http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Fanfic: The Girl With The Red Rose - Capitulo 15

Capitulo 15

Zoey

Já passaram 2 semanas desde que estamos a viver aqui em baixo, ainda não sei o que havemos de fazer. Nefert e Kalona são muito poderosos e não sei como derrota-los. Só temos duas hipóteses, ou começamos a arranjar ideias como dar cabo deles ou ficamos à espera de um sinal de Nyx. A segunda opção até agora parece-me a mais acertada, não só pelo facto de nem Damien ter ideias como também estamos completamente cercados por Zomba-Corvos. Os iniciados vermelhos estão a ficar desesperados com a ideia de lhes faltar o sangue. E nenhum de nós está com vontade de ser mordidos por eles. Ainda temos mantimentos para um mês e graças a Afrodite temos boas condições nos túneis. Estávamos todo bem, Damien e Jake, Afrodite e Dário, as Gémeas, a minha melhor amiga Stevie Rae e os seus iniciados vermelhos e eu e Erik voltámos a namorar. Apesar de eu pensar dia e noite em Stark não me consigo esquecer de como ele ficara repugnante e de como obedecera tão fielmente às ordens de Nefert.
-Sacerdotisa! Sacerdotisa! Temos problemas! – Dário entrou no meu quarto improvisado de rompante.
-O que se passa Dário?
-Perdoai entrar desta maneira nos seus aposentos Sacerdotisa, mas está uma barulheira lá fora e acho que os Zomba-Corvos estão a atacar alguém!
. O quê? – Desatei a correr até à parte de cima abrindo muito devagar a porta. Será algum iniciado que consegui fugir da Casa da Noite e anda agora à nossa procura? Ou será um esquema de Nefert para nos distrair e fazer com que saíamos? Olhei para fora com cuidado. Estava um rapaz deitado no chão a ser atacado por um Zomba-Corvos. Preparei-me para invocar os elementos para ajuda-lo.
- Pára! Afasta-te, não te aproximes dele. – Berrava para uma rapariga que estava mesmo aqui encostada à porta diante de mim. Nem tinha reparado nela. Ela começou a correr na direcção dele. Senti uma rajada de vento como de fosse um tornado a girar à volta dela. Ela elevou as mãos na direcção do Zomba-Corvos e atingiu-o com um raio de energia. Parecia fogo-de-artifício cor-de-rosa, um raio que com uma velocidade inumana atingiu o Zomba-Corvos e o fez estremecer no chão. Ela correu para o rapaz e ajoelhou-se diante dele. Fiquei a observar. Quem seria aquela rapariga?
Filha, cuida da pequena Mariana, ela vai ajudar-te.
Ouvi a voz de Nyx dentro de mim. Fiquei tão feliz. Finalmente um sinal da nossa Deusa!
-Dário! Ajuda-me a traze-los para dentro!
-Tem a certeza que é seguro sacerdotisa?
-Tenho! Nyx mandou-os para nos socorrerem! Temos de os ajudar. – Abri a porta ainda hesitante, mas corri logo na direcção da rapariga com Dário a meu lado. Ela pareceu ter perdido os sentidos. E o sangue do rapaz fez-me crescer água na boca. Ao ouvirem nos gritar por ajuda Jake e Damien saíram logo cá para fora e ajudarem-me a transporta-los para dentro. Dário pegou no rapaz ferido e Jake e Damien pegaram ambos na rapariga.
-Olha só para a marca dela Z! – Aproximei-me da rapariga e olhei para a testa dela. A marca dela era tão diferente! Tinha uma meia-lua cor-de-rosa completamente preenchida e subitamente a tatuagem começou a espalhar-se para os lados num contorno bonito tal como a minha.
-Ela é especial! Tal como eu! Levem-nos já para dentro! Dário importas-te de cuidar do rapaz? Acho que não consigo lidar com todo esse sangue.
-Claro, Sacerdotisa.
-E mantém-no afastado dos iniciados vermelhos. – Dário assentiu com a cabeça e pegou no rapaz que soltou um gemido de dor.
-Jake, Damien levem a rapariga para o meu quarto. Tratamos lá dela. – Levaram a rapariga para o meu quarto deitando-a na minha cama. Stevie Ray ainda estava na cama ao lado a recuperar.
-Zoey, ela parece bem, só perdeu os sentidos. Que fazemos?
-Vão à procura da Afrodite e contem-lhe o que se passou. Vejam se o rapaz está bem e ajudem o Dário no que for preciso. – Saíram os dois do quarto com um aceno de cabeça. Peguei numa cadeira e sentei-me ao lado da minha cama onde a misteriosa rapariga permanecia inconsciente. Quem será ela? Nunca a vi na casa da Noite nem nunca ouvi ninguém falar nela. Não pode ser de cá, se assim fosse ela teria ido para a Casa da Noite. Permaneci sentada à espera que ela acordasse. Analisei a marca dela. Era tão parecida com a minha, mas era cor-de-rosa, seria ela uma nova espécie de vampyro? Tanto quanto sei as marcas são azuis e agora a dos vampyros vermelhos é vermelha. Sobressaltei-me quando ela se mexeu na cama. Ela estava finalmente a abrir os olhos. Suspirou mais uma vez e abriu os olhos.

Sem comentários: