http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

quinta-feira, 31 de março de 2011

Poema: Casa da Noite

Este poema foi escrito por uma fã da Casa da Noite, e publicado no site: houseofnight.com.br


Sinto-me confinada,
trancada,
não sei como sobrevivo
a tanta pressão.
Todos me julgam pelas
minha marcas anormais.

Meu nome é
Zoey Redbird, 
Abençoada por minha Deusa
Nyx,
aquela que me concedeu
os meus dons com
Os elementos.

Sei que sou especial, 
tanto para a minha Deusa,
quanto para os meus amigos.
Fui Escolhida especialmente,
tenho uma historia.
quanto para meus amigos.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Extras de Loren Blake

Olá gente. Graças a algumas pessoas queridamente prestáveis concegui encontrar a continuação da nossa hiatória Zoey-Loren. Espero que vos sacie até sábado :) Parte 2 Tentei chegar à Casa da Noite a tempo de ver o círculo que Zoey iria formar, estava muito curioso para ver como seria um círculo formado por uma pessoa que controla os elementos. Cheguei do aeroporto mesmo a tempo da apresentação. Mesmo antes de ir para o meu quarto fui procuar a Zoey. Fiquei num canto escuro a observar. Ela estava resplandecente, num vestido preto com pontos brilhantes, mas não era só o vestido que a fazia brilhar, o seu rosto estava absorto em algo com um sorriso encantador nos lábios e com uma aura de alta sacerdotisa. Era óbvio o quanto ela era importante para a Deusa só de olhar. O quanto ela estava no lugar certo. Liderando um ritual de Nyx. A prestar atenção ao que ocorria em redor é que fui perceber o que realmente estava a acontecer. Os seus amigos, que a ajudavam quando formava o círculo, tinham ganhado dons da Deusa. Nunca tantos calouros tinham sido agraciados por Nyx ao mesmo tempo ou numa mesma Casa da Noite. Erik estava lá ao seu lado. Deusa, estava ciumento. Neferet passou por mim e olhou-me de forma significativa. Bom eu só estava a fazer o que ela me pediu. A tentar prender a Zoey com os meus encantos. Esta era uma ótima desculpa. O problema é que Neferet podia ler a minha mente quando quisesse. E eu não estava propriamente a esconder muito bem o meu interesse por ela. Neferet conversou com os alunos e mentiu descaradamente. Porque é que estava a fazer aquilo? Não era uma coisa que Nyx aprovasse. - É hora de agires. Vai lá e ofereçe-te para recitar alguns versos no ritual. Lembra-te que eu estou de olho em ti. – disse Neferet e saiu. Fui com autorização da “patroa”, ir para mais perto da minha “Airosa Pítia”. - Pensei em oferecer-me de voluntário para ti - Ela saltou de susto, o que me fez rir. - Pensei que soubesses que estava aqui - disse - Não. Eu estava um bocado distraída – disse ela atrapalhadamente. Os seus olhos brilharam de forma distinta. - Stress, aposto. – disse e toquei o seu braço - Bem estou aqui para ajudar-te com esse stress. O brilho dos seus olhos aumentou e apareceu um sorriso no canto dos lábios, não consegui decifrar o que isso queria dizer. - A sério? E como é que vai fazer isso? - disse ela. - Farei para ti o que faço para Neferet - disse Queria levá-la para a minha cama, passar a mão pelo seu corpo todo, sugar o seu sangue e deixar que ela sugue o meu. Fazer amor a noite toda. Bom, isso é o que faço pela Neferet, mas não era o que eu ia fazer para ela agora – Todas as Grandes Sacerdotisas têm um poeta que recita versos antigos para invocar a presença da Deusa enquanto ela entra nos seus rituais. Hoje estou-me a oferecer para recitar para uma Grande Sacerdotisa em treinamento muito especial. E para além disso, acho que há alguns mal entendidos que precisam ser esclarecidos. Ela ficou a olhar para mim quando eu fiz o mesmo comprimento que faço a Neferet, com um visível ponto de interrogação no rosto. - Mas preciso da tua permissão. Não gostaria de me intrometer no teu ritual – disse. - Ah, não! O que eu quis dizer é que não, claro que não te estás a intrometer e, sim, eu aceito a tua oferta. Graciosamente. Excelente. - Assim que estiveres pronta, basta dizeres e eu começarei a tua introdução. Importas-se se eu der uma palavrinha ao teu assistente sobre a ligeira mudança de planos? – perguntei. - Não - Disse ela com a voz rouca. Ela era muito sensual. Jesuuus... Ouvi-a dizer um” Preparem-se!” que me arrepiou toda a coluna. Mesmo sendo baixo, só para o pessoal do círculo era de uma autoridade e beleza... Fiquei próximo dela a sentir o cheiro de Jasmim que exalava dela. - Zoey, estou pronto quando estiveres. – avisei. Ela respirou fundo e disse: - Estou pronta. - Lembra-te, confia nos teus instintos. Nyx fala através do coração das suas Sacerdotisas. Caminhei até ao centro para me dirigir aos alunos. - É uma noite de alegria! Mas devem saber que a alegria desta noite não se encontra apenas nos dons que Nyx permitiu que se manifestassem aqui com tanta clareza. Parte da alegria desta noite nasceu duas noites atrás, quando a sua nova líder estava a decidir o futuro que ela desejava para as Filhas e Filhos das Trevas. Dei uma olhadela a Zoey e ela pareceu surpreendida. Bem, na verdade só estou a falar disto em público por que Neferet não está aqui. Não gostaria de ter Neferet a suspeitar que eu possa não estar do seu lado. - Em homenagem a Zoey Redbird e à sua nova visão para as Filhas das Trevas, tenho a honra de abrir o seu primeiro ritual como Monitor Sénior e Grande Sacerdotisa em treinamento com um poema clássico sobre o nascimento da alegria, que foi escrito pelo vampiro poeta William Blake. O som escolhido foi encantador e Zoey modificou-se e transformou-se numa mulher poderosa assim que a música instrumental começou. Ela cresceu, amadureceu e de forma nenhuma parecia mais uma rapariguinha inexperiente. O ritmo que o seu corpo adquiriu assim que a música começou fez com que o momento ficasse mágico. Quase me esqueçi que tinha de recitar o poema. A música também me influenciou e quando comecei a recitar o poema tinha incorporado a mesma mágica que a dança de Zoey. Eu não tenho nome, Tenho apenas dois dias de idade. Como devo a ti chamar? Feliz eu sou, Alegria é meu nome. Doce alegria sobre ti recaí Linda Alegria! Doce alegria de apenas dois dias de idade, Doce alegria, a ti eu chamo; E tu sorris... Eu canto para passar o tempo... Doce alegria sobre ti recaia! Zoey incorporou a alegria que acabou de nascer. Como o poema o seu sorriso aqueceu meu o coração. Quando o ritual acabou, eu não tinha mais duvidas. Estava completamente apaixonado por ela. Apaixonado pela primeira vez na minha vida. Assim que o círculo foi fechado fui para o meu loft, dormir. Para estar aqui a tempo, tive que correr e não tinha conseguido dormir satisfatóriamente. Foi só no outro dia que Neferet me contou o que tinha acontecido com a melhor amiga de Zoey. A sua amiga não tinha passado pela mudança. Sentme mal por não ter estado com ela naquele momento. - Não te preocupes, ela não estava sozinha, o Erik Night estava com ela todo o tempo. – disse Neferet como se tivesse lido os meus pensamentos. - E como é que estão as coisas? – perguntei Nyx deu um poder espetacular àquela rapariga. Eu sinto o poder dela na sua voz de comando. É forte, com a entonação certa e poder. Só me pergunto porque é que Nyx achou necessário dar tanto poder a uma simples adolescente. O que será que está para vir? – Neferet falava mais com ela própria do que comigo. - Porque é que dizes isso? – perguntei. - Bom ela conseguiu salvar seu exnamorado. - Oquê?! - disse - Bom a história é longa e vais ter de saber mesmo porque vou precisar que estejas do meu lado. Confio em ti porque despresas tanto os humanos como eu. Senta-te ai para eu te contar. Depois de aproximadamente meia hora de falatório eu fiquei a saber a história toda que envolvia a existência dos mortos-vivos. - Que voz é essa que dizes escutar? Como é que sabes que essa voz é do bem e não do mal? - Eu tenho certeza que é do bem, porque fala com carinho e faz-me sentir bem, além do mais, cada vez que faço alguma coisa que ele pede, os meus poderes aumentam. Já estou a conseguir transformar-me nalguns bichos como pássaros e gatos. Com um pouco de dificuldade, mas está a ficar cada vez mais fácil. - E o que é que Nyx diz sobre isso? - Eu não tenho tido muito tempo para falar com ela, mas continuo com os meus poderes e os círculos que eu faço estão sempre cheios com o poder dela, por isso tenho certeza que ela está do meu lado. - Tu és a Sacerdotisa dela, e se dizes que está tudo bem eu vou acreditar em ti e ficar do teu lado. Mais uma pergunta. Como é que a Zoey conseguiu encontrar o tal ex? - Parece que ela o Impressionou, mais um ponto para ela. Uma caloira conseguir ter uma impressão com um humano com esta força, tão rápido, é porque a mudança nela é bem forte. Ela é praticamente uma vampira. É o que a marca pintada na testa dela significa. - Achas que eu deveria falar com ela? – por favor, diz que sim, por favor. - Não. É melhor tu desapareceres por um tempo, o detetive responsável pelo rapto daqueles meninos está à tua procura. Parece que tu estavas perto do local dum dos raptos. - Deve ter sido naquele dia quando a polícia me mandou parar. Gostaram? Espero que sim. Bem, sábado de certesinha que há mais. Que Nyx vos acompanhe :)

Manual do Novato 101: Fotos

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

A Novo Século (editora dos livros da colecção HoN no Brasil) divolgou fotos exclusivas do Manual do Novato 101 que já foi publicado no Brasil... Que inveja!!! Enquanto esperam (e desesperam) deixo-vos as fotos.









Benditos sejam!

terça-feira, 29 de março de 2011

Publicidade: Livros Sobrenatural

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

O Jorge Nunes, um fã do sobrenatural, pediu-nos para fazer publicidade a uma adaptação que o mesmo está a fazer. O Jorge está a fazer uma espécie de livros, inspirados em cada um dos episódios da série Sobrenatural, cada episódio um livro. Dêem uma vista de olhos ao Facebook dele, aqui.

Que Nyx vos abençoe!

Publicidade: Fórum Casa da Noite

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

A Leticia Gomes criou um