em mim até corei ligeiro nas bochechas, ficando um pouco rosadas nos dois minutos a seguir.
      Entramos no motel e o recepcionista nem sequer olhou para nós. Ficou a olhar para o ecrã da pequena televisão que estava em cima da sua secretária, com um pacote de batatas nas pernas e umas poucas espalhadas pelos cantos, acabando por cair no chão cada vez que ele mexia o braço para alguma coisa. Dava um mau aspecto a quem visse o motel do lado de fora, mas o problema era dele. Pelo menos, os quartos são de boa qualidade apesar daquela amostra de gente não o ser. Entrei no meu quarto e mesmo antes de fechar a porta, o vampiro meteu um pé entre a porta e o fecho.
      - Boa noite. – Disse, com ar inocente.
      Fios do seu cabelo cobriam metade da sua testa, dando-lhe um aspecto brilhante e encantador. Observou-me atentamente e sorriu-me, mostrando os lábios perfeitamente definidos. Fiquei irrequieta por momentos, tendo a minha pulsação acelerada indefinidamente.
      - Boa noite. – Respondi da mesma forma.
      - Com isto tudo, ainda não sei o teu nome. – Soltou um pequeno riso.
      Tinha que pensar se devia mesmo dizer-lhe ou não. Ele era vampiro, embora fosse diferente da minha espécie de vampyros. Vai dar tudo ao mesmo por isso nem vale a pena estar a trazer aquele pensamento ao de cima. Em voz sussurrante, disse-lhe o meu nome. Em resposta ele dissera-me o seu, mas de uma forma que eu achava incrivelmente sedutora: Fred.
      Vi-o entrar no terceiro quarto ao lado do meu. Deveria estar também hospedado aqui. – Pensei eu. Mas também nunca o vira entrar. Parecia tal e qual como tinha acontecido no Monsuit e na recepção do motel. Ninguém nos viu, nem nos fez caso. Ignoraram-nos completamente, como se nem estivéssemos estado lá. Fechei a porta e encostei-me a ela, refugiando-me nos meus pensamentos. Parecia que já tinha conhecido o Fred há imenso tempo quando na verdade só o conhecera hoje.
      Deitei-me na minha cama, aconchegando a minha cabeça a macia camada de algodão da almofada. Senti todos os momentos de hoje a esvoaçarem como pequenos pássaros em liberdade, prontos a sair e a sibilarem o seu canto natural. O entrar no café, a desconfiança dele, a conversa fora do café, o motel, tudo. Não esquecera nada. Tudo tinha ficado retido nas minhas pequenas e insignificantes memórias. Não pretendia que ficassem resguardadas num canto inferior qualquer à espera que o escuro do vazio as engolisse. Ficavam guardadas como simples fotografias. Belas e frágeis ao mesmo tempo.
      Adormeci pouco tempo depois e a imagem do Fred não me saía da cabeça. O seu cabelo loiro, os olhos assustadoramente vermelhos de sangue, o seu sorriso…Não sabia porquê, mas estava a sentir-me estranha e um pouco esquisita. Devia ser imaginação minha. Esqueci aquilo tudo e aprofundei-me no meu sono. Já deviam ser 3 e pouco da manhã, mas também decidi não dar muita importância às horas. Calei os meus pensamentos e deixei-me levar pelo sono que me consumia.

      Passatempo Frase da Semana: Traída - Aberto!

      Olá Filhos e Filhas das Trevas!

      O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

      Informações:

      1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
      2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
      3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
      4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.

      Datas:

      A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

      Prémio:

      O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

      Importante:

      Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 15 de Abril, e a frase deve ser sobre o livro Traída
      As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


      Que Nyx vos abençoe!

      Extras de Loren Blake

      Como prometido aqui está a continuação da 4ª parte desta hiatória, que está mesmo a aquecer :P Parte 4.2 -Não és uma caloira normal, por isso as regras normais não se deviam aplicar em ti. – Enporrei a sandes que fiz e um pacote de Doritos, o que a animou visivelmente. - Defendo que algumas regras foram feitas para serem quebradas. – a pensar na relação professor aluno, com certeza e a inaginar somo seria a sua boca dentro da minha. Reprimi um arrepio. Percebi que ela ainda usava os brincos que lhe tinha oferecido. Lembrei-me do porque é que a Neferet me tinha mandado atrás da Zoey. Precisava de lhe dar alguma informação, se não desconfiaria que eu na verdade estava com a Zoey porque ela me atraia e não para vigiá-la. - Desde quando é que tu e a Aphrodite são amigas? - Não somos. Eu estava a voltar para a escola e vi-a pelo caminho. Acho que faz parte da minha função como líder das Filhas das Trevas ser gentil com todos, até com ela, por isso ofereci-lhe uma boleia. Algo nesta história não batia bem, ela estava a mentir-me. - Fiquei surpreendido por ela ter aceitado. Vocês não são inimigas mortais? - Não! Inimigas mortais? Eu não lhe ligo muito. Loren, quem será que fez uma coisa destas à professora Nolan? - Acho que a citação do bilhete é muito clara. - Citação? Expliquei-lhe o que estava escrito. - Apesar de eu não entender o culto a um Deus que despreza as mulheres e cujos”verdadeiros crentes” se acham no direito de desprezar qualquer um que não pense exatamente como eles. – disse. - Nem todos no Oklahoma são assim. –disse meio indignada. - Seja como for, é o Povo da Fé que fala mais alto. Eles não estão certos só porque são em maioria- Falei melhor, afinal o objetivo é alegrá-la e não o contrário. – Estás a sentri-te melhor? - Sim, acho que estou. – fazendo um enorme bocejo . - Melhor, mas exausta, aposto. Hora de ir para cama. Precisas de descansar e repôr as tuas forçãs para o que ai vem. - O que vai acontecer? – perguntou ocm pesar. - Faz um décadas que os humanos não atacam os vampyros assim, abertamente. As coisas vão mudar. - Mudar? Como assim? - Não vamos aceitar ser atacados sem ripostar. – A lembrar-me do desprezoque sentia pelo meu pai. – Mas não precisas de te preocupar com nada. Dentro de vinte e quatro horas, a escola estará cheia de guerreiros de elite vampyros, os Filhos de Erebus. Nenhum fanático humano conseguirá tocar em nenhum de nós. Senti-a ficar tensa. - Ei, vais ficar em segurança. Juro. – disse-lhe e senti uma vontade muito forte de beijá-la. – Fico feliz por te ver usar os brincos que te ofereci. Beijeia profunda e demoradamente. O meu sangue a correr rapidamente pelas minhas veias. Deusa como a desejava! Desejava que ests beijo não acabasse e queria poder levá-la para o meu quarto e senti-la por todos os poros. Cada cantinho seu e principalmente sentir o sabor do seu sangue. Deusa eu a amo! - Preciso que voltes para o teu dormitório antes que eu sinta a tentação de ficar ao teu lado para sempre. Caminhámos pela luz da manhã até ao dormitório como se fossemos namorados, a roçarmo-nos e a cada contacto com a sua pele, mais quente me sentia. Peguei na sua mão e beijei-a. - Boa noite, mil vezes. Não, má noite, sem luz gentil. O amor procura o amor como o estudante que para a escola corre: num instante. Mas, ao se afastar dele, o amor parece que se transforma em colegial refece. Adeus. Ela disse com a voz quente. – Obrigada por cuidares de mim. - O prazer foi meu, minha dama. Adieus. – e fiz a saudação que se deve a uma grande sacerdotiza e fui. Que Nyx vos acompanhe :)

      Parabéns à Daniela Santos!

      Olá Filhos e Filhas das Trevas!

      Hoje temos mais um aniversário. A nossa querida Daniela Santos faz hoje aninhos!!!

      Parabéns à Daniela de toda a equipa do blogue Casa da Noite Portugal!!!


      Que Nyx te abençoe!

      "Cirque du Freak - O Ajudante do Vampiro", de Darren Shan

      Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

      Hoje deixo-vos com uma sugestão de leitura, "Cirque du Freak - O Ajudante do Vampiro", de Darren Shan.



      Cirque du Freak - O Ajudante do Vampiro
      Shan, Darren

      Darren era um jovem normal até ao dia em que visitou o Cirque du Freak. Agora ele tenta sobreviver na sua nova vida de… ajudante de vampiro! Tenta desesperadamente resistir à única coisa que o pode manter vivo… sangue humano! Mas um macabro encontro com o Homem Lobo pode mudar tudo. A colecção Cirque du Freak tem um grande sucesso em vários países, estando na lista dos mais vendidos do 'The New York Times'. «O leitor irá penetrar cada vez mais fundo no bizarro Cirque du Freak. Há momentos terríveis e dolorosos, especialmente no clímax do livro. Os leitores não conseguirão deixar de virar a página para descobrir o que acontece a seguir.» ('School Library Journal') «Darren Shan continua a saga de um adolescente que involuntariamente é arrastado para o mundo dos vampiros, lobisomens e outras criaturas horripilantes. Darren encontra-se agora num dilema brutal: terá de beber sangue humano ou morrerá.» ('Barnes & Noble') .


      Benditos sejam!

      Video da Afrodite

        Trago-vos um video que as fãs alemãs da saga House Of Night e da Afrodite fizeram.


      Fonte: HouseOfNightDE

      Passatempo Frase da Semana: Traída - Aberto!

      Olá Filhos e Filhas das Trevas!

      O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

      Informações:

      1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
      2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
      3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
      4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.

      Datas:

      A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

      Prémio:

      O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

      Importante:

      Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 15 de Abril, e a frase deve ser sobre o livro Traída
      As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


      Que Nyx vos abençoe!

      Fanfic: The Girl With The Red Rose - Capitulo 9

      Capitulo 9

      David e eu íamos a caminhar pelo pátio fora, estava uma noite cerrada. Se eu ainda fosse humana diria mesmo que estava frio, mas desde que fui marcada que o frio não me incomodava como dantes.
      -Está mesmo uma noite linda não achas? – David sorria enquanto olhava para o céu estrelado.
      -Tens razão, está uma noite mesmo linda.
      -Sabes, quando era pequeno gostava de me deitar no telhado de minha casa e olhar para as estrelas. Sempre gostei muito da noite. As estrelas fascinavam-me, e ainda me fascinam. Sempre pensei que a vida das pessoas estava escrita nas estrelas. – fiquei fascinada com as palavras dele, nunca pensei que ele fosse tão “sensível” estava admirada com a maneira de ser dele.
      -Achas que eu também tenho uma estrela? – ele sorriu e olhou para mim com os olhos brilhantes segurando na minha mão.
      -Se assim for, a tua deve ser a mais linda que brilha no céu. – ele segurou-me pela cintura e puxou-me para junto de si. Senti os joelhos fraquejarem enquanto ele se aproximava de mim. Olhava-me tão intensamente que era impossível desviar o olhar daqueles olhos lindos. Como era mais alto que eu, curvou ligeiramente a cabeça aproximando os seus lábios dos meus e beijou-me. Beijou-me como nunca ninguém antes me beijara. Os meus lábios ferviam em contacto com os dele enquanto se moviam ao mesmo ritmo. Senti paixão, não só minha mas também dele. O corpo dele transmitiu-me uma corrente de emoções. Foi algo que nunca tinha sentido antes. Já estava a ficar sem fôlego quando ele desviou a cara e aproximou a boca do meu ouvido.
      -Felizmente que a mais bela das estrelas não está no céu. – acariciou-me o cabelo com a sua mão direita e puxou-me para junto de si com a outra mão voltando a beijar-me.
      -Bah! Que nojo, podias não fazer isso em publico? – afastei-me bruscamente de David e olhei para Margarida que estava ao lado dele a resmungar. Olhei para ela com a cara mais zangada que eu tinha.
      -O que raio estás tu aqui a fazer? Será possível que não sabes o que se chama privacidade?! – ela cruzou os braços.
      -Oh! Desculpa lá ter vindo aqui ver se Kalona estava a tentar matar-te! – cuspiu-me as palavras com um ódio que nunca vira na cara dela.
      -Fazes ideia o que para mim significou ver-te aqui assim agarrada? Pensava que era Kalona que te estava a sugar a alma. – Margarida começou a chorar e começou a correr em direcção aos dormitórios atravessando a parede.
      -O que se passa Mariana? – David estava imóvel a olhar para mim.
      -Era a Margarida, ela viu-nos agarrados e pensou que era Kalona que me estava a sugar a alma. Como viste eu passei-me e ela foi-se embora a chorar. Acho que ficou mesmo zangada comigo. Tenho que ir ter com ela. – virei-me para o edifício dos dormitórios e comecei a correr. Sem nunca olhar para traz. O que raio se estava a passar comigo? Eu estava a correr atrás de um fantasma e deixei o rapaz dos meus sonhos para traz sem lhe dizer mais nada. Corri para o dormitório e entrei no meu quarto. Olhei para todos os lados à procura de Margarida mas não havia sinais dela.
      -Margarida desculpa, eu não queria ofender-te mas compreende que isto também não está a ser nada fácil para mim. Por favor aparece. Eu estou mesmo arrependida. – ela apareceu por traz de mim atravessando a porta.
      -O que queres? Não te querias ver livre de mim? Eu só queria que me ajudasses, mas pelos vistos só queres que eu desapareça de vez. – ela virou-me a cara que estavam cobertas de lágrimas e sacudiu o cabelo.
      -Não é nada disso, eu não quero que desapareças. Eu gosto de ti, e quero ajudar-te mas tens que me dar tempo para me habituar à ideia.
      -Tens razão, desculpa ter interrompido o teu momento, mas quando te vi ali fiquei com medo de te perder. – Margarida começou a chorar. Queria agarra-la e abraça-la mas provavelmente só iria agarrar no vazio, mas mesmo assim tentei alcança-la. Estiquei a minha mão tentando tocar na dela. Senti a palma da minha mão arder. Margarida paralisou e olhou-me nos olhos. Foi aí que me aconteceu o mesmo que acontecera com David. Consegui sentir tudo o que ela sentiu e tudo o que ela estava a sentir naquele momento. Sentia medo, terror, desespero um turbilhão de emoções. Tentei largá-la mas parecia que estava presa por uma corrente eléctrica.
      -Mariana? O que se está a passar? - Margarida olhou para mim com um ar aflito.
      -Não sei, eu acho que consegui sentir… Senti o que tu sentes.
      -Não me estava a referir a isso, tu tocaste-me o que é por assim dizer impossível pois não passo de um fantasma.

      Passatempo Frase da Semana: Marcada - Resultados

      Olá Filhos e Filhas das Trevas!

      Já sairam os resultados do passatempo Frase da Semana, aqui vão elas:
      1. Tu és especial, Zoey, e ser especial pode ser espantoso - Erik Night - 36 (45%) - Ema
      2. Quando disse as duas últimas falas,fitou-me e,tal como no corredor no dia anterior,parecia que não havia mais ninguém na sala-mais ninguém no mundo. - Zoey Redbird - 18 (22%) - Bianca Vieira
      3. É isto que eu gosto na nossa Zoey. Tem cá um jeitinho com o vernáculo. - Damien Maslin - 25 (31%) - Inês Margarida
      Parabéns à Ema!!!


