http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Fanfic: Forgiven - 31º Capitulo

- Vá pronto, explica-me – disse eu – Que queres de mim?! – Berrei
- Zoey, Zoey, Zoey… - o homem que já me aparecera duas vezes estava a falar para mim – Quero que deixes Nyx e me sigas! Quero que sigas um vencedor, um Deus de verdade!
- Não! Nunca abandonarei Nyx por ti! E desde quando és Deus?
- Desde que nasci
- Isso foi quando? Séculos antes do mundo existir é?
- Oh sinto-me tão ofendido! – disse ele pondo a mão no peito e fingindo-se chocado
- Responde! Quem és tu e o que queres?
- Sou Chronos, e quero que faças como Neferet e me sigas, abandona essa parva da Nyx!
Instintivo: lancei-lhe o fogo para cima queimando a sua cara, com o meu gesto surpresa – Tu NÃO tens o direito de dizer isso de Nyx! E nem penses que eu vou ser como a Neferet! – virei-lhe as costas mas caí e ali fiquei, a senti-lo apertar o meu corpo com a mente, que me fez gemer de dor
Acordei a ofegar e sentei-me na cama. Chronos, pensei, é ele quem me persegue… É com ele que Neferet está… Não conseguiria voltar a dormir por isso vesti um robe por cima do pijama e desci as escadas. Preparei uma caneca de leite quente e sentei-me no sofá a bebê-la e a pensar no sonho que tivera.
- Hum… Que fazes aqui? – disse Afrodite
- Penso… E tu? Já não te via há algum tempo
- Tenho andado a preparar as coisas para me ir
- Hum… Fazes bem…
- Quem te ouvir falar parece que me queres longe
- Quem não quer? – ironizei
- Realmente… Ah eu sei! O Dário que me vai visitar todas as noites, para passar um bom tempo comigo, sozinhos… a viver o amor…
- Okay, informações a mais! – levantei a minha mão – Vais quando?
- Segunda de manhã
- Okay… Porque é que estás acordada a esta hora?
- Não tenho sono… Aliás ainda nem consegui dormir desde que vim do quarto do Dário
- informações a mais! Outra vez!
- Ai que coisa! Desculpe lá sim? Sabes… eu tenho um feeling que amanhã vai acontecer alguma coisa…
- Tu também?
- Como assim? Também tens?
- Assim, assim… E o Loren também tem… - ela bocejou – Não eras tu que estavas sem sono?
- Parece que chegou. Boa noite, até amanhã
- Dorme bem – fui pôr a caneca na máquina e voltei a sentar-me sem fazer nada. Eram seis e meia da tarde e ainda estava sol. Resolvi vestir-me e sair para dar uma voltinha, totalmente tapada e com óculos de sol, claro. Enterrei as botas na neve e comecei a caminhar, sentindo a leve comichão na pele, de sentir os últimos raios de sol na cara. Ia a olhar para o chão tentando evitar ao máximo a luz. Esbarrei em alguém
- Desculpe – disse, sem levantar o olhar
- Bom dia também para ti!
- Erik! – abracei-o, ultimamente não nos havíamos falado a não ser nas aulas
- Então como estás Z?
- Bem… - disse nada segura da resposta
- Que se passa? Espera vamos sentar-nos ali – encaminhámo-nos para o banquinho e sentámo-nos
- Têm acontecido coisas estranhas… Quando caí do cavalo foi porque me assustei… Vi uma figura como aqueles deuses gregos a chamar-me… ontem à noite aconteceu o mesmo e esta noite sonhei com ele… Ele é o tema do meu trabalho de sociologia: Chronos… É um deus malvado que comeu os filhos quando nasceram, comeu literalmente, para que não o destronassem, só Zeus escapou
- Bem… Mas sabes a razão dele estar por aqui?
- Quer que eu o siga como a Neferet fez…
- Essa velha besta quadrada arredondada a cima… mete nervos… - ri-me do que ele disse – que foi?
- Velha besta quadrada arredondada a cima? Não sabia que eras bom em matemática…
- É uma parte de mim… Olha tenho uma notícia: fui escolhido para gravar um filme na Europa… Vou no domingo à noite
- Vais-te embora? – senti a saudade a apertar. Erik não se podia ir embora! Não! ‘Esta é a última oportunidade para estares com ele’ – as palavras que Nyx dissera faziam agora sentido. Erik ia-se embora, para outro país, para outro continente...
- Sim, mas é só mais ou menos um ano, depois volto. Logo a seguir às gravações tiro umas férias e regresso logo em seguida para dar as aulas
- É tanto tempo sem ti por aqui…
- Vai passar rápido, mas olha, eu quero que tu sejas feliz. Sabes que o Heath gosta mesmo de ti, e sei que sentes uma coisinha por ele. Luta para que dê certo – era totalmente estranho ouvir Erik, o rapaz que eu amava, a dizer-me para tentar com Heath, o rapaz de quem gostava
Assenti – Está bem – disse como quem concorda com qualquer coisa
- Zoey, estou a falar a sério! Prometes que vão tentar?
Assenti de novo, apesar de estar toda roída só de pensar em nunca mais voltar a estar com Heath
- Bem, olha, Z eu tenho uma reunião agora, importas-te que vá?
- Não, vai lá. Até amanhã, vai ser o teu último ritual
- Pois vai. Até amanhã Z! – acenei-lhe e fiquei ali no banco. A lua já se via no céu esborratado de vermelho no azul quase negro do pôr do sol. Acendi uma pequenina chama no meu dedo e comecei a brincar com ela, fazendo-a movimentar-se de um lado para o outro. Senti algo a embater em mim e a escorregar pelo meu casaco
- Então nem resistes?
- Stevie Rae! – atirei-lhe de volta com uma bola de neve
- Ai pára! Também tive saudades tuas! – abraçou-me
- Que fazes por aqui?
- Fico cá para amanhã, ainda sou a terra não sou?
- Claro que sim! E os iniciados vermelhos?
- Aparecem amanhã, alimentados
- Que queres dizer com alimentados?
- Sangue do banco de sangue, devidamente embalado em saquetas
- Ah okay, sabes que o Erik se vai embora?
- Sério? Porquê?
- Vai gravar um filme na Europa
- Isso é óptimo para ele! – pequena pausa – e o Heath? Como é que vão as coisas?
- Está a ser difícil… Não o quero voltar a magoar… Mas gosto muito dele…
- Hum… - toque de telemóvel – Desculpa, é o meu Peter
- Desculpa? Teu Peter? Que espécie de melhor amiga és tu? Quando começou? Beija bem? Como é? Vocês…? Conta, conta, conta!
- Olá bebé! – ela falou para o aparelho
- E ignorada pela melhor amiga – acendi a chama no dedo e levantei-o no ar – Stevie Rae, não gosto de fazer de vela, sabes?
- Calma Z! Não, não era para ti amorzinho. Não dá, vou passar o fim de semana na casa da noite, depois do ritual de amanhã está perfeito. Então beijo. Amo-te
- Apaguei a chama assim que ela voltou a olhar para mim
- Muito engraçadinha Z! É alto, moreno, com uns olhos cinzentos lindos, sim beija, começámos há uma semana, não ainda não coiso
- Oh vais-me apresentá-lo não vais? Posso ser madrinha de casamento? Credo devo estar a virar velha relha… Isto é da idade…
- Se nos casarmos podes crer que és madrinha e sim apresento-to amanhã – atirou-me com neve à cara. Atirei-lhe de volta e assim começou uma guerra de bolas de neve. Aos poucos o grupo juntou-se cá fora ficando todos encharcados e a maior parte gelados. Quando senti que ia rebentar de tanto rir parei e fui para junto da grande lareira da sala. Heath segui-me logo.



Comentem, por favor =)

1 comentário:

Bia* disse...

Pessoal, olá,sou a Bia a autora da Fanfic Forgiven, agora estive a ver este capítulo (hábito meu de ler os capítulos que escrevi) e raparei num pequeno engano: '...só de pensar em nunca mais voltar a estar com Heath', bem o erro é que em vez de Heath é Erik. Desculpem só ter reparado agora, espero que a equipa não se importe de ter comunicado o erro por este meio, mas é mais fácil e directo assim

Beijinhos a todos e obrigada por lerem =)