http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Fanfic: Forgiven - 35º Capitulo

- Zoey! Vem cá, rápido! – disse Stevie Rae ofegante na porta e corri atrás dela até ao templo.
- E assim, Neferet, te tiro do teu cargo de Sumo - Sacerdotisa da Casa da Noite de Tulsa e impeço-te de pertenceres a qualquer outra! – disse Nyx, no meio de todos os que estavam lá, dirigindo-se a Neferet. Olhou para mim e sorriu. Olhei para Neferet, que me olhou com raiva. Desviei o olhar para a figura que estava ao lado dela
- Deixa, querida, não precisas desse protótipo de Deusa para nada – Chronos abraçou-a por trás
- Pois não
- E tu, meu caro ‘familiar’ leva daqui a tua seguidora. Não são bem vindos aqui.
- Antes de tudo, deixa-me só falar com uma pessoa – o terrível Chronos olhou para mim que me causou um terrível arrepio.
- Que queres? – olhei-o nos olhos: grande erro. Não conseguia tirar de lá o olhar e sentia-me vulnerável
- Quero que decidas. Quero que venhas comigo
- Hum… deixa ver… queres… que eu deixe escorrer os miolos como essa aí, perca o juizinho todo que tenho, passe por maluquinha só para te seguir? Claro… QUE NÃO! Nem me perguntes isso outra vez seu… canalha! – sim senti-me tentada a dizer que sim, mas eu por enquanto ainda funciono!
- Vê como me falas minha menina! – ele avançou até mim e eu recuei, encostando-me à parede. Tocou levemente o meu pescoço, que me causou, mesmo assim, uma grande dor
- Pára! – contorci-me – E quem és tu para me chamares de “Minha menina”? Meu pai? É que nem ao meu padrasto eu admito que me chame assim! Porque é que não mexes esse rabo enfiado num vestido e te piras? – okay, apesar do momento ser tenso, algumas pessoas soltaram uma leve risada. Dei um estalo ao hipócrita que estava na minha frente, assim que me tentou tocar – Não voltes a tentar! Posso ter o meu histórico, mas não pega como essa aí – apontei para Neferet – E Já te disse! P-I-R-A – T-E! – chamei os elementos a mim, fiquei envolvida num mini tornado de fogo, logo chuva e relâmpagos surgiram, mas sem apagar o fogo. Sabia que o deixava vulnerável: afinal o único de seu filho que não conseguiu engolir fora Zeus, e Zeus era quem lançava os relâmpagos na terra, segundo a mitologia, mas não passa de uma descarga eléctrica. Senti-o retesar-se. Fiz com que um daqueles relâmpagos quase o atingisse. (Okay, nota: relâmpagos numa sala? Tipo, a sério? Eu ando cada vez mais chanfrada…) – Para a próxima não falho, “meu querido” – disse com ironia e nojo. Fiz trovejar mais uma vez
- Pronto, vou-me embora, mas voltarei, Zoey! – ele gritou, esfumando-se no ar, com Neferet agarrada. Cessei o caos na sala e encarei todos. Nyx ainda ali estava. Sorriu-me
- Meus filhos, poderia mentir-vos e dizer-vos que o que viram hoje aqui, não se repetirá, mas, no entanto, não posso garantir nada. Puderam constatar que Chronos é terrível, pelo simples toque consegue causar dor e sofrimento, mas mantenham-se fortes.
» expulsei a Neferet daqui, ela já não pertencia mais a esta casa. Sabem que vos dou livre arbítrio e espero que o usem bem, nunca irei questionar as vossas escolhas, mas, repararam no ar de ilusão dela? Ela escolheu mal. Espero que vocês não cometam o mesmo erro. Ainda, como a Neferet era a Sumo - Sacerdotisa daqui, esta casa perdeu a sua ‘directora’. Acho que é uma boa altura para dar a conhecer um novo tipo de vampyros: os vermelhos, e promover a Stevie Rae Jonhson a Sumo – Sacerdotisa, já que é uma vampyra mudada, e sabe sobre as duas espécies – pude ouvir Stevie Rae dar gritinhos de alegria – Eu mesma a irei ensinar como cuidar desta escola – a Deusa fez sinal para ela se aproximar – Stevie Rae, como o resto dos iniciados vermelhos, surgiram porque a Neferet usou os poderes que lhe concedi para tentar criar um exército de iniciados mortos vivos, felizmente, a Zoey descobriu, ajudou a Stevie Rae a passar pela mudança, e hoje aqui estão. Com isto tudo, o ritual da escola será cancelado, mas o das filhas das trevas continua de pé! Abençoados sejam!
- Abençoada Sejas – disseram todos em coro. Depois, Nyx desapareceu, deixando no templo a mesma calma e serenidade do costume
- bem… Vamos para o ritual? – perguntei. O círculo estava todo ali, por isso seguimos todos para a sala. Quando chegámos dispusemo-nos nos devidos lugares. Pude ver que Heath, Sam e Chad, se sentaram logo à frente, descontraídos nas almofadas espalhadas por ali. Sorri para Heath que retribuiu com um dos seus sorrisos mais fofos. Dei sinal a Jack que começou a música, enquanto ia dançando, ia fazendo o defumadouro, pedindo que todas as más energias se libertassem e que Nyx nos enchesse de esperança e calma nas nossas vidas.