      Que Nyx vos abençoe!

      Extras de Loren Blake

      Oi jente, aqui está um bocado da 4ª parte. Espero que gostem. Parte 4.1 Fui acordado por uma gritaria. Que inferno! Parei de praguejar quando ouvi a voz da minha amada. Vesti-me, já que normalmente durmo nu, e quando cheguei lá a baixo encontrei Zoey e Aphrodite a chorar desalmadamente. Os meus instintos alertaram-se, à procura do motivo de tanta comoção. Pensei logo que Neferet tinha arranjado alguma coisa contra Zoey. - Neferet? O que se passa? – percebi que lutaria até contra Neferet se fosse necessário para defender a Zoey. - A Professora Nolan. Ela está no muro oriental. Matáram-na. Fiquei chocado comigo mesmo quando percebi o meu alívio por não haver nada de errado com a Zoey. Ora bolas era uma amiga que tinha morrido. As minhas emoções estavam a atropelar-se umas nas outras. Quando chegámos ao muro Oriental fiquei indignado com o que vi. A professora Nolan estava morta de forma cruel com o coração arrancado. Zoey estava trémula, o que era completamente normal. Nem o vampyro mais forte não se escandalizaria com a crueldade deste assassinio. Ainda ontem a Neferet estava a falar sobre a importância de uma luta contra os humanos. Que não nos tratavam como iguais, que Nyx não estava a gostar e que teria de haver algum tipo de protesto. Pelo que estava escrito no papel pregado no corpo a situação estava a ficar feia. Neferet pediu-me para levar a Zoey ao dormitório com a clara intenção de que eu a vigie e descubrir de que lado ela estava. Penso que uma pessoa com tantos dons de Nyx, só pode estar do melhor lado. Entrei no carro e senti uma profunda vontade de protegê-la e principalmente alegrar um pouco o seu coração. Tentei contar algumas histórias, mas senti que não estava a prestar atenção. Sei que tudo o que aconteça com um vampyro que seja emocional ou físico é curado com uma boa dose de sangue. E ela iria melhorar consideravelmente se bebêsse um pouco de vinho. Protestou um pouco enquando a levava para a cozinha. Resolvi também fazer alguma coisa para ela comer além do sangue. - Tem sangue! – disse espantada. - Sim. É assim que os vampyros bebem vinho: misturado com sangue. Se não gostares posso ir buscar outra coisa para beberes. – disse para provocá-la, já que ela tinha impreção com um humano. Significava que ela adorava o sabor dosangue, tanto como eu. - Não, está bem. Eu bêbo assim. O meu sorriso aumentou, mas virei-me para que ela não visse. - Senti que não terias problemas com isso. - Porque dizes isso? – perguntou. - Tiveste uma impreção com um humano nã foi? Foi assim que conceguiste encontrá-lo do assassino em série. - Sim. - Foi o que pensei. Acontece. Às vezes dsenvolvemos uma impreção sem querer. - Não aos calouros. Nós nem sequer devemos beber sangue humano. Sorri. Ela não faz ideia da força que tem. E como fica sexy quando se cobre de inocência. Ai que me estão a dar os calores :P Que Nyx vos acompanhe

      Passatempo Frase da Semana: Marcada - Votação

      Olá Filhos e Filhas das Trevas!

      Já está em votação, até as 20 horas de amanhã, as frases para o passatempo Frase da Semana.
      As frases são as seguintes:
      1. Tu és especial, Zoey, e ser especial pode ser espantoso - Erik Night
      2. Quando disse as duas últimas falas,fitou-me e,tal como no corredor no dia anterior,parecia que não havia mais ninguém na sala-mais ninguém no mundo. - Zoey Redbird
      3. É isto que eu gosto na nossa Zoey. Tem cá um jeitinho com o vernáculo. - Damien Maslin
        Não vou dizer os nomes das participantes para não haver influencias. Votem na melhor frase. No dia de anunciar o/a vencedor/a direi o nome do/a mesmo/a.

        Importante:
        • Não votem por comentário, esses votos não contam. Vão à area das sondagens, do lado esquerdo do monitor, para votar.
        • Os resultados sairão até à meia noite de amanhã.
        Que Nyx vos abençoe!

        PC lê primeiro capitulo de Burned (Queimada)

        Olá Filhos e Filhas das Trevas!

        A nossa querida autora gravou ela a ler o primeiro capitulo de Burned (Queimada, previsto para Junho em Portugal) como lhe foi pedido pela produção de Children's Choice Book Award lhe pediu devido à nomeação de Burned.

        http://www.astorybeforebed.com/recordings/470dc0512f267b0e

        PC pede desculpa pelo barulho dos aviões e dos cães, mas devido à época festiva em Tulsa, as suas janelas estão todas abertas.

        Como Queimada é o proximo sair em Portugal, não há qualquer spoiler em verem este video. E com ele podemos perceber que o primeiro capitulo de Burned é do ponto de vista de Kalona. Uiii Ansiosa =')

        Que Nyx vos abençoe!

        Qual delas preferes???

        Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

        A nossa querida escritora voltou a actualizar o seu blog desta vez com um pedido de opinião sobre a capa do livro "Dragon's Oath". Aqui fica o post traduzido:





        Oi pessoal,

        Estamos a ter um pequeno debate aqui no mundo House of Night. Questionamo-nos sobre qual das capas os meu fãs gostam mais. Será que me poderia ajudar e influenciar-nos com a sua escolha? A versão roxa é  capa americana. A versão azul/preta é a capa inglesa. Qual delas preferias comprar?

        Vocês são os melhores!

        XXXOOO
        PC

        Para comentarem no blog da PC é só clicarem aqui...

        Poema "Pesadelo", por Paula Perleques

        Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

        Hoje deixo-vos com mais um poema da nossa querida fã, Paula Perleques. Espero que gostem...

        Pesadelo, por Paula Perleques



        Nas profundezas do mar estou
        Nadando em águas tão límpidas,
        Observando e admirando
        Os corais tão belos que são.


        Uma força estranha sinto
        Para a superfície me puxou,
        Nada havia
        Apenas escuridão da noite.


        “A-ya, bela A-ya”
        Uma voz sussurrante ouço,
        Um vento surgiu e as águas fez se moverem,
        Para terra com custo fui.


        Em redor olho e nada vejo,
        Apenas escuridão da noite.
        No meio da escuridão asas surgiram
        E aquela força estranha, entre elas me prendia.


        “A-ya, minha A-ya”
        Aquela voz sussurrante
        Quanto mais sensual se tornava,
        Meu corpo mais preso ficava.

        Aos cinco elementos ajuda pedi
        Com o fogo, de mim o consegui afastar,
        “Sai daqui
        Anjo Maldito.”


        Meus olhos abri
        Apenas um pesadelo foi,
        Nos túneis de Tulsa
        Junto de meus amigos estou.


        Enviem também os vossos poemas e textos para o email jwalter2412@gmail.com.
         
        Benditos sejam!

        Fanfic: Sangue Cruzado - Capitulo 4



        CAPÍTULO QUATRO
        “Não és humana, pois não? – Esta frase rejubilava dentro da minha cabeça vezes sem conta. Estranhei a princípio porque achei que havia tomado todas as precauções para que não desconfiassem de mim, mas depois…fui mesmo apanhada de surpresa. Cada músculo do meu corpo foi enrijecendo até ficar completamente petrificado, sem se mover um único centímetro. Como é que aquele rapaz sabia? Como?
        - Desculpa?! – Murmurei em voz baixa, mantendo a minha compostura. – Deves estar enganado. Ou então, estás com um desvario na cabeça.
        Fingi o melhor que pude para que não continuasse a desconfiar. A mesma sensação que me invadira na noite passada e antes de entrar no café voltou a aparecer. Havia alguém naquele lugar que não era normal. Que não era um simples humano. O rapaz continuava a insistir com o olhar inquisidor, o que me causava um certo arrepio. Mas afinal o que é que ele pretendia com aquilo tudo? Já começava a pensar que ele era esquisito. Bem…muita coisa não lhe deve faltar para encaixar naquela categoria.
        - Eu quase nunca me engano nestas coisas. – Afirmou em voz baixa, olhando para o meio do vazio. – Aliás, o teu cheiro é diferente do resto dos humanos.
        - Tu realmente… - Esperem aí. Ele disse mesmo aquilo que penso que ele disse? – Tu disseste…
        - Humanos. – Disse completando aquilo que eu ia dizer. – Sim, foi isso que eu disse.
        Só pelo facto de ter usado o termo “humanos”, fez-me desconfiar de quem ele era realmente. Será que aquela sensação se referia àquele rapaz desconhecido? Porém, não deixava de me questionar quem seria ele. Como poderia ter tanta certeza daquilo que dizia era o que mais me intrigava, o que suscitava uma pequena quantidade de curiosidade.
        - É melhor continuarmos esta conversa lá fora. – Adverti, jogando pelo seguro.
        - Ok.
        Deixei a única nota de 1 dólar que tinha à mão em cima da pequena mesa centrada e levantei-me para sair. Ele fizera o mesmo e pôs-se a meu lado, acompanhando-me até à saída. Olhei para ambos os lados para ver se alguém nos revirava um olhar mesquinho como costumavam fazer. Nada. Nada fizeram. Continuaram com as conversas em grupo e nem sequer fizeram caso. Estranho e arrepiante ao mesmo tempo. Estávamos já a meio caminho afastados do Monsuit, deixando-o longe da vista. Ainda que a iluminação na rua fosse pouca, dava para ver bem a estrada que seguia à minha frente. Agora sim podíamos falar sem que ninguém nos incomodasse.
        - Olha lá. – Disse, virando-me frente-a-frente para ele. - Não sei quem tu és ou o que é que queres mas podes ter a certeza que se abres a boca em relação àquele assunto que falamos no café, arranco-te os braços à dentada.
        - Ouve. Eu não quero arranjar problemas para nenhum de nós. – Disse claramente, metendo as mãos aos bolsos das calças.
        Ele podia ser um dos homens do Povo da Fé a tentar enganar-me e a ver se me descaio e diga algo que me denuncie. Mas que nem pense que ia fazer. Nunca.
        - Diz lá o que pretendes com isto tudo então. – Respondi friamente.
        - Não és a única não-humana por estas bandas. Tem cuidado. Apenas quis avisar-te, só isso. – Disse em forma de suspiro.
        Esperem aí. Primeiro, ele insinua que não sou humana (não sou mesmo, de facto. Mas também ainda não uma vampyra adulta. Digamos que estou entre humanidade e sobrenatural. Duas metades de um todo, acho que pode ser a melhor definição para mim.) e agora vem avisar-me para ter cuidado?
        - Para começar, eu sei muito bem tratar de mim e não preciso que um desconhecido como tu me venha dizer do que tenho de ter cuidado ou não. – Inspirei relaxadamente e continuei. – E como podes ter tanta certeza de que um não-humano por cá, se é que isso existe?
        Tinha que ser subtil para não me deixar enganar por ele. Mas ainda assim, vou ouvir o que ele tem para dizer.
        - Porque… - Foi de relance para à beira duma iluminação perto de nós e vi por fim a cor dos seus olhos. Vermelhos-vivos, como se o sangue os tivesse tingido de uma forma atroz. Agora já tinha completamente a certeza do que aquela sensação me estava a tentar dizer. – Eu sou um vampiro. – Ele é o QUÊ? – E o teu cheiro não esconde o que tu és, não-humana.
        Dei uns passos para atrás, numa tentativa de fugir dele. Sempre me perguntara como seria ver outro como eu à minha frente. Dizia sempre que estaria calma e convicta. Mas ele era assustador com aqueles olhos vermelhos. Assustavam-me profundamente, mas ao mesmo tempo, davam-me uma vontade de me aprofundar neles. Coisa estranha, admito. Ele foi-se aproximando de mim e convidou-me a um passeio ligeiro, para apenas conversar. Assenti afirmativamente com a cabeça mas pelo sim pelo não mantive a minha retaguarda levantada, apenas por pura segurança.

        Extras de Loren Blake

        Olá a todos. Quero desde já pedir desculpas por não ter postado nada ontem mas é que houve um corte de energia aqui por estes lados e só voltou à pouquíssimo tempo :S Sei que não é desculpa mas foi o que aconteceu. Bem, de qualquer das formas aqui está o ultimo bocado da 3ª parte, espero que gostem... Parte 3.2 Foi realmente difícil o tempo em que me tive que me ausentar da Casa da Noite. Principalmente porque não conseguia tirar a Zoey da cabeça. Vinha-me constantementa à memória o tempo em que estive com ela debaixo da árvore. Nós quase nos beijamos. Eu pude sentir o seu hálito na minha língua e o seu cheiro no meu nariz. Até nos sonhos eu a beijo. Neferet enviou-me uma mensagem para o telemóvel a avisar-me que o aniversário da Zoey estava a chegar e para eu comprar o presente. Estava particularmente ansioso para “continuar com o plano”. Assim que cheguei fui à sua procura. Primeiro fui à biblioteca, onde geralmente a encontro. Ninguém estava lá além da recepcionista. Resolvi procurar perto da árvore. Não precisei chegar tão longe. Ela estava perto da estátua de Nyx na marmelada com Erik Night. A mão dele estava por dentro da sua camisola, o que evidenciava o quão escaldante se estava a tornar. Um rugido apareceu na minha cabeça, ciúmes eu estava cego de ciúmes. Zoey é minha, eu queria gritar, mas na verdade não era. - Uhhum! – arranhei a garganta. Pelo sorrisinho de Erik, já me estava a conciderar um rival. Percebeu o meu interesse pela Zoey, só espero que ela também tenha percebido. - Desculpe professor Blake. Pensei que estivéssemos sozinhos. Zoey ficou extremamente sem graça pelo vermelho que se espalhou no seu rosto. - Pensei que estivesse na Europa – gaguejou. - Estava. Cheguei esta noite. – respondi. - Como foram as coisas na Europa? – Erik disse, colocando o braço possessivamente à sua volta. O que me fez precisar de um enorme controlo para conseguir dizer: - As pessoas não são tão simpáticas como as daqui. - Sem enfiar minha mão na tua cara, meter a Zoey às costas e levá-la para bem longe como se fosse um homem das cavernas. - A questão não é onde se vai, mas quem se está. –a provocar-me. A luta pela posse da mulher era clara. Só que quem estava com ela era ele e não eu. - É óbvio. Consegui dizer. - É o aniversário da Zoey, estamos a tratar do beijo de parabéns. – como se eu não soubesse. – Sabe que a Z e eu estamos juntos. – eu pensei: por pouco tempo, por muito pouco tempo. - Sim, ouvi dizer que vocês estão juntos. A minha voz saiu meio estrangulada. – Tens um bocadinho de sangue aí, Zoey. – apontando para a sua boca. - Provavelmente é melhor limpares. – quis provocar e ela ficou ainda mais vermelha. - Tenho que ir. Ah, e feliz aniversário. Fui para o meu loft com raiva e ciúmes. O que era a primeira vez. Eu nunca fui possessivo com ninguém com quem fiquei. Não havia outra saída, estava perdidamente apaixonado por ela. Quando cheguei Neferet estava à minha espera. - Então como foi o seu encontro com a Zoey e o Erik? – disse, assim que cheguei. - Bem. – respondi friamente. - Espera ai... estás com ciúmes não estás? De mim nunca tiveste ciúmes... O que eu acho bom, mas... Estás apaixonado por ela. – ela disse isso não com ciúmes, mas com aprovação. E uma sensação que tive disse-me para proteger a Zoey a todo custo. Pus-me em modo operacional vigarista. - Querida, como assim não tenho ciúmes de ti?! Tu és minha querida. Aprocimei-me, beijei o seu pescoço no lugar que eu sabia que ela gostava e levei-a para a cama. – Se eu tivesse apaixonado pela Zoey, não poderia fazer estas coisas tão boas comtigo minha querida, a minha religião não iria permitir. Ela riu-se e a tormenta passou. Passámos o dia juntos e no começo da noite fui à caça da Zoey outra vez. Por sorte desta vez ela estava na biblioteca. - A combater o Mal, hum? – falei com um tom de brincadeira, mas na verdade fez-me ficar preocupado por ela estar atrás deste tipo de informação. O que será que estava a acontecer com ela. Eu queria que me contasse, para poder ajudá-la. Só de pensar nela a passar por algum perigo arrepiava-me todo. Nunca ive esta necessidade de proteger alguém. - Sabe como eu sou. Gosto de estar preparada. – ela tentou despistar a voz, mas não me enganou. - Estás à espera de algum ataque maligno? - Não. – falou rápido de mais. – Bem, dois meses atrás ninguém estava à espera que a Afrodite perdesse o controlo de um monte de espíritos vampyros sugadores de sangue, mas aconteceu. Então pensei que seria melhor prevenir do que remediar. – ela estava a tentar despistar-me mas eu precebi, ainda não confiava em mim. Algo estava a acontecer com ela. Conquistaria a sua confiança e contar-me-ia. - Acho que faz sentido. Então não estás a preparar-te para nada específico? – pressionei. - Não. Estou apenas a tentar fazer um bom trabalho como líder das Filhas das Trevas. - Eu dei uma olhadela au livro em que estava interessada. - Sabes que estes rituais são só para vampyros adultos, não sabes? Quando um novato adoece, infelizmente, a razão é só uma. É porque o corpo dele ou dela está a rejeitar a mudança e depois vem a morte. Não estás a sentir-te doente, pois não? – deu-me um medo infernal de perdê-la para a Mudança, depois pensei bem e percebi que ela realmente sabia alguma coisa sobre os mortos-vivos. Isso não era bom, se Neferet soubesse ia apretar a sua vigilância ainda mais. - Ah, meu Deus não! Estou ótima. É só bem... É constrangedor admitir, mas pensei em estudar mais para quando eu me tornar uma Grande Sumo-Sacerdotiza. – sorri talvez eu estivesse a exagerar, provavelmente ela não sabia de nada, como poderia saber? - Por que é que isso seria constrangedor de admitir? Eu nunca pensei que fosses uma dessas mulheres tolas que acham que ler e estudar bastante seria algum tipo de constrangimento. - Ah, não é nada disso. – ela ficou com as bochechas rosadas. – É constrangedor porque parece presunção dar como certo que serei Grande Sumo-Sacerdotisa um dia. – era modesta, mais uma razão para ser uma Grande Sumo-Sacerdotisa no futuro. - Nyx escolhe sempre acertadamente. Acho que pensares isso é apenas bom senso e uma compreensível autoconfiança... Sempre senti atração por mulheres mais seguras. – O que era completamente verdade o que me atraiu em Neferet foi isso mesmo. Os nossos olhos encontraram-se e pareceu que passavam faíscas entre nós. - Não fazes ideia de como é especial pori não Zoey? Tu é única. Não és como o resto dos novatos. - Tu és uma deusa entre aqueles que se consideram semideuses. – e não consegui segurara-me mais, toquei na tatuagem em volta do seus olhos e um poem veio-me à cabeça. “A ti jurei lealdade e a julguei radiante. A ti que és negra como o inferno e escura como a noite”. - De que autor é isso? – perguntou com uma voz rouca e sedutora. Deusa esta mulher parece perceber de tudo, não parece ser novata em nada. A sua voz atraiu-me e fez-me ficar completamente excitado. - Shakespeare. – que era vampyro. Expliquei para quem ele tinha escrito este poema, que era para uma caloura que não passou pela transformação. - Pensei que os vampyros adultos não pudessem ter relacionamentos com novatos. – com estas palavras ela quis sondar-me para saber até onde eu estava disposto a ir. Será? Pois ela vai saber que eu vou a qualquer lugar com ela. - Não devemos. É extremamente impróprio. Mas às vezes existe uma atração que transcende os limites de idade e correção. Acreditas nessse tipo de atração. Zoey? - Ela demorou a responder, talvez a pensar se deveria dar o salto ou não. Um ataque de ciúmes passou por mim outra vez. Ou será que ela estava a pensar em Erik. Respirou fundo e deu o salto. - Sim. Eu acredito nesse tipo de atração e tu? - Agora, acredito. – resolvi abrir o jogo. – Voltei ontem porque sabia que era teu aniversário. - A sério? – percebi o choque na sua voz. E continuei a acariciar o seu rosto que era muito macio. -Estava à tua procura quado te encontrei com o Erik. - O rugido voltou ao meu peito. – Não gostei de vê-lo com aquela mão cheia de dedos a agarrar-te. Eu sei. Não tenho direito nenhum de ficar com raiva por estares com ele. Não é da minha conta. – virei a minha cara para longe. Senti-me completamente vulnerável, desde que meu pai me veio ver pela última vez, eu tinha-me feito a promessa de não ficar numa posição vulnerável outra vez, mas e se ela preferisse Erik, ele realmente é muito bonito e um rapaz bacano também, o que é difícil de admitir. Amor não é uma coisa que pode ser obrigada a sentir. E se ela não se sentir atraída por mim, apesar de parecer que sim? Ela pegou no meu queixo e a corrente elétrica passou novamente. Virou.me para olhá-la. Neste momento ela era a minha dona, tudo o que ela pedisse eu faria. - Queres que seja da tua conta? – perguntou. A minha respiração entrecortou. - Nem tenho palavras para expressar o quanto. – respirei fundo a sentir o seu cheiro doce. – Acho que é a minha vez para lhe dar um beijo de aniversário. Ela não me afastou. E o beijo foi completamente sensual. De forma nenhuma ela parecia uma adolescente inexperiente, a forma com que ela devolvia o beijo conforme a resposta que ela tinha de mim fez-me entregar ao beijo de forma como nunca fiz antes. Eu começava e ela terminava, as línguas acariciavam-se e o seu cheiro penetrava pelo meu cérebro e marcava-me de forma definitiva. Que rapariga! Quando terminamos estávamos os dois prontos para a segunda fase. O meu desejo de sangue intensificou-se, eu queria, eu precisava de provar o seu sangue. Calma Loren, calma não desesperes. - Eu não devia ter feito isto. – disse e segurei o seu rosto com minhas mãos, olhando nos seus olhos. Os dois a arfar. - Eu sei. – ela disse a olhar-me de forma entregue. Deusa! Colocou a sua mão numa parte do meu peito que estava sem a blusa e um arrepio percorreu-me do início ao fim da coluna. - Isto vai ser complicado. – espliquei com uma voz completamente rouca. - Eu sei. – respondeu com pesar. - Mas eu não quero parar. –repliquei rapidamente antes que ela resolvesse não se arriscar. - Nem eu. – disse aliviando um pouco a tensão. - Ninguém pode saber de nós. Pelo menos, não por enquanto. Eu disse a pensar principalmente em Neferet. - Ok. – ela disse e eu senti-a entristecer. Beijei-a de forma doce tentando amenizar aquele sentimento de tristeza. - Quase me esqueci. Trouxe-te uma coisa. – beijei-a rapidamente e peguei na caixinha com uns brinquinhos que vi numa loja que me fez lembrar dela. Na verdade eu já tinha comprado o presente antes mesmo de saber que era o seu aniversário. - Ai meu deus! São lindos! – disse com um contentamento evidente e o meu coração encheu-se de alegria e ternura. - Quando vi estes brincos, lembrei-me de ti: perfeita, linda e brilhante. – o meu sorriso foi amplo. - Ah, Loren! Nunca vi nada tão lindo. Recostou-se a mim e eu senti o seu calor, o seu cheiro e beijei-a novamente de forma intensa e ao mesmo tempo doce e ela correspondeu de forma emocionada. - Vá lá. Esperimenta-os. – disse. - São lindos. – falou claramente emocionada. Apertei-a contra o meu peito sentindo o cheiro do seu pescoço perto da veia principal, quase conseguia sentir o gosto. Isso deixou-me tenso, estava quase tão duro como uma rocha. - Acho que já estudaste demais por hoje. Vem para o meu quarto comigo. - Eu... Eu não posso. – Car#/.* Esquecime que ela ainda era virgem. Fui rápido de mais. Tenho que segurar esta atração enfreada que tenho por ela. Ela merece que seja de forma decente. Hmm... Eu não vejo a hora. - Não posso porque combinei encontrar-me com a Shaunee, a Erin e os outros membros do Conselho Sénior às sete e quinze para ensaiarmos o ritual de amanhã. - És uma liderzinha dedicada das Filhas das Trevas, não é? Deixa-mos para outra vez. – toquei no seu rosto querendo tocar muito mais do que aquio. A sua respiração entrecortou-se. – Se mudares de ideias estarei no andar dos poetas. Sabes onde é? Balançou a cabeça afirmativamente e ruborizou um pouco com certeza a saber que o andar era todo meu. - Ótimo. Fica a saber que estarei a pensar em ti, mesmo que resolvas não me vir tirar deste estado miserável. Ela engoliu em seco e eu também, lambendo os lábios imaginando... Virei-me e estava quase a sair quando me interrompeu. - Mas eu não vou mesmo poder ir. Quando é que nos encontramos outra vez? - Não te preocupes minha Sumo Sacerdotisa eu encontro-te. Isto está mesmo a aquecer :P be, sábado sem falta há mais. Que Nyx vos acompanhe.