http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Descoberta arqueológica comprova a crença nos vampiros

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

Hoje estava a ver umas coisas na Internet e encontrei esta notícia no blog Dark Angel. aqui fica o post original:

Atenção: Este post é meramente informativo, não tendo como objectivo influenciar, ou levar qualquer pessoa a converter-se.


Uma equipe de cientistas italianos encontrou na Itália uma caveira com um tijolo aparentemente colocado à força dentro da boca, o que indica que se acreditava que o cadáver era de um vampiro. A caveira, de uma mulher, foi encontrada na escavação de uma vala comum onde eram enterradas vítimas de uma epidemia de peste bubônica na ilha de Lazzaretto Nuovo, perto de Veneza, Itália, nos séculos XVI e XVII.
Matteo Borrini, da Universidade de Florença, disse que objectos eram colocados na boca de supostos vampiros na época para impedir que eles se alimentassem dos cadáveres de pessoas enterradas nas proximidades, se fortalecessem e passassem a atacar os vivos.
Borrini, que apresentou suas conclusões na 61ª reunião da Academia Americana de Ciências Forenses em Denver, nos Estados Unidos, disse que, na época da epidemia, muitos acreditavam que a doença era propagada por vampiros.
Marcas de mastigaçãoSegundo ele, na época da epidemia de peste, os coveiros reabriam constantemente a vala para enterrar os corpos de novas vítimas e encontravam cadáveres que eles suspeitavam ser de vampiros.
Os suspeitos costumavam ser identificados por sinais como “marcas de mastigação” no tecido em que os corpos eram envoltos. De acordo com Borrini, estas marcas eram causadas por sangue e outros fluidos corporais que às vezes eram expelidos pela boca dos mortos, fazendo com que o tecido parecesse afundar entre as mandíbulas e romper-se.
Borrini disse que este pode ser o primeiro ritual de “exorcismo de vampiro” confirmado por evidências arqueológicas e analisada com conhecimentos médicos e técnicas forenses. Entretanto, Peer Moore-Jansen, um especialista da Universidade Estadual de Wichita, no Kansas, afirma que encontrou esqueletos similares na Polônia, indicando que a descoberta não é pioneira.
Veneza foi muito afetada pela chamada peste negra, que atingiu a cidade por volta de 1630. Estima-se que a epidemia matou até 50 mil pessoas de uma população de 150 mil.

 
 
Fonte: Dark Angel

E então? Consideram um achado de facto revelador?

Benditos sejam!

3 comentários:

Lénia disse...

Já tinha lido esta noticia á uns mêses e penso que também deu nas noticias.

Anónimo disse...

Será que podia fazer uma correcção?
Se lerem o artigo com atenção, ele não apresenta uma prova para a existência de vampiros, mas sim uma prova de que as pessoas acreditavam em vampiros no século XVI e XVII. O que é que isso tem de novo? Não há nada neste artigo que justifique a existência de vampiros -aliás, até explica o unico sinal que poderia indicar que eles são vampiros.
A única coisa que o artigo faz é dizer que a mulher tinha um tijolo na boca porque os seus fluidos corporais egradaram o tecido que a envolvia, levando o coveiro a PENSAR que ela era uma vampira, quando na verdade não era.

Anónimo disse...

Eu vi um documentário exactamente sobre isto na RTP2 e concordo com quer que seja que escreveu o anterior comentário.
Depois confirmou-se que eram mesmo um humano, tipo que comia comida e tal, e o coveiro só ficou com medo porque a mulher estava inchada e ele pensou que era por beber sangue o que na verdade faz parte da decomposição dos corpos humanos, ou algo assim do género.
Mas é uma investigação muito interessante,
Foi bom terem posto este post.

Beijinho