Quando peguei na vela roxa para acender as outras comecei
Ar, que se não existisses, nós não estaríamos aqui,
Preenche-nos de leves brisas aconchegantes no começo deste novo ano,
Que já tão diferente já dá sinais de ser.
Ar, chamo-te a este círculo
Pôde-se sentir o ar, levemente aquecido, com a temperatura do sul, encher a sala e relaxar-nos em muito os corpos e as mentes, assim que acendi a vela de Damien, que sorriu
Fogo, sem ti, nunca antes as espécies humanas e vampyras tinham evoluído tanto como evoluíram
Sem ti, o frio consumia-nos, contigo podemos sentir-nos preenchidos,
Tens uma bravura enorme, e, por isso, peço-te que venhas a este círculo, nos dês coragem para enfrentar mais um ano, mais uma etapa nas nossas vidas
Acendi, ou melhor, deixei que a vela de Shaunee se acendesse, e logo o corpo de Shaunee brilhou como nunca antes. Pudemos ouvir o seu par a sussurrar para o lado “É mesmo uma brasa”, e nós soltámos uma leve risada
Água, que tanto estás no mar, como nos rios, como no ar, até nos nossos corpos,
Sem ti, não poderíamos existir, porque fazes parte de nós,
Ajuda-nos neste novo ano a alcançar os nossos objectivos, como alcanças a costa por uma simples onda
Água, convoco-te a este círculo
Erin sorriu, ao sentir-se refrescada pela calma da água, que fazia pequenas ondinhas a nossos pés, que fazia as nossas roupas ondularem como se estivéssemos submersas
Terra, tu que nós dás o alimento,
Que nos sustentas todos os dias, todas as horas,
Dá-nos a tua força para continuar a lutar, para continuarmos a caminhar de cabeça erguida
Terra, invoco-te a este círculo
Sorri para Stevie Rae. Pude sentir a felicidade que irradiava dela. Stevie Rae estava totalmente embriagada pela alegria de ser a nova Sumo – Sacerdotisa da casa da noite. Quer dizer, ela só tem dezassete anos! Mas o seu cargo iria ser dividido com Lenóbia, para que as decisões fossem melhor pensadas. A vela acendeu-se e um cheirinho a trigo e a flores encheu o espaço à nossa volta.
Por último, chamo o espírito a este círculo,
Que nos mantenha cientes dos nossos actos, que nos dê coragem para atingirmos os objectivos para este novo ano,
Que nos encha com todos os elementos, e nos dê protecção a cada dia
Fui até ao centro do círculo e ergui a vela à altura dos ombros, fi-la brilhar mais e depressa o tão conhecido remoinho de elementos se espalhou pela sala. Do ar ouviram-se uns wow s de felicidade, no chão via-se a fina luz prateada que ligava cada elemento do círculo e o mantinham perfeito e em harmonia. Pousei a vela
- Este ano vai ser de muitas felicidades, mas também terá os seus momentos difíceis. Sei que para alguns, a saída de Neferet foi uma surpresa, mas se Nyx assim o entendeu, temos que respeitar. Quero anunciar que, quem se sentir consciente dos seus actos, e quiser participar no conselho, estarão dois, agora três, lugares disponíveis. Precisamos de alguém que represente a terra, já que a nossa Stevie Rae, agora vampyra mudada, foi ‘promovida’ a Sumo – Sacerdotisa desta casa da noite, pela sua experiência de vida e adoração a Nyx. Sei que foi muito difícil para ela escolher o bem, vi a sua dúvida entre seguir a sua Deusa ou a sua Natureza, enquanto ainda não estava mudada. Por isso, Stevie Rae, acho que te desejamos a ti e aos teus iniciados, Bem vindos! Também, como o conselho precisa de sete membros, para que nas decisões não haja empates, precisamos quem ocupe o lugar antes ocupado pela Afrodite e pelo professor Erik Night, que mudou recentemente. Os ideais para se juntarem às filhas das Trevas, ou para continuarem, estão sempre por cima dos blocos de cimento, no pátio. Basta darem o vosso nome a um dos membros que discutiremos a vossa posição.
Depois de mais algumas palavras, despedi-me dos elementos, fechando o círculo.
- Que este ano seja bom para todos vós, que traga muitas felicidades às vossas vidas! Benditos sejam! – disse
- Bendita sejas! – responderam todos. A minha barriga foi atacada por uma fome enorme.
- Que faz… - ia perguntar Sam
- Comer! – respondi. Todos se riram da minha expressão desesperada. A verdade é que já me doía a barriga da fome e que sem dúvida nenhuma, se não comesse, iria ficar doente.

Sem comentários: