http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Fanfic: The Girl With The Red Rose - Capitulo 16

Capitulo 16

Joka

Não sei por quanto mais tempo vou aguentar isto. Por quanto mais tempo iria este terror continuar? O meu coração começava aos saltos sempre que o Zomba-Corvos horrível entrava e levava mais um iniciado. Alguns simplesmente saiam pela porta e não voltavam. Outros, pouco tempo após serem levados só se conseguiam distinguir gritos. A professora Beatriz foi a que mais gritara. Conseguia ouvir os gritos desesperados dela pelos corredores.
Angel, eu e Tekas estávamos encostados à parede da pequena sala que mais parecia uma prisão. Sempre virados para as grades com medo de quem seria o próximo a ser levado. O que nos irão fazer? Irão matar-nos? Quando comecei a ouvir passos agarrei-me com toda a força a Angel e Tekas. Só restávamos nós na sala.
- Quem quer ssssser o próximo? – o nojento Zomba-Corvos aproximou-se de mim e prendeu-me pela manga do braço com o seu enorme bico.
-Larga-a sua criatura feia! – Angel empurrou-o e puxou-me para traz.
-Leva-me a mim! E não lhe voltes a tocar!
-Como queirasss rapazzz masss ela vai acabar por vir. – Angel deu-me um beijo rápido e disse que me amava. Não queria deixa-lo ir mas a criatura puxou-o pela camisola. Não tardou muito quando comecei a ouvir os grito de Angel. Foi o som que mais me custou ouvir em toda a vida.

*****
Angel

Não sabia o que me iria acontecer. Facto é que provavelmente me irão matar, e nunca mas irei ver Joka. O Zomba-Corvos puxou-me com o enorme bico para dentro de uma sala. Fiquei horrorizado ao ver a professora Beatriz amarrada a uma cadeira a sangrar do nariz, da boca, da cabeça, estava completamente coberta de nódoas negras.
-Professora Beatriz o que se passa?! – Estava a ficar com medo. Onde estavam os outros iniciado? Iria ser aquele o meu destino? A minha Sacerdotisa cuspiu sangue para o chão.
-Angel, sé corajoso e não lhe contes nada! – não acabara a professora de falar quando entrou uma mulher que mais parecia uma deusa, alta de cabelo ruivo e olhos verdes. Estava acompanhada de um anjo Negro que pela descrição que recebera de David devia ser o tal anjo caído.
-Com que então este rapaz sabe de alguma coisa? – a mulher agarrou a minha Sacerdotisa pelos cabelos, que soltara um gemido.
-O que te aconteceu Nefert? Viraste as costas a Nyx? – Beatriz virou a cara escondendo as lágrimas que lhe começavam a escorrer. A bruxa chamada Nefert aproximou-se de mim.
-Diz-me rapaz onde está a rapariga? Onde está essa tal Mariana?
-Vá-se lixar sua bruxa! – ela sorriu-me e sacudiu o cabelo de uma maneira tão sensual e horrorosa ao mesmo tempo que me deixou os joelhos a tremer.
-Com que então está aqui a resposta! Fez sinal para o anjo que num movimento tão rápido me prendeu a uma cadeira com correntes.
-Vou repetir a pergunta, e tu vais responder-me! Onde está a rapariga?
-Vá se lixar! – ela sorriu e o anjo acertou-me um murro no estômago que me fez vomitar.
-Podemos passar aqui o tempo que for preciso! Onde está a rapariga?
-Não sei!
-Resposta errada! – ela deu-me um estalo que me fez cair da cadeira.
-Eu juro que não sei onde ela está! Quando nos atacaram ela já não estava lá!
-Então fala-me dela! Quem é ela e o que tem ela de especial? – ela aproximou-se do meu ouvido.
-Vá se lixar! – levei mais um tratamento especial da bruxa mas desta vez não consegui conter os gritos e as lágrimas. Quando a bruxa se preparava para me voltar a bater Kalona agarrou-a pelo braço.
-Minha rainha, porquê continuar a usar a violência física? Vamos usar uma mais eficaz. – o anjo mordeu-lhe a orelha e sussurrou-lhe qualquer coisa ao ouvido. A bruxa sorriu e virou-se para o Zomba-Corvos.
-Vai buscar a namoradinha do rapaz e trá-la cá!
-Nem pense nisso sua bruxa! Deixe-a em paz. – a enorme criatura saiu da sala, e Kalona aproximou-se de mim.
-Então rapazinho? Toquei-te na ferida foi?
-Vá mas é bater as asinhas e tocar harpa! – Kalona riu-se afastou-se de mim. Pouco tempo depois Joka entrou na sala. Ela correu para mim e começou a chorar.
- O que lhe fizeram?
-Ainda não lhe fizemos nada. E se não queres que lhe aconteça nada é melhor começares a falar. – Kalona sentou Joka numa cadeira diante de mim, mas não a atou como fizera comigo.
-Diz-me minha querida, como te chamas?
-Maria João.
-Então Maria, quem é a iniciada com a marca especial? – Joka inclinou a cabeça e não respondeu. Sem resposta Kalona olhou para Nefert que me acertou um murro na cara. Joka soltou um grito de desespero.
-Está bem! Eu conto tudo mas não o magoem!
-Joka não, não lhes contes nada. – mal acabar de falar levara logo outro murro na boca.
-Ela é minha companheira de quarto!
-Isso não chega! O que tem ela de especial?
-Não sei! Não falo com ela! – Nefert aproximou-se de Joka e deu-lhe um estalo.
-Mentira! Não tentes enganar-me. – Joka começou a chorar, era impossível mentir-lhe se ela fora mesmo uma Sacerdotisa de Nyx era muito intuitiva. Será impossível mentir-lhe. A tortura e as perguntas não iriam ter fim até eles obterem as suas respostas. O que mais nos iriam eles fazer? Levei mais um murro no estômago, vomitei sangue e foi aí que perdi os sentidos.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Passatempo Queimada - Resultados!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Como sabem, o passatempo Queimada chegou ao fim e já temos os resultados!!!! :)

Os nomes vão ser apresentados junto com o poema.

Ana Moreira, 15 anos, Santo Tirso

Pela noite fui marcada,
e traída acabei por ser.
Como alguém disse, entre a parede e a espada
com a responsabilidade de um grande poder.

Fui escolhida por um propósito maior,
mas queria sair daquele sonho irreal.
Através da amizade, esforço e suor,
tornar-me-ei indomável pelo mal.

Fui perseguida pelo diabo,
não consegui resistir aos seus encantos.
Seduzida pelo passado,
passado esse que magoou tantos.

Por Kalona fui enganada,
Aos seus encantos sucumbi.
E agora no Outro Mundo, Queimada.

Carla Castro, 23 anos, São Domingos de Rana

Quem és, estranho que entras no meu sonho,
Sem licença ou pedido.
Vens de lábio risonho,
Mas com um toque sentido.

Trazes asas cor da noite,
Suaves como cetim.
Quando me tocas harmoniosamente,
Será que é mesmo para mim?

Dizes que já nos conhecemos antes,
Negas-te a dizer quem és.
Não me dizes o que sentes.
Porque me desmentes?

Dizes sempre o contrário,
Com esse olhar medonho.
Até parece que neste horário,
Tens um ar tristonho.

Vens sorrateiro durante a noite,
Alteras-me a visão.
Queres fazer-me acreditar,
Que é a ti que devo amar.

Quem disse ser permitido?
Mudar assim a minha visão.
Sei que te sentes perdido,
E queres ficar com o meu coração.


Parabéns às nossas vencedoras que vão receber um exemplar Queimada!


Que Nyx vos abençoe!

Ritual da Lua Cheia

 Os iniciados da Casa da Noite costumam comemorar o Samhain para homenagear os espíritos dos seus ancestrais (neste caso espíritos de antigos vampiros). Para isso eles fogem da escola à noite, passeando invisivelmente entre os humanos, a fim de realizar um Ritual especial da Lua Cheia, em algum lugar da cidade. Nesses rituais, que acontecem pelo menos uma vez ao mês, os poderes dos cinco elementos – terra, água, ar, fogo e espírito – são evocados como forma de adoração a Deusa Nyx.

 O Sucker for Vampires criou um video em homenagem ao ritual.

 Vejam como se faz:

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Passatempo Queimada - Ultimo dia!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!


Neste passatempo vocês terão que fazer um poema referente à Casa da Noite (não tem que ter o nome, apenas ser sobre a saga), com entre 4 a 8 estrofes.

Prazos

Os poemas devem ser enviados até dia 26 de Maio de 2011 às 23h59, e os resultados serão postados no dia seguinte ou dois dias depois.

Prémios

Haverá dois vencedores, e ambos receberão um exemplar do livro Queimada.

Informação

  • Só é aceite uma participação por pessoa.
  • Os poemas vencedores serão postados no blogue.
  • Envia a tua participação para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Passatempo Queimada" e terão que colocar no e-mail o vosso nome (primeiro e ultimo), localidade (não morada) e idade.


Esperamos pelas vossas participações!

Que Nyx vos abençoe!

Parabéns à Mariana!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

E temos mais um aniversário. A nossa querida Mariana Rodrigues faz hoje 13 aninhos!!!

Parabéns à Mariana de toda a equipa do blogue Casa da Noite Portugal!!!


Que Nyx te abençoe!

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Novas linhas de Dragon's Oath

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Sairam novas falas do novo livro de PC Cast, Dragon's Oath. Ora vejam:

Anastacia virou-se para poder olhar directamente para ele. "Já alguém te explicou a diferença entre confiança e arrogância?"

"Se eu disser não vais dar-me um sermão?"

Ela hesitou antes de falar e então disse, "Não, não acho que vá."

Eles montaram-se no silêncio e depois de um curto espaço de tempo o Dragon suspirou. "Ok, Dá-me um sermão. Eu gosto. A sério."

Que me dizem? Ansiosos?

Que Nyx vos abençoe!

Extras de Loren Blake

Parte 5.5
- Zoey, como essa coisa terrível foi acontecer com Stevie Raey e aos outros novatos? Quem ou o que é responsável por isso?Ela demorou a me responder como se precisasse de tempo para decidir se contava.- Eu... Eu não sei como foi que aconteceu, mas bem que eu queria me lembrar. - Queria mesmo entender Steve Rae, não sabe? - Tentei mais uma vez.Ela negou novamente. O meu interior ficou gelado de medo principalmente por ela. Se Neferet soubesse iria a perseguir e isso não seria bom.- Provavelmente foi por isso Nyx pediu para protegêla.Trouxe-a para mais perto de mim. Como seria bom se eu pudesse ficar com ela assim abraçada para sempre assim nada aconteceria a ela.- Mas quem sabe alem de mim e de você?- Ninguém.Deixou-me mais aliviado. Eu não contaria de jeito nenhum, nem sob tortura.- Aphrodite não sabe. Eu a ouvi falando com umas garotas que seus pais iam ficar fora pelo resto do inverno... Foi assim que eu soube que o apartamento estava vazio, então levei Stevie Era para lá.- Mas como você sabe que ela ainda está no apartamento de Aphrodite e que está tudo bem?- Ahn?- Ah, eu dei um celular para ela. Posso ligar ou mandar mensagens. Acabei de conferir se ela estava bem agora pouco. Eu talvez precise de sua ajuda.Isso me alegrou é exatamente o que eu queria fazer.- Pode pedir qualquer coisa.- Vou ter que trazer Stevie Rae aqui para a escola, ou então vou ao encontro dela com a gangue.- A gangue?- Você sabe Damien, as gêmeas e Aphrodite, para traçarmos um círculo. Sinto que vou precisar deles para invocar os elementos e ajudar Stevie Era. - Mas você disse que eles não sabem de Stevie- Era. E não sabem. Vou ter que contar para eles, mas primeiro quero definir o eu vou fazer para resolver o probleminha de Stevie Era. Mas, na verdade, eu não queria contar nada.- Quer dizer que você e Aphrodite na verdade são amigas?Como estávamos carimbados eu sabia que ela não estava me contando tudo. Porque ela não confia em mim? Eu não entendo. Ela negou novamente, mas eu a senti tensa como se não estivesse falando a verdade.- Ótimo, Pelo que ouvi falar Aphrodite tem sérios problemas. Você não deve confiar nela.- E não confio.- Pelo que sei de Aphrodite nem as amigas dela queriam mais ela por perto, com todo este histórico de trair as pessoas e até expulsa das Filhas das Trevas ela foi. Ei, relaxe. Sei que a aborrece falar dessas coisas. Estou aqui agora. Vamos dar um jeito nisso. Vamos dar um passo de cada vez.Comecei a beijá-la e o sangue acelerou novamente nos levando a repitir o que fizemos a quinze minutos atrás. Quando Erik apareceu, meu instinto protetor fez com que me posicionasse na sua frente para esconder a sua nudez.- Você esta nos interrompendo.- É estou vendo. – disse Erik e saiu.- Aimeudeus! Aimeudeus! Não acredito que isso aconteceu!- Baby, esta tudo bem. Uma hora ele ia ter de saber sobre nos.- Mas, não assim. Erik descobrir assim é tão horrível que não sei o que dizer. E agora todo mundo vai saber. Isso é péssimo, Loren! Você é professor e eu sou novata. Não existe regras contra isso? Para não falarmos que nos carimbamos.- Zoey, meu amor, me escuta. Erik não vai dizer nada a ninguém.- Vai, sim! Você viu a cara dele. Claro que ele não vai guardar segredo por minha causa, nunca mais vai fazer nada por mim.- Ele vai ficar de bico calado porque vou mandar que fique. – nem que eu tenha que lhe dar uns cascudos bem dados. A raiva explodiu em mim.- Não faça mal a ele.- Ah, meu bem, não se preocupe. Não vou fazer mal a ele. Só vou conversar.- Tenho que ir.- Tá tudo bem. Também tenho que ir.- Você esta com cara de cansada.- É estou.- Vai dormir amor. Amanhã agente se vê.- Como? Quando?- Não se preocupe. Não vai demorar. Eu a procuro depois que dormirmos um pouco.“Acordo de um sonho contigoNa primeira noite de doce sonoQuando os ventos sussurram baixinho,E as estrelas brilham demaisAcordo de um sonho contigo,E um espírito em meus pésMe conduziu – sabe-se lá como –À janela de teu quarto, minha doçura!”- Você escreveu isso?- Não, Shelley. Difícil acreditar que ele não era vampiro, não é mesmo?- Ahã- Amanhã te procuro. Juro.

terça-feira, 24 de maio de 2011

"O Beijo das Sombras", de Laurell K. Hamilton

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!



Autor(a): Laurell K. Hamilton
Editora: Saída de Emergência
Data de Lançamento: Abril 2011

Sinopse:

Os mais supremos seres sobrenaturais são fadas Sidhe, uma raça tão bela e poderosa que foi em tempos adorada como os deuses. Não só são luxuriosos, como incrivelmente bons amantes. Quando têm sangue real... são literalmente viciantes. Fadas de sangue puro não toleram as cidades e raramente vivem entre os humanos. Mas Meredith Gentry não é de puro-sangue. Ela tem sangue humano e por isso é mortal. Talvez também por isso, sinta que não pertence a lugar nenhum. Meredith Gentry, princesa da corte real das Fadas, faz-se passar por humana em Los Angeles, onde trabalha como detective privada. Mas, agora, o carrasco da rainha foi enviado para a levar de volta para casa – quer ela queira quer não. Subitamente, Meredith vê-se como um mero peão encurralado nos terríveis planos da sua tia. A tarefa que a aguarda: desfrutar da companhia constante dos homens imortais mais bonitos do mundo. A recompensa: a coroa – e a oportunidade de salvar a sua vida. O castigo por fracassar: a morte.

Benditos sejam!

Fim de sondagens sobre meeting + novas sondagens!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

As sondagens sobre o meeting já encerraram e os resultados foram os seguintes:

Em que altura do dia te dá mais jeito um meeting da Casa da Noite?

Manhã - 8 (6%)
Tarde - 61 (52%)
Noite - 61 (52%)

Em que dia da semana te dá mais jeito um meeting da Casa da Noite?

Segunda - 4 (3%)
Terça - 4 (3%)
Quarta - 9 (7%)
Quinta - 6 (5%)
Sexra - 31 (26%)
Sábado - 77 (66%)
Domingo - 33 (28%)

Em que mês te dá mais jeito um meeting da Casa da Noite?

Janeiro - 8 (7%)
Fevereiro - 7 (6%)
Março - 6 (5%)
Abril - 8 (7%)
Maio - 10 (8%)
Junho - 43 (37%)
Julho - 63 (55%)
Agosto - 44 (38%)
Setembro - 16 (14%)
Outubro - 12 (10%)
Novembro - 13´(11%)
Dezembro - 11 (9%)

Poemos concluir que a preferencia dos fãs é num Sábado de Julho. Empatou a tarde e a noite, por isso a votação irá ser estendida por mais uma semana.

E vou por uma outra votação. Eu, administradora do blogue, sou da cidade do Porto e não estou em boa posição para ir a Lisboa organizar um meeting. Então a próxima sondagem será: Se o meeting fosse na cidade do Porto, tu irias?

Espero as vossas respostas!

Que Nyx vos abençoe!

Passatempo Queimada!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!


Neste passatempo vocês terão que fazer um poema referente à Casa da Noite (não tem que ter o nome, apenas ser sobre a saga), com entre 4 a 8 estrofes.

Prazos

Os poemas devem ser enviados até dia 26 de Maio de 2011 às 23h59, e os resultados serão postados no dia seguinte ou dois dias depois.

Prémios

Haverá dois vencedores, e ambos receberão um exemplar do livro Queimada.

Informação

  • Só é aceite uma participação por pessoa.
  • Os poemas vencedores serão postados no blogue.
  • Envia a tua participação para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Passatempo Queimada" e terão que colocar no e-mail o vosso nome (primeiro e ultimo), localidade (não morada) e idade.


Esperamos pelas vossas participações!

Que Nyx vos abençoe!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Fanfic: The Girl With The Red Rose - Capitulo 15

Capitulo 15

Zoey

Já passaram 2 semanas desde que estamos a viver aqui em baixo, ainda não sei o que havemos de fazer. Nefert e Kalona são muito poderosos e não sei como derrota-los. Só temos duas hipóteses, ou começamos a arranjar ideias como dar cabo deles ou ficamos à espera de um sinal de Nyx. A segunda opção até agora parece-me a mais acertada, não só pelo facto de nem Damien ter ideias como também estamos completamente cercados por Zomba-Corvos. Os iniciados vermelhos estão a ficar desesperados com a ideia de lhes faltar o sangue. E nenhum de nós está com vontade de ser mordidos por eles. Ainda temos mantimentos para um mês e graças a Afrodite temos boas condições nos túneis. Estávamos todo bem, Damien e Jake, Afrodite e Dário, as Gémeas, a minha melhor amiga Stevie Rae e os seus iniciados vermelhos e eu e Erik voltámos a namorar. Apesar de eu pensar dia e noite em Stark não me consigo esquecer de como ele ficara repugnante e de como obedecera tão fielmente às ordens de Nefert.
-Sacerdotisa! Sacerdotisa! Temos problemas! – Dário entrou no meu quarto improvisado de rompante.
-O que se passa Dário?
-Perdoai entrar desta maneira nos seus aposentos Sacerdotisa, mas está uma barulheira lá fora e acho que os Zomba-Corvos estão a atacar alguém!
. O quê? – Desatei a correr até à parte de cima abrindo muito devagar a porta. Será algum iniciado que consegui fugir da Casa da Noite e anda agora à nossa procura? Ou será um esquema de Nefert para nos distrair e fazer com que saíamos? Olhei para fora com cuidado. Estava um rapaz deitado no chão a ser atacado por um Zomba-Corvos. Preparei-me para invocar os elementos para ajuda-lo.
- Pára! Afasta-te, não te aproximes dele. – Berrava para uma rapariga que estava mesmo aqui encostada à porta diante de mim. Nem tinha reparado nela. Ela começou a correr na direcção dele. Senti uma rajada de vento como de fosse um tornado a girar à volta dela. Ela elevou as mãos na direcção do Zomba-Corvos e atingiu-o com um raio de energia. Parecia fogo-de-artifício cor-de-rosa, um raio que com uma velocidade inumana atingiu o Zomba-Corvos e o fez estremecer no chão. Ela correu para o rapaz e ajoelhou-se diante dele. Fiquei a observar. Quem seria aquela rapariga?
Filha, cuida da pequena Mariana, ela vai ajudar-te.
Ouvi a voz de Nyx dentro de mim. Fiquei tão feliz. Finalmente um sinal da nossa Deusa!
-Dário! Ajuda-me a traze-los para dentro!
-Tem a certeza que é seguro sacerdotisa?
-Tenho! Nyx mandou-os para nos socorrerem! Temos de os ajudar. – Abri a porta ainda hesitante, mas corri logo na direcção da rapariga com Dário a meu lado. Ela pareceu ter perdido os sentidos. E o sangue do rapaz fez-me crescer água na boca. Ao ouvirem nos gritar por ajuda Jake e Damien saíram logo cá para fora e ajudarem-me a transporta-los para dentro. Dário pegou no rapaz ferido e Jake e Damien pegaram ambos na rapariga.
-Olha só para a marca dela Z! – Aproximei-me da rapariga e olhei para a testa dela. A marca dela era tão diferente! Tinha uma meia-lua cor-de-rosa completamente preenchida e subitamente a tatuagem começou a espalhar-se para os lados num contorno bonito tal como a minha.
-Ela é especial! Tal como eu! Levem-nos já para dentro! Dário importas-te de cuidar do rapaz? Acho que não consigo lidar com todo esse sangue.
-Claro, Sacerdotisa.
-E mantém-no afastado dos iniciados vermelhos. – Dário assentiu com a cabeça e pegou no rapaz que soltou um gemido de dor.
-Jake, Damien levem a rapariga para o meu quarto. Tratamos lá dela. – Levaram a rapariga para o meu quarto deitando-a na minha cama. Stevie Ray ainda estava na cama ao lado a recuperar.
-Zoey, ela parece bem, só perdeu os sentidos. Que fazemos?
-Vão à procura da Afrodite e contem-lhe o que se passou. Vejam se o rapaz está bem e ajudem o Dário no que for preciso. – Saíram os dois do quarto com um aceno de cabeça. Peguei numa cadeira e sentei-me ao lado da minha cama onde a misteriosa rapariga permanecia inconsciente. Quem será ela? Nunca a vi na casa da Noite nem nunca ouvi ninguém falar nela. Não pode ser de cá, se assim fosse ela teria ido para a Casa da Noite. Permaneci sentada à espera que ela acordasse. Analisei a marca dela. Era tão parecida com a minha, mas era cor-de-rosa, seria ela uma nova espécie de vampyro? Tanto quanto sei as marcas são azuis e agora a dos vampyros vermelhos é vermelha. Sobressaltei-me quando ela se mexeu na cama. Ela estava finalmente a abrir os olhos. Suspirou mais uma vez e abriu os olhos.

Sugestão Literária: "Paranormalidade"

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!


Título original: Paranormalcy (2010)
Autora: Kiersten White
Tradução: Inês Castro
Editora: Planeta Manuscrito (2011)

Sinopse:

Evie nunca chegou a conhecer os seus pais e tão pouco sabe de onde veio. Sabe apenas que tem um dom único e que foi acolhida pela Agência Internacional de Contenção Paranormal, tornando-se esta a sua casa e o local onde trabalha. Evie tem a capacidade de ver para lá dos disfarces dos paranormais, identificando-os com grande facilidade. Não admira que seja uma mais-valia para a AICP, cuja função é identificar e neutralizar os paranormais, leia-se: vampiros, lobisomens, bruxas, fadas, entre outros.
Apesar de toda esta paranormalidade, Evie sempre se achou uma adolescente normal. Isto é, até surgir uma série de assassinatos de paranormais e de começar a ter sonhos com estranhas vozes proféticas. Tudo isto dá-lhe a entender que pode, de alguma forma, estar relacionada com aquelas mortes e envolvida numa estranha e sinistra profecia de fadas.

Crítica (Blog Bela Lugosi is Dead):

Paranormalidade revelou-se uma agradável surpresa, em grande medida devido às baixas expectativas que os livros direccionados ao público jovem adulto ultimamente tendem a despertar. A história não é do tipo lamechas e não gira essencialmente em torno do romance entre duas personagens, mas sim dos mistérios a desvendar e dos obstáculos a ultrapassar. Em contrapartida os capítulos estão pejados de vocabulário adolescente, como yá e bué, o que se torna um pouco irritante, assim como o facto de a protagonista tratar os adultos que acaba de conhecer, pela segunda pessoa do singular.
Paranormalidade é uma obra de fácil leitura: a escrita é acessível e sem floreados, pouco descritiva e com personagens algo simples, mas no entanto, minimamente interessantes.
Kiersten White construiu uma narrativa interessante e cativante, capaz de nos manter a curiosidade até à recta final. Por cá, ficamos a aguardar a chegada de Supernaturally com expectativas mais elevadas.

Rita Verdial


Benditos sejam!

domingo, 22 de maio de 2011

sábado, 21 de maio de 2011

Personagens Casa da Noite Portugal no Facebook!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

A Casa da Noite Portugal vem agora trazer-vos uma sugestão. Estamos no Facebook a fazer perfis com as personagens da Casa da Noite, e o intuito é fazermos história com elas, ou seja, as personagens falarem entre si como na história, sendo amigos, amando e odiando aqueles que o fazem no livro e tendo conversas que as mesmas teriam. Que acham?

--- Queres ser uma personagem da Casa da Noite Portugal? Envia uma mensagem no facebook para a Deusa Nyx e dá o nome da personagem que queres, desde que a mesma ainda não tenha sido escolhida. A personagem será dada a primeira pessoa que a pedir. Tens que por as verdadeiras informações de cada personagem, tal como está no nosso blogue. As verdadeiras personagens estarão como filhos da Deusa Nyx! ---

Isto não invalida que cries uma personagem repetida, apenas as oficais serão aquelas, e essas vão conviver entre si pelo Facebook como se fossem as personagens do livro, odiando-se e amando-se como acontece na história original, e serão também as únicas personagens que farão parte do grupo Personagens da Casa da Noite Portugal. Vale a pena lembrar que todos os fãs podem entrar no grupo excepto com perfis de personagens da Casa da Noite.

As personagens Neferet, Zoey e Afrodite já estão escolhidas! Acompanhem tudo no facebook Casa da Noite Portugal ou Deusa Nyx.


Que Nyx vos abençoe!

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Lenda Cherokee: Árvore de Cedro

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

Encontrei uma lenda cherokee o blog House of Night Br, mas que originalmente é do blog Sucker for Vampires.

Árvore de Cedro



Há muito tempo atrás, quando o povo Cherokee era novo na terra, eles achavam que a vida seria muito melhor se nunca houvesse nenhuma noite. Eles pediram para o Ouga (criador) que poderia ser dia o tempo todo e que não houvesse escuridão.

O Criador ouviu as suas vozes e fez cessar a noite, sendo dia o tempo todo. Logo, a floresta era densa com o crescimento intenso. Tornou-se difícil a caminhada e encontrar os caminhos. As pessoas trabalhavam nos jardins longas horas tentando manter as ervas daninhas puxado entre as plantas de milho e outros alimentos. Ela ficou quente, muito quente, e continuou dia após dia. As pessoas começaram a ter dificuldade para dormir e se tornaram temperamentais discutindo entre si.

Não passaram muitos dias antes de as pessoas perceberem que tinham cometido um erro e, mais uma vez, eles pediram para o Criador. “Por favor”, eles disseram, “nós cometemos um erro em pedir que seja dia o tempo todo. Agora nós achamos que deveria ser a noite o tempo todo.” O Criador fez uma pausa neste novo pedido e pensou que talvez o povo poderia estar certo, apesar de todas as coisas serem criadas em pares … representa para nós dia e noite, vida e morte, bem e mal, os tempos de fartura e os tempos de fome. O Criador amava as pessoas e decidiu fazer a noite o tempo todo como haviam solicitado.

O dia terminou e noite caiu sobre a terra. Logo, as plantações pararam de crescer e tornou-se muito frio. As pessoas passaram grande parte do seu tempo na recolha de madeira para as fogueiras. Eles não podiam ir à caça de carne e, sem cultivo não demorou muito até o povo estar com frio, fraco e com muita fome. Muitas pessoas morreram.

Aqueles que permaneceram vivos se reuniram mais uma vez, rogando ao Criador. “Ajude-nos Criador”, gritaram! “Cometemos um erro terrível. Você tinha feito o dia e a noite perfeita, e como deve ser, desde o início. Pedimos que nos perdoe e faça o dia e a noite como era antes.”

Mais uma vez o Criador ouviu o pedido do povo. O dia e a noite tornaram-se, como o povo pediu, como tinha sido no começo. Cada dia era dividido entre luz e trevas. O tempo tornou-se mais agradável, e as colheitas começaram a crescer novamente.As plantções era abundantes e a caça era boa. O povo tinha muita coisa para comer e não havia muita doença. As pessoas tratavam uns aos outros com compaixão e respeito. Era bom estar vivo. O povo agradeceu ao Criador pela sua vida e pela a comida que eles tinham para comer.

O Criador aceitou a gratidão do povo e estava contente de vê-los sorrindo novamente. No entanto, durante as longas horas do dia e da noite, muitas pessoas tinham morrido, e o criador ficou com pena. O Criador colocou seus espíritos em uma árvore recém-criada. Esta árvore foi nomeado um tsi–nd TLU-GV (ah-ver-na-loo guh) cedro.

Quando você sentir o aroma do cedro ou contemplá-lo em pé na floresta, lembre-se que se você estiver Tsalagi Cherokee, você está olhando para o seu antepassado.

A tradição afirma que a madeira do cedro possui poderosos espíritos protetores para os Cherokee. Muitos carregam um pequeno pedaço de madeira de cedro em suas bolsas de medicina ao redor do pescoço. Também é colocada acima das entradas das casas para proteger contra a entrada de espíritos malignos. O tambor tradicional seria feito de madeira de cedro.

Benditos sejam!


















Fanfic: Sangue Cruzado - Capitulo 10 - FINAL



CAPÍTULO DEZ

Já haviam passado duas semanas após aquela noite. Fred e eu estávamos mais unidos que nunca agora. Aonde quer que fossemos, nunca nos separávamos. Ainda para mais, segundo as noticias, o Povo da Fé estava a aproximar-se de Vancouver e não convinha nada que nos encontrasse. Fomos pensado e pensando, chegando a tomar uma decisão. Tínhamos que sair dali. Estava neste preciso momento a fazer as minhas malas, enquanto Fred fizera as suas no dia anterior. Apesar de ser quase meio-dia, hora à qual não estava nada habituada a acordar, continuava a meter toda a minha roupa dentro da mala.
Fred não estava no motel. Fora atestar o depósito da sua carrinha, cuja existência não sabia mas que fora uma completa surpresa para mim. Ouvi alguém a bater à porta, entrando de seguida. Duas mãos me rodeavam a cintura, puxando o meu corpo para si.
- Então…estás pronta? – Perguntou Fred, enquanto me dava beijos sedutores pelo pescoço.
- Sim. Estou mesmo quase a acabar. – Respondi, virando o meu corpo e olhando-o frente-a-frente.
Após alguns minutos, já tinha tudo arrumado. Os armários estavam vazios e a cama feita, sem qualquer vestígio de ser sido alguma vez usada. Estava tudo no seu devido lugar. Adiantei-me e levei as minhas malas para a carrinha, metendo-as ao lado das de Fred. Ele já se encontrava dentro da carrinha, a ligar a ignição, pronto a metê-la a andar. Entrei de seguida e sentei-me a seu lado, fechando de seguida a porta. Pus o cinto e o veículo começou a andar. Uma das mãos dele estava sobre a minha, transmitindo de novo aquele sentimento que inquietou durante toda a minha estadia naquele lugar.
- Uma nova vida juntos. Embora ainda tenhas que passar pela mudança, eu estarei sempre a teu lado. – Falou, enquanto mantia os olhos na estrada.
- Juntos… – Falei num suspiro. Mal conseguia acreditar que tudo aquilo era real. Não era como aquele sonho que tivera antes daquele ataque que nunca lhe contara. Não queria preocupá-lo. Agora íamos iniciar uma nova vida. Diferente daquela vida imortal que ele tinha e que eu provavelmente também teria. Via pelo retrovisor aquela pequena cidade a afastar-se cada vez mais. Explorar o mundo novamente mas com alguém a meu lado era algo que nunca imaginara que fosse acontecer. Mas agora estava junto a Fred e nada me faria afastar dele. Sentia a bênção de Nyx sobre nós e isso era mais que suficiente. Olhamos juntos para o futuro, sem temer nada do que pudesse aparecer pela frente. Eu amava Fred e ele a mim. Acabamos por desaparecer na infinita linha do horizonte, enquanto observamos o anoitecer a chegar.

FIM

quarta-feira, 18 de maio de 2011

"A Noite de Todas as Almas", de Deborah Harkness

Feliz encontro Filhos e Filhos das Trevas!



Título: A Noite de Todas as Almas
Autor(a): Deborah Harkness
Editora: Casa das Letras
Data de lançamento: Março de 2011
N.º de páginas: 704

Sinopse:



Num final de tarde de Setembro, quando a famosa historiadora de Yale, Diana Bishop, abre casualmente um misterioso manuscrito medieval alquímico há muito desaparecido, o submundo mágico de Oxford desperta. Vampiros, bruxas e demónios farão tudo para possuir o manuscrito que se crê conter poderes desconhecidos e pistas misteriosas sobre o passado e o futuro dos humanos e do mundo fantástico.
Diana vê a sua pacata vida de investigadora invadida por um passado que sempre tentou esquecer: ela é a última descendente da família Bishop, uma longa e distinta linhagem de bruxas de Salem, marcada pela morte misteriosa dos pais quando era criança. E do meio do turbilhão de criaturas mágicas despertadas pela redescoberta do manuscrito surge Matthew Clairmont, um vampiro geneticista de 1500 anos de idade, apaixonado por Darwin. Juntos vão tentar desvendar os segredos do manuscrito e impedir que caia em mãos erradas. Mas a paixão que cresce entre ambos ameaça o frágil pacto de paz que existe há séculos entre humanos e criaturas fantásticas... e o mundo de Diana nunca mais voltará a ser o mesmo... Uma história arrebatadora que mistura História, magia, aventura e romance. Para os leitores de Dan Brown, J.K. Rowling, Stephenie Meyer e Elizabeth Kostova.

Benditos sejam!









segunda-feira, 16 de maio de 2011

Meeting - Sondagens

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

De maneira a podermos fazer um meeting da Casa da Noite em Portugal, e como nunca há participantes suficientes, pus no lado das sondagens trÊs novas sondagens de modo a poder saber a vossa disponibilidade. Peço a vossa colaboração e que respondam, por favor!


Obrigada e que Nyx vos abençoe!

Fanfic: The Girl With The Red Rose - Capitulo 14

Capitulo 14

A simpática freira contou-nos que desde que Kalona subira à terra que Oklahoma já não era o que era antes. A casa da Noite de Tulsa estava completamente cercada por Zomba-Corvos. Ninguém sabe o que se passa lá dentro. Não nos soube dar pormenores mas pelos vistos tudo começou com iniciados que eram ressuscitados pela Sacerdotisa de Tulsa. Depois de mortos ficavam com os olhos vermelhos e só se alimentavam de sangue, pela descrição eram asquerosos. Mas a neta Zoey Redbird da senhora que estava já há dias inconsciente, conseguiu salvar a sua melhor amiga que também se tornara uma vampira vermelha. As freiras aconselharam-me a ir procurar a Zoey, ela também é especial para a nossa Deusa e juntos poderemos lutar contra Kalona. Não conseguia estar calma, só conseguia pensar nos meus amigos. O que será que fizeram à Joka? Será que ela…? Não! É a minha melhor amiga, não a posso perder… temos que salva-los!
-Onde podemos encontrar a Zoey?
-Não te sei dizer ao certo. Ela só nos ligou para saber se a avó dela estava bem e se estavam debaixo de terra. Mas pelo que percebi ela e os outros iniciados também estão nos esgotos. Talvez devam procurar nos esgotos perto da casa da Noite. A Zoey é esperta e sabe que Nefert e Kalona nunca a iriam procurar tão perto da Casa da Noite. Eles acham que ela está com medo e se esconde do outro lado da cidade.
-Não nos sabe dar mais pormenores acerca de Kalona e como lutar com ele?-o meu namorado estava a pensar nos detalhes, coisa que devia ser eu a fazer, mas estou demasiado nervosa para isso. Ele estava calmo, como sempre parecia ter todas as suas emoções sob controlo.
-Não, desculpa mas não sabemos muito. A única coisa que sabemos é que ele não gosta da terra. A única pessoa que te podia dar mais pormenores era a avó da Zoey mas como podes ver ela está inconsciente desde que foi atacada. Mas não se preocupem muito com isso agora. Agora o mais importante é encontrarem a Zoey. – despedimo-nos das simpáticas freiras que nos desejaram boa sorte e nos traçaram uma mapa dos locais da cidade que devíamos evitar. Estavam traçados com um traço vermelho principalmente os que se encontravam perto da Casa da Noite, também estava traçado o local onde Zoey e os outros iniciados poderiam estar escondidos. Pegámos nas coisas e despedimo-nos das freiras que nos sorriram e acho que desejaram boa sorte em inglês.
Subimos a escada da “cave” e David abriu a porta com precaução verificando se podíamos sair em segurança. Já era tarde, não havia vestígios de estrelas no céu, apenas nuvens negras.
-Talvez é melhor voltarmos para a pousada ou encontrar um abrigo, está muito escuro e pode ser perigoso… - consegui sentir que David estava com receio e tentei acalma-lo com o meu dom. Não precisei de lhe dizer nada para que ele percebesse que não concordava com o que ele acabara de dizer. Sorri-lhe e abanei a cabeça de modo a faze-lo perceber que não valia a pena discutir o assunto.
-Não vale mesmo a pena, casmurra como sempre… -deu-me a mão e percorremos as ruas tentando seguir o mapa o melhor possível.
-Olha, é ali a entrada para os esgotos! – Corremos em direcção aos esgotos mas senti que algo estava errado.
-Pára!
-O que se passa Mariana?
-Está ali um Zomba-Corvos naquela árvore. – Apontei para a árvore escura onde se encontrava uma horrível criatura de olhos vermelhos. Tentei ver se alcançava as emoções dele para ver o estado de espírito dele. Ele parecia estar irritado. E definitivamente estava a odiar o que estava a fazer, mesmo que quisesse não havia nada que eu pudesse fazer.
-O que fazemos agora?
-Temos de tentar entrar sem que ele nos apanhe! David fez um ar pensativo e levantou-se.
-David nem penses nisso! Tu não vais por a tua vida em risco desta maneira!
-Mas é a única hipótese que temos de conseguires entrar.
-Eu não vou sem ti! Mais vale ficarmos à espera que ele se vá embora.
-Mariana tenho a certeza de que ele não se vai embora. Kalona e a tal Nefert devem desconfiar que a Zoey e os outros iniciados estão ali e estão de vigia. Não temos outra hipótese. – David baixou-se e beijou-me. Quando o beijo terminou não me deu tempo de o impedir. Começou a correr em direcção à entrada da cave e parou pouco antes chamando assim a atenção do Zomba-Corvos.
-SSSSeu iniccciado estúpido. Não me vaisss escapar. – o Zomba-Corvos atirou-se a David com as suas enormes garras. David baixou-se a tempo mas a criatura arrancou-lhe a mochila das costas. Comecei a correr em direcção à porta da cave e bati no tampo berrando por ajuda em inglâs.
-Help!!! – continuei a pedir ajuda e que me abrissem a porta mas nada. Ouvi David soltar um grito agudo que me exaltou de imediato. A criatura estava a prende-lo com as suas enormes garras. Não consegui controlar-me. Senti uma enorme raiva dentro de mim, senti que todo o meu corpo estava a arder. Corri na direcção da criatura.
-Pára, afasta-te não te aproximes dele! – David gritava-me. Senti um pequeno tornado formar-se à minha volta. Estava tão irritada que estava capaz de matar alguém. Senti as palmas das mãos a arder, parecia electricidade. Era como ter um raio de cor-de-rosa nas mãos. Ao ver-me o Zomba-Corvos afastou-se de David e voo na minha direcção. Fiz um gesto para a frente com as mãos e o raio atingiu a criatura que se estendeu ao comprido. Ele tremia no chão e os seu olhos raiados de sangue fecharam-se. Corri para junto de David que estava deitado a agarrar o braço. Ajoelhei-me e examinei os ferimentos.
-Oh não! Tens três furos no ombro. Estas a deitar muito sangue. - tirei-lhe o casaco e senti um aroma fantástico vindo dele que me fez crescer água na boca. Franzi o nariz e tentei levanta-lo pelo ombro são, mas estava sem forças e não consegui levanta-lo. Sentei-me no chão encostando a cabeça ao ombro dele e comecei a chorar. Estava completamente desesperada. Se não nos tirasse dali depressa David iria esvaíra-se em sangue. Seria este o nosso fim? Só consegui distinguir duas sombras a aproximarem-se de mim antes de perder os sentidos.



sexta-feira, 13 de maio de 2011

Catálogo Paranormal

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Uma fã enviou-nos o scanners do catalogo paranormal que veio com o livro Sangue Mortifero, da colecção do Sangue Fresco, que tem como capa a mesma do livro Queimada e fala da Casa da Noite. Aqui estão as imagens referentes à Casa da Noite e a capa.




Devo referir, com uma certa necessidade de uma babete, que a Casa da Noite é a primeira saga a ser falada (reparem no indice) ;)

Que acham?

Obrigada Jéssica Fraccaroli!

Que Nyx vos abençoe!

Passatempo Queimada!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Em primeiro lugar queria pedir desculpa por não ter havido postes nos ultimos dias, mas o blogger não estava a funcionar no que diz respeito a postes e acesso a contas, vocês conseguiam comentar, mas eu não conseguia aceitar.

Agora o que interessa, o PASSATEMPO QUEIMADA!!!! O livro já não está previsto, mas certo, para dia 3 de Junho =) Devido ao pouco tempo que resta até ao lançamento do livro, vamos fazer um passatempo simples, ou como nos foi dito, arranjamos "uma Saída de Emergência" =)

Neste passatempo vocês terão que fazer um poema referente à Casa da Noite (não tem que ter o nome, apenas ser sobre a saga), com entre 4 a 8 estrofes.

Prazos

Os poemas devem ser enviados até dia 26 de Maio de 2011 às 23h59, e os resultados serão postados no dia seguinte ou dois dias depois.

Prémios

Haverá dois vencedores, e ambos receberão um exemplar do livro Queimada.

Informação

  • Só é aceite uma participação por pessoa.
  • Os poemas vencedores serão postados no blogue.
  • Envia a tua participação para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Passatempo Queimada" e terão que colocar no e-mail o vosso nome (primeiro e ultimo), localidade (não morada) e idade.


Esperamos pelas vossas participações!

Que Nyx vos abençoe!

Fanfic: Sangue Cruzado - Capitulo 9


CAPÍTULO NOVE

Aquela noite que estava supostamente prevista para ser uma como todas as outras. Mas justamente quando Fred chegara, ele apenas tomou controlo do destino, tornando-o justamente tal e qual a sua vontade. Eu apenas não sabia o que queria. O que desejava fazer na nova vida que me afrontara. O sentimento do desejo que tinha por ele apenas se intensificou com apenas um simples toque dos seus lábios. Estava desprotegida, mas fora ele quem quebrara o muro que me afastava do perigo. Apenas me debrucei sobre os seus braços, sem nunca me afastar dele.
Afastei-me um pouco e encarei-o. Desviou as madeixas de cabelo que cobriam a minha marca e olhou-me atentamente. Um brilho notável instalara-se nos seus olhos vermelhos e beijou-a carinhosamente. Não se importava com ela nem com o facto de eu ser diferente. Estava dividida entre a humanidade e as alterações que começava a sofrer para me tornar vampyra. Mas Fred era de um outro género de vampiros. Vampiros que não tinham marcas nem tatuagens, provas que Nyx dava aos seus escolhidos. Era isso que o tornava especial.
Levantou-se solenemente da relva, pegando em mim com muita facilidade. Novamente me beijou e levou-nos aos dois para dentro do motel. E mais uma vez, parecíamos ocultados do resto do mundo. Lembro-me do Fred ter falado que alguns da sua espécie eram abençoados com dons que os tornavam diferentes dos demais. Assim como os meus. Só que em vez de dons, eram concebidas afinidades pela deusa e uma vez que as dava, nunca as retirava. E o livre-arbítrio nunca era interferido por ninguém. Éramos nós quem tomávamos as decisões. Ninguém no influenciava para tal.
Continuamos a caminhar pelo corredor, até chegarmos ao meu quarto. A princípio, comecei a pensar para onde ele me levaria, até que abriu cuidadosamente a porta e fez-nos entrar, encerrando a porta com o pé. Chegou ao pé da cama e deitou-me lentamente sobre ela. Nunca deixara de olhar para mim, nem por um segundo. Os seus olhos ardiam com fulgor pelo seu desejo, que eu continuava a perguntar-me qual seria ele. Deitou-se na outra parte da cama e levou o meu corpo para junto do dele. Os seus lábios novamente encontraram os meus, deixando-os envolventes numa torrente de sentimentos que julgara nunca conhecer.
Uma das minhas mãos fora de espontânea vontade contra o seu cabelo, afagando-o fervorosamente. E quando tracei um caminho com ela na sua face, ele sorriu. Sorriso o qual me deixava contente. Enquanto ele me retirava cada parte da minha roupa que me prendia à própria segurança que eu mantivera por um longo tempo, não sei como mas ambas as minhas mãos foram retirando a sua camisola, como se desejassem tê-lo há muito tempo. No final de tudo, acabamos os dois por ficar sem nada vestido. Foi parando de me beijar os lábios, para poder prosseguir com os seus beijos carentes pelo meu pescoço.
Cada parte de mim fora deixada com uma marca que só ele podia fazer. Sentia a sua pele a encostar-se à minha, deixara-me sem reacção. Parecia que o meu corpo o reclamava como sendo o único que me podia tocar de forma tão íntima como estava a fazer naquele momento. O seu olhar rapidamente reencontrou o meu. Ganhara um novo brilho diferente daquele que eu me dera a conhecer. Fred estava diferente. Levantou o seu corpo formidável para cima do meu, sentindo toda a sua pele a colar-se à minha pele. Era uma sensação reconfortante.
- Mal acredito que tudo isto nos está a suceder. – Disse-lhe timidamente.
- Acredita que isto tudo é a realidade. Não é um sonho nem nada do que se pareça. – Respondeu, enquanto me beijava solenemente. - Se eu não tivesse fugido antes daquela guerra, nunca te teria conhecido.
- Queres falar sobre isso? Não tem mal se não quiseres.
Acenou afirmativamente com a cabeça e enquanto puxava os lençóis para nos cobrir, contava cada pormenor do que havia acontecido. Sentia-se muito só numa cave escura algures em Seattle, no meio de muitos outros recém-nascidos. Tinha um dom, como já havia desconfiado. Podia fazer com que ninguém olhasse para ele e vice-versa, mas apenas se deixava ver para as pessoas que considerava realmente honestas e verdadeiras. Sentia um enorme vazio naquele lugar. Só se interessavam por ele apenas pelas suas capacidades. Era apenas uma marioneta a ser controlado pela “ela” e pelo Riley. Mas no que dependesse de mim, isso não iria voltar a acontecer. Nem a mim, nem a ele.
Voltei a beijá-lo com mais intensidade, não por pena do que lhe havia acontecido mas pelo facto de que gostava dele e que recordar memórias do passado nos fazia sentir remorsos e uma tristeza profunda. Os nossos corpos estavam unidos e os nossos sentimentos ligados. Estava tudo a ser esclarecido naquele momento. Cada segredo se ia revelando a cada minuto. Entreguei-me a ele, retribuindo com um beijo que parecia durar eternamente. Uma noite de amor nos preencheu, assim como uma onda de felicidade nos rodeara.
Abracei-o com ambos os braços, sem nunca o largar. As suas mãos simplesmente espalharam repetidas carícias por todo o meu corpo, enquanto me murmurava ao ouvido o quanto me amava. Apesar de tudo ter sido tão repentino, eu já o amava. O tempo não influenciava os sentimentos nem a força de vontade que tínhamos. Todos os meus pensamentos foram-se desligando e cada parte de mim estava chamar pela sua cara-metade. Ele apenas mais uma vez me sorriu e beijou de uma forma ainda mais intensa que a primeira vez. Era único aquele momento e era definitivamente a melhor parte daquela minha nova vida.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Fanarte de Stevie Rae e Raphaim

 Aqui está uma fanarte do mais recente casal da Casa da Noite.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Extras de Loren Blake

Desculpem pessoal mas hoje só dá mesmo, mesmo este bocadinho :S aproveitem.
Vou tentar postar masi amanhã ou assim mas não prometo nada...

Parte 5.4
- Ninguém se vai meter com a minha mulher. Podes me dizer agora?
- Dizer o quê? Perguntou a tentar fujir à pergunta.
- O que te está a aborrecer tanto.
E contou-me tudo sobre os mortos-vivos e que a sua melhor amiga estava na casa dos pais da Aphrodite. Se Neferet soubesse que ela sabia sobre os mortos-vivos. Matá-la-ia.
Então disse “Eu acho que posso fazer alguma coisa pela Stevie Raey” – fiquei chocado.
- Bem, acho. Posso estar errada, mas creio que só preciso usar os poderes dos elementos. Acho que basta usá-los.
- Pode resultar. Mas precisas de pensar que estás a invocar uma magia poderosa, e existe sempre um preço a pagar por isso.
Resolvi sondá-la para ver até que ponto ela sabe das coisas.


Que Nyx vos acompanhe :)

terça-feira, 10 de maio de 2011

Actualização PC's Blog

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

A nossa querida escritora voltou a actualizar o seu blog. Aqui fica o post traduzido:






Enquanto esperam por Destined (e enquanto eu crio o meu meu caminho para isso) pensei em provocar-vos, dando-vos um vislumbre de alguém que me serviu de inspiração para criar uma nova personagem HoN, Big Bonnie! Bonnie é uma égua Percheron fabulosa que se irá juntar a HoN Tulsa (com um vaqueiro, eu ainda não vou dizer nada sobre isso!). Ok, então, a primeira foto é do meu irmão, Brad, montada na Bonnie. O a seguir é o Brad, a Bonnie, e a minha égua Anjo do Cavalo Maravilha e eu. A última é uma imagem Bonanza-ish (ou pelo menos foi essa a nossa intenção, mas a execução dela foi muito mais difícil do que esperávamos!). Introduzindo pela esquerda, temos Seoras com Tory, Anjo e eu, o David Dunderhorse e a namorada de Brad, Janelle, em seguida, Brad e Big Bonnie. Por favor notem que a Bonnie faz os outros cavalos parecerem póneis, MAS NÃO SÃO. Bonnie é apenas ginormous.

Ah, recapitulando: Destined será lançado em Novembro. NÃO, NÃO É O ÚLTIMO LIVRO HON. Não, eu não sei ao certo quantos serão, mas não posso terminar a história em Destined.

E eu não vos posso dar muito mais detalhes sobre Destined. Não só porque eu não posso fazer spoilers, mas porque também estou a meio da escrita, e mesmo quando estou a seguir um esquema, as coisas podem mudar.

Fonte: PC's Blog

Benditos sejam!

Parabéns à Adriana!!!!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

E temos mais um aniversário. A nossa querida Adriana Dias faz hoje aninhos!!!

Parabéns à Adriana de toda a equipa do blogue Casa da Noite Portugal!!!


Que Nyx te abençoe!

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Fanfic: The Girl With The Red Rose - Capitulo 13

Capitulo 13

Os dias iam passando, mas Nyx não dava sinais de tentar ajudar-nos. David bem tentava entreter-me, mas com o meu dom de controlar e sentir as emoções, ele não me conseguia ocultar o quão desesperado estava. Tinham passado quatro dias quando o consegui finalmente convencer a sair. Concordou, com a condição de sairmos durante o dia e voltarmos antes de anoitecer. Depois de tomar um banho rápido, na casa de banho dos funcionários que por sorte se encontrava na cave, tapei a minha marca com base. Fui ter com David que já estava à minha espera.
-Então, já estás pronta?
-Sim podemos ir. – avancei para a porta.
-Espera, esqueces-te te de tapar a tua marca…
-A minha marca? Mas eu tapei-a ainda agora. – esfreguei a testa com as costas da mão, olhei mas nada. Não havia vestígios de base. Virei-me de novo para David. Mas o que raio se estava a passar? Será que não meti? Eu tenho a certeza que…
-Oh minha Deusa! – David ficou especado a olhar para mim.
-O que foi? – mas ele não me respondeu, virou costas e foi para a casa de banho e voltou pouco depois com um pequeno espelho na mão. Estendeu-me o espelho sem dizer uma única palavra. Peguei no espelho num movimento quase brusco. Olhei para o espelho e fixei a minha testa. Mas algo mudara, a meia-lua rosa estava agora preenchida.
-Eu passei pela mudança? Mas como é que eu não senti nada? Não é possível…
-És especial, só pode ser um sinal de Nyx. Foste marcada há tão pouco tempo. É impossível já teres passado pela mudança.
-Pronto esquece, vamos mas é sair, vou só tentar pôr base. – depois de meter a base não voltou a desaparecer. Saímos da cave da pousada e fomos para a rua. Eram cinco da tarde e o movimento nas ruas de Oklahoma não estavam nada movimentadas, para ser franca não se via ninguém na rua. O céu estava negro e o vento soprava com tanta força que as arvores já nem folhas tinham, o que é estranho visto estarmos em pleno Agosto. O que raio se passava? Senti que David estava com medo, e tentei acalma-lo com o meu dom.
-Obrigada. – deu-me a mão e percorremos as ruas. Não era assim que eu imaginava Oklahoma. Enquanto caminhávamos olhávamos sempre para as montras das lojas que estavam todas fechadas, para as paragens de autocarro, para o metro, sempre na expectativa de ver alguém. Estava um deserto autêntico.
-David estou a ficar com medo, o que se passou com as pessoas? Quando chegámos estava tudo normal. Será que os Zomba-Corvos os levaram?
-Não, o mais provável é os humanos terem-se apercebido que algo estava errado e fecharam-se em casa. Não te esqueças que a pousada estava cheia.
-continuamos a nossa caminhada, sempre atentos. Passámos por um parque que tinha um pequeno lago.
-Vamos voltar para a pousada está quase a escurecer… David começou a encaminhar-nos, mas eu parei.
-Espera, temos que ir ali… Aquela ponte… Temos que lá ir!
-O quê? Nem penses, vamos embora está quase a escurecer temos de nos ir esconder.
-David, confias em mim?
-Claro que confio, mas é muito perigoso e… - suspirou e beijou-me.
-Está bem, mas eu vou à frente. – Chegámo-nos até à ponte, era pequena mas parecia-me familiar. Talvez a memória de um sonho? Olhei á volta mas nada. Estávamos prestes a ir embora quando olhei para o chão e vi a tampa de esgoto. Baixei-me e tentei tirá-la.
- O que estás a fazer Mariana? Não está cá nada.
-Ajuda-me a tirar isto. Eu tenho a certeza que está aqui alguma coisa. – David rodou a tampa de esgoto e conseguiu levanta-la.
-Hmmmm…. Uma escada com corrimão, ora aqui está uma coisa que não se vê todos os dias. – Descemos pelo esgoto, aquilo estava a ser habitado por alguém. Estava tudo limpo e não havia água. Percorremos os túneis. Chegámos a uma esquina onde começámos a ouvir vozes. David fez sinal para me encostar à parede. Eram freiras! E estavam à volta de uma senhora de idade que estava deitada numa cama de hospital.
-David, acho que não nos devíamos esconder são freiras…Não nos vão fazer mal. Sussurrei-lhe ao ouvido.
-Não sei, nós somos o que elas podem considerar ser o demónio…
-Mas pensa um bocado, elas estão aqui no esgoto. Devem saber dos Zomba-Corvos.
-Talvez tenhas razão. Mas mesmo assim… - não lhe dei tempo para impedir.
-Desculpem… Podem ajudar-me? – tentei falar com uma voz fina para não as assustar.
-What do you want? – Fantástico! Estava-se mesmo a ver… Mas porque raio faltei às aulas de Inglês? Que bonito.
-I no falar Inglês. Português? – fiz disfarçadamente sinal para que David não se mostra-se. Uma das freiras aproximou-se de mim.
-És uma iniciada vampyra? – não lhe respondi. Levei a mão à testa e limpei a base exibindo a minha marca cor-de-rosa que agora estava completamente preenchida
-Look at her forehead. She is special...She mus go and seach Zoey! – as freiras falavam entre si com caras de pânico.
- Como te chamas minha querida? A freira tradutora aproximou-se de mim e estendeu-me as mãos.
-Chamo-me Mariana.
-Então Mariana, vamos sentar-nos ali e vou contar-te tudo o que precisas de saber. E o teu amigo também pode sair dali. Homens, enfim só sabem fazer barulho…-a freira começou a rir-se enquanto David saia do seu canto todo corado.
-Como sabia que eu ali estava?
-Oh meu filho, eu sou velha mas tenho ouvidos de morcego. Mas agora deixemo-nos disto e venham para aqui.

Frase da Semana

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Como podem ver no local destinado à Frase da Semana temos uma nova frase enviada pela Inês Mata. Chamo a atenção para isto para poder vos lembrar que, mesmo não havendo o passatempo Frase da Semana, vocês podem continuar a enviá-las, não obrigatóriamente pela ordem dos livros, mas de um qualquer à vossa escolha. Depois de recebidas as frases serão colocadas todas as semanas pela ordem de recebimento por parte do blogue e o vosso nome estará entre parêntises.

Contamos com vocês ;)

Que Nyx vos abençoe!

domingo, 8 de maio de 2011

Fanarte dos personagens

 Desta vez é um fanarte muito engraçada da Zoey, Stevie Rae, Erin e Shaunne a segurar os Damien por estarem cansadas das suas lições de vocabulário.

sábado, 7 de maio de 2011

Extras de Loren Blake

Oi gente, auqi vai a parte mais picante detahistória :P aproveitem...

Parte 5.3
Então cortei o meu peito. Queria que tivéssemos uma Impressão, queria que ela sentisse tudo que sinto, queria os nossos corações batessem em sincronia. Só assim ela confiaria em mim e eu poderia ajudá-la como um guerreiro eu estaria pronto a defendê-la, como Nyx pediu e como eu sinto que devo.
- Bebe. – insentivei.
Assim que a sua boca tocou no meu peito e bebeu o meu sangue, eu explodi em sensações e pelo modo que ela se apertava a mim eu sabia que ela também sentia o mesmo. A minha boca encheu-se de água.
- Agora é a minha vez. Eu tenho que provar-te!
Assim que comecei a beber do seu sangue, começou a gemer e eu fiz eco gemendo também. Naquela altura era impossivel parar, as minhas mãos tocavam-na em toda a parte, aprendendo a sua topografia e a dela em cima do meu corpo por todas as partes fazendo-me sentir um prazer tão intenso que nunca experimentei. Então aconteceu, eu senti o seu desejo com o meu, e a sua paixão com a minha. Os nossos corações a bater sincronizados. Tinhamos uma Imressão. Então ouvi uma voz na minha cabeça, ou na dela não sei. Dizia: Zoey, não! A impressão com o ex-namorado tinha acabado e a minha substituído-a.
- Agora vamos completar isto. Deixa-me fazer amor contigo, meu amor. –a minha voz transparecia um desejo profundo, a minha voz estava muito rouca.
- Sim. – ela disse.
Então encontrei o paraíso. Fiquei a olhar para o corpo dela, o seu rosto, a suas tatuagens. Tudo era belo encantado com o amor tão grande que tinha no meu peito, que sempre pensei não existir.
- A tuas tatuagens são lindas. Tal com tu.
- O Heath sentiu alguma dor com isto?
- Provavelmente, mas vai passar. E, no final de contas, é melhor assim. Todo o universo dos vampyros vai-se abrir para ti brevemente, Zoey. Vais ser uma extraordinária Sumo-Sacerdotisa. Não há lugar para um humano neste mundo.
- Eu sei que tens razão. – disse
Mas ficou pensativa.
- Que foi?
- Erik. - A raiva de quando os vi de mãos dadas veio à tona de novo. Pertences-me!.
- Sim. Eu pertenço-te. – ela disse
O meu coração encheu-se de felicidade. Estava na hora de saber no que ela estava metida e ajudá-la.


Que Nyx vos acompanhe :)

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Fanart HoN

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

Hoje deixo-vos com uma fanart da saga que a Paula Perleques enviou.



Enviem também as vossas fanarts para o email jwalter2412@gmail.com.

Benditos sejam!

Fanfic: Sangue Cruzado - Capitulo 8



CAPÍTULO OITO
Senti-me um pouco mal depois daquilo tudo. Por ter berrado com o Fred sem razão nenhuma. Apesar daquele ataque de dor que me percorrera o corpo todo ontem, sentia um aperto no coração que me atacava minuto após minuto. Tinha que o encontrar. Tinha mesmo. Levantei-me da cama, pondo fim à influência que o sono exercia sobre mim. Olhei pelo vidro da janela do quarto e vi que a noite já havia chegado, juntamente com o seu manto escuro para dar fim ao dia. Vesti-me rapidamente e calcei umas sapatilhas pretas que estavam juntas das restantes que estavam espalhadas por ali. Céus. Tenho mesmo que fazer uma arrumação geral.
Saí do quarto e fui até à recepção. O homem ou estava numa espécie de transe meditativo ou fazia sons estranhos enquanto dormia. Soube que não ia conseguir nada ficando ali especada a olhar para aquela pessoa que nem um mínimo de higiene parecia ter. Talvez o Fred esteja no quarto dele. – Pensei. Então fui até lá e bati à porta. Nada. Ninguém respondia. Bati novamente, mas nada se ouvia. Levei a minha mão até à maçaneta da porta e esta girou livremente, abrindo caminho para entrar. Parecia incrível. Havia uma enorme cama no centro e um armário à sua frente. Duas mesas-de-cabeceira em ambos os lados, com 2 candeeiros por cima.
Não estava mesmo lá ninguém. Saí devagarinho do seu quarto, sem deixar a mais pequena pista de que estivera lá. Fechei cuidadosamente a porta e mesmo quando me voltei, ele estava à minha frente. A olhar para mim fixamente, sem nunca o desviar. Raios. Que grande susto que me pregara. Tinha logo que aparecer assim daquela maneira.
- Tens que aprender a ser menos sorrateiro. – Sugeri.
- E tu tens de aprender a não entrares nos quartos das outras pessoas. – Sorriu de forma matreira. – De qualquer forma, o que é que procuras?
- Queria falar contigo. Queria pedir-te desculpa pela forma como te falei hoje de manhã. É que não estou habituada a estar acordada àquela hora.
Lançou-me um sorriso aberto e os seus olhos vermelhos fitaram os meus ternamente. Eram realmente assustadores, mas reflectiam uma necessidade qualquer de ajuda, de um acolhimento por parte de uma pessoa. Mas não sabia se estava certa ou errada. Ultimamente já não tinha a certeza de nada. Ele foi-se aproximando cada vez mais até estarmos a uma distância considerável de os nossos corpos se tocarem. De repente, o meu coração começou a bater desenfreadamente.
- Não faz mal. – Murmurou de forma estranhamente querida. – Também não devia ter-te incomodado.
- Queres ir lá fora ver como está a noite? – Perguntei deliberadamente.
- Claro. – E novamente vi aquele esbelto sorriso desenhado nos seus lábios.
Tinha que manter na mesma a máxima cautela. Nunca se sabe o que pode acontecer. Fechara-me sempre contra todos desde que fora marcada. Com o Povo da Fé a dedicar os seus tempos livres a matar todos aqueles que eram como eu, que seguiam a deusa Nyx, todo o cuidado era pouco. Mas Fred era diferente. Não vi nele nenhum indício de maldade embora os seus olhos escarlates reflectissem exactamente o contrário. Saímos do motel e caminhamos até às traseiras. A noite continuava na mesma, com a excepção de haver pontinhos brilhantes em cada canto seu.
Sentei-me na relva, enquanto ele fazia o mesmo. Estivemos algumas horas a contemplar o céu e o raro cenário que nos oferecia. Normalmente, não costumava haver noites assim em Vancouver. Só mesmo quando alguém dava a devida atenção às maravilhas que a Natureza tinha para oferecer. E certamente, esta era uma delas. Raros eram estes momentos e só seriam mesmo especiais quando se tinha alguém com quem partilhá-los. Por mais estranho que possa parecer, Fred era o único que estava a meu lado. Naquele preciso momento.
A minha vida parecia uma autêntica balança com as duas hipóteses que a mudança trazia: mudar por completo dum lado e morrer do outro. Ambas equilibradas para que nenhuma pudesse prevalecer sobre a outra. Mas algum dia isso haveria de mudar, porque a mudança tinha um objectivo que já era claro o suficiente para alguém como eu perceber. Por vezes, não queria compreender. Mas era mais do evidente que aquela decisão não era eu que haveria de tomar. Estava tudo nas mãos de Nyx. Ela abençoava-nos com a sua marca por alguma razão. E não acredito que ninguém deseje a morte a outra pessoa. Apenas tinha que ter paciência quanto a isso.
A sua mão pousou suavemente sobre a minha, fazendo-me corar pela segunda vez. Quantas vezes é que isto me vai acontecer? Virei a minha atenção para a sua face e vi que me olhava ternamente. O seu olhar era fulminante assim como o vermelho neles o demonstrava, mas a necessidade nadava neles, procurando ainda algo que eu não sabia o que era.
- Sabes o que é melhor nisto tudo? – Perguntou, entrelaçando a sua mão por completo na minha.
- O quê? – Perguntei nervosamente. Já naquela situação era-me quase impossível falar. Nunca estive assim tão próxima de alguém como estava com ele.
- É que a estrela mais brilhante de todas não está no céu. – Sorriu e continuou. – Desceu à terra e tornou esta vida melhor do que antes. E essa és tu, querida Scarlett.
Paralisei automaticamente. Enquanto a sua mão continuava junto à minha, a outra fora ao encontro da minha cara, acariciando-a sossegadamente. Os seus olhos brilhavam agora de uma forma intensa que eu desconhecia e os seus lábios foram pela primeira ao encontro dos meus, enquanto um sorriso brotava tanto dos meus como dos dele. Apesar de tudo ter acontecido tão repentinamente, eu não me importava. Já não havia razão nem limites. Era simplesmente Scarlett e ele era simplesmente Fred. Juntos num momento simples e realmente único. Nada mais.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Sugestão de Elenco

 Deixo-vos com um video feito por uma fã com o seu elenco ideal.



quarta-feira, 4 de maio de 2011

Extras de Loren Blake

Oi gente, desculpem hoje ser tão pouco mas tenho andado com falta de tempo com os estudos :S bem, aproveitem e eu vou ver se consigo postar alguma coisa antes do sábado.

Parte 5.2
- Senti que precisavas de mim.
Embale-ia nos meus braços murmurando que foi só um susto e que eu não deixaria que nada de mal lhe acontecesse e aos poucos foi-se acalmando. Ofereci o meu lenço para que limpasse as lágrimas.
- Ah, que maravilha, estou com um aspecto horrivel.
Ri-me.
- Pareces uma Deusa entristecida pelo stress e pela adversidade - disse. Ela também começou a rir.
- Nunca vi Deusa nenhuma com ranho no nariz como eu. – continuando a rir.
- Ah, eu não teria tantacerteza.
- Quando o Erik se transformou, pensavas que ele estava a morrer, não foi? Eu disse à Neferet várias vezes que todos os novatos, e não só os quintos e sextanistas, deviam ser informados sobre como a Transformação se manifesta no estágio final para não se assustarem ao presenciar uma.
- Dói tanto quanto parece? – perguntou a medo.
- Dói, mas é uma dor boa. Se é que isto faz sentido. Imagina os teus músculos doridos depois de fazeres desporto. Eles doem, mas não é uma dor má.
Enquanto lhe tocava, pensei no que poderia fazer mais por ela. Bom, se ela me contasse tudo o que se estava a passar, poderia ajudá-la.
- Mas há mais alguma coisa a aborrecer-te, não há? Não é só a transformação do Erik a trazer à memória a morte da tua amiga.
Beijei a sua testa e ela estremeceu.
- Podes falar comigo Zoey depois de tanta coisa entre nós, precisas de saber que podes confiar em mim.
Beije-ia e voltei a acariciá-la.
- Fala comigo.
- Eu... Eu quero... – gaguejou. – É muito complicado.
- Deixa-me ajudar-te meu amor. Não há nada que não possamos resolver juntos.
Este modo de pensar nos dois juntos para o resto de nossas vidas, comoveu-me, nunca pensei e nem quis tanto uma coisa como quero agora. Eu quero-a ao meu lado para sempre.
Quanto mais duro era meu o beijo mais o dela ficava e mais duro me tornava.
- Vou lhe mostrar como podemos dividir tudo um com o outro... Como podemos ficar juntos de verdade...


Que Nyx vos acompanhe :)

Dragon's Oath - O Juramento de Dragon

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Hoje trago-vos linhas confirmadas do livro O Juramento de Dragon (Dragon's Oath). Aqui vão:

Antes de Zoey ser Marcada e chegar à Casa da Noite... Lá estava Dragon Lankford e a sua escolha negra que não o deixará em paz.
Tudo começa com o Juramento de Dragon...

"Isto é um dragão," disse ele, a olhar para a escultura do mastro. Isto era verdadeiramente espetacular - um dragão negro, as garras estendidas, dentes arreganhados - ferozmente pronto para enfrentar o mundo.

"Isto pareceu-me, depois dos eventos da noite, ser um bom presságio," disse o Shaw.

Bryan olhou para a espada e foi preenchido por a mais intensa inundação de sentimentos que ele já teve. Isso levou-lhe um momento para perceber o que eles eram, e então ele soube: excitação, expectativa e saudade, tudo junto dentro dele para criar um simples senso de finalidade. Ele encontrou o olhar do vampyro. "Eu escolho entrar para o dragão."

E então? Que acham?

Que Nyx vos abençoe!

terça-feira, 3 de maio de 2011

Os famosos que pertecem à cultura Cherokee

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

                                         

Ao ver o blog House of Night Br deparei-me com uma lista que achei bastante interessante sobre os famosos que pertencem à cultura Cherokee. Um dos nomes com mais ênfase e mais conhecido é Johnny Depp, por ter participado na sequela de filmes d' "Os Piratas das Caraíbas", este é um descendente do povo ameríndio da América do Norte.

Segue-se a lista restante:

  • Ace Frehley, ex-guitarrista da banda de rock Kiss;
  • Cher - cantora e actriz;
  • Jimi Hendrix, guitarrista norte-americano;
  • Joey Demaio, Contra-baixista da banda Manowar;
  • John Nance Garner, deputado pelo Texas e trigésimo-segundo vice-presidente dos EUA;
  • John Phillips, vocalista do The Mamas & the Papas;
  • Nokie Edwards, guitarrista norte-americano do The Ventures;
  • Rita Coolidge, cantora;
  • Scott Stapp, Vocalista da banda Creed;
  • Steven Tyler, vocalista do Aerosmith;
  • Will Rogers, humorista;
  • Quentin Tarantino, director de Hollywood.

Benditos sejam!