http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Texto vencedor por Sílvia Catarina Silva

Aqui fica o 1ºtexto vencedor do Passatempo Traída! Muitos parabéns Sílvia!

"Naquela noite, caminhava por uma rua de paralelos onde o escuro preenchia cada passo meu. A chuva que caía obrigava-me a correr mesmo que algo me dissesse para não o fazer, era como se sentisse que cada metro daquela rua deserta nunca deveria ser percorrido. Ao fundo da rua uma luz intensa cegou-me os olhos e senti que a meta estava perto, o que me deu mais vontade de correr para outro mundo que não o meu.
Acordei com o burburinho que existia no corredor, e desde logo, percebi que para meu alívio já não estava a sonhar. Desde que entrei na Casa da Noite todas as minhas noites são preenchidas por pesadelos que chego a coleccionar dentro da minha cabeça. Olhei para o despertador e poucos minutos faltavam para as seis e meia da tarde – soltei um sorriso por aquele pesadelo, de qualquer modo, estar condenado a não se prolongar muitas mais horas. Levantei-me e reparei que a cama da minha companheira de quarto estava vazia e arrumada. Num ápice, tomei banho e preparei as minhas coisas. Estava disposta a saber o que se passava de tão importante para a minha amiga se ter levantado tão cedo sem me chamar. Com tudo preparado saí a correr dos dormitórios com destino à sala onde esperava o meu pequeno-almoço e a minha amiga.
O percurso que demorava uma eternidade a percorrer ficava mais pequeno à medida que os burburinhos vindos dos vários corredores se aproximavam e instintivamente mudei de rumo. Virei a última esquina e subi o lance de escadas até ao corredor dos Terceiranistas. No meio do barulho que ali existia consegui reconhecer a voz da minha companheira de quarto que conversava em tom baixo com outras conhecidas. Assim que cheguei perto dela, o barulho daquela sala deixou de existir.
- Hei, mas o que é que te deu para saíres sem mim para o pequeno-almoço, Katy? – Disse com um tom de voz agressivo indiferente à ausência dos burburinhos que minutos antes, preenchiam aquela sala.
Ela permanecia de boca aberta com os olhos arregalados na minha direcção, tanto como todas as pessoas que estavam naquele corredor. Algo que antes não tivera qualquer importância para mim tornou-se uma prioridade. Os constantes burburinhos que me acordaram daquele maldito pesadelo tinham uma razão que teria de ser totalmente nova para causar tanto alvoroço na Casa da Noite, na minha casa. Sem tempo de reflexão, virei em direcção contrária e dei de caras com a razão por a qual estavam espantados.
Ela iria destacar-se no meio de todos os que a acompanhassem, e não por a sua beleza natural ou pela roupa que embrenhava. Mas sim pela Marca azul safira que cobria o seu rosto com diferentes formas e diferentes cores. Num canto oculto da minha mente tentei retirar o máximo de informação daquele momento para poder reflectir posteriormente.
- Zoey Redbird, Terceiranista e líder das Filhas das Trevas de Tulsa. Ela foi transferida para cá e chegou na madrugada de ontem após terem terminado as aulas. – Sussurrou Katy ao meu ouvido.
Abanei a cabeça para deixar os meus pensamentos para mais tarde e tentei concentrar-me no que fazia mais sentido para mim naquele momento. Percorri a distância entre mim e a líder das Filhas das Trevas de Tulsa, parando em frente dela.
- Bem-Vinda à Casa da Noite de Portugal Zoey! – Disse numa voz alta. – Terei o maior prazer de te mostrar a nossa casa. – Acrescentei com um enorme sorriso.

E ela acenou com um ligeiro sorriso que fez a sua Marca ficar ainda mais profunda."

3 comentários:

Sílvia Catarina disse...

Fico bastante feliz por gostarem do meu texto e espero que o mesmo aconteça com os leitores do blog. Não tenho palavras para agradecer até porque para mim não existe maior distinção do que esta.
Espero mesmo que gostem!

Casa da Noite disse...

Gostei muito do teu texto Sílvia. Do teu modo de escrita, a linguagem que usaste...mereceste!

Parabéns!

Sara

Catarina Silva disse...

Parabéns o texto está magnifico!