http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Entrevista da agente de P.C. Cast



Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Aqui está a entrevista que prometi, eu disse que hoje ela cá estava xD
Desfrutem!

Muitos de vocês têm-se perguntado sobre a minha agente, então achei por bem postar esta excelente entrevista que ela deu recentemente ao blog de agentes literários. Como introdução, Meredith Bernstein é minha agente desde 2001. Desde aí, tornamo-nos amigas próximas. Se leram muitas das entrevistas que dei sobre a Casa da Noite sabem que foi a Meredith que teve a ideia da série (Yeh Meredith!). O senso comercial da Meredith é sempre impecável. Ela é honesta, franca, e experiente. Se querem saber mais sobre ela e quais os autores a quem ela mais gostava de representar, precisas de fazer o teu trabalho de casa. Uma boa maneira de começar (depois de ler esta entrevista) é THE AGENTS MARKET. Basicamente, vai à secção de recurso de escritores na tua livraria ou biblioteca local e começa a tirar notas. Encontrar um agente é tão importante como difícil – mas precisas do agente certo para ti e o teu trabalho. Para todos os aspirantes a autores: BOA SORTE!

Agente Convidado: Meredith Bernstein da Meredith Bernstein Literary Agency
Postado por Chuck

Entrevistada por
contribuinte Ricki Schultz.

"Agent Advice" é uma série de entrevistas rápidas com agentes literários que falam com a Guide to Literary Agents sobre os seus pensamentos de escrita, publicação, e outras coisas quaisquer. Hoje vamos ter Meredith Bernstein da Meredith Bernstein Literary Agency. Meredith é agente à mais de 25 anos e tem a sua própria agência desde quase o inicio da sua carreira. (Ela não tem site da agência.)
Ela procura por: literatura e o objectivo final da ficção, focando a psicologia do suspense, trilers medicinais, legais, e historias de amor. Em termos de romance ela procura os contemporâneos, históricos, paranormais, e suspense, Para não fictícios, ela procura autores lideres no seu estilo, com laços comerciais fortes. Ela não aceita consultas por e-mail. Por favor consulte-a em SASE: Meredith Bernstein Literary Agency, 2095 Broadway, Suite 505, New York, NY 10023.


GLA: Como te tornas-te agente?

MB: Aconteceu organicamente. Eu estava a trabalhar para outro agente literário, como a Gal Friday, e fazia coisas básicas de secretariado. Um amigo chamou-me e sugeriu que fossemos a uma conferencia de escritores em Long Island que iria ocorrer num fim de semana – e eu perguntei ao meu patrão se me podia “enviar” para lá.
Quando isso aconteceu conheci um escritor que parecia Anne Frank encarnada, e ela estava a escrever um livro sobre o impacto de ter um diário. Ela deu-me o seu “livro” para ler no caminho para casa – e eu apaixonei-me por ele. Eu conhecia um publicitário porque ele era cliente do meu patrão, então contei-lhe do livro e ele disse par ir lá no dia seguinte para me fazer uma oferta.

GLA: Qual foi o livro mais recente que vendes-te?

MB: Como tenho feito isto já à muito tempo, o que tenho vendido mais ultimamente são novas apostas de actuais clientes. Assim dito, o livro mais “recente” que vendi foi a série da Casa da Noite da P.C. e Kristin Cast, que estão na categoria Jovens Adultos. Fala sobre uma vampira que está a acabar a escola, e está no top dos mais vendidos do New York Times à mais de um ano – e ganhou mais força com o ultimo livro, Tentada. Também vendi outros best sellers, como a série No-Cry da Elizabeth Pantley to McGraw-Hill.
E estou a completar um acordo de áudio para a minha nomeação para o Prémio 2009 National Book, David Carroll, com Following the Water: A Hydromancer’s Notebook from Houghton-Mifflin.

GLA: O que queres agora e não tens? Quais são as tuas orações para quando enfrentares a pilha de lama?

MB: Eu estou sempre à procura e a rezar por compilações de narrativas não fictícias; e uma inesquecível historia de amor; e ficção que tenha uma voz que te leve a nunca querer fugir – mas querer virar a pagina. Se estás a escrever um desses – manda-mos! Também ando a procura de literatura fictícia com um efeito assombroso.

GLA: Representas várias categorias, fictícias ou não fictícias, mas nunca vi na internet nenhuma lista a dizer que aceitas literatura jovem – até surgir a Casa da Noite. Andas a promover literatura para jovens adultos ou ensino médio?

MB: Com o meu sucesso com Cats, estou a apostar mais nos jovens adultos. Como no ensino médio, ainda não me sinto confiante que saiba o suficiente para isso.

GLA: Reparas-te em alguma tendência no que tendes a representar? São géneros ou elementos que te agarram particularmente?

MB: Eu sou extremamente ecléctica por natureza, por isso o que quer que eu represente é um “género”, pois tenho respondido a alguns elementos da criatividade dos autores, mais do que a qualquer outra coisa.

GLA: Há algum tópico que não desperte o teu interesse?

MB: História militar.

GLA: Como preferes ser consultada?

MB: Tudo menos e-mail, por favor.

GLA: Se estivesses a ensinar uma turma sobre a escrita não fictícia, qual seria o ponto numero um?

MB: O conhecimento que vem de dentro para fora é um assunto importante. Eu também penso que quando alguém gosta do que outros estão a escrever, isso transparece – e o leitor pode sentir-lo. Por exemplo, quando leio Jon Krakauer’s Into Thin Air, eu sou transportada, simplesmente. Eu procuro um escritor que me consiga transportar.

GLA: O que surpreenderia os escritores relativamente à tua personalidade?

MB: Que eu sou extremamente artística – e faço uma malvada “aldrabice.” *

GLA: Vais estar em alguma conferência de escritores que decorra num tempo próximo, de modo a que estes possam conhecer-te?

MB: A próxima é no RWA (De 28 a 31 de Julho de 2010) em Nashville.

GLA: Melhores conselhos dos quais ainda não falamos?

MB: Eu respeito as pessoas que trabalham com afinco e o que eles fazem. Se queres ter sucesso neste negócio tens que perceber que vai sempre haver alguém pronto para de tirar a ribalta. Se olhares para alguns dos nomes que estão nas listas dos mais vendidos, esses já estão lá à anos, e asseguro-te – não é por acidente. Esses escritores dão o que o publico quer. Este é o trabalho deles, de modo a manter o apetite dos leitores.

Entrevistador: Ricki Schultz

* MB: That I am extremely artistic—and I do a mean “Hokey-Pokey.” (Não sendo eu americana e não percebendo certas expressões, não tenho a certeza se esta frase está bem traduzida. se não, lamento.)

Que Nyx vos abençoe!

Sem comentários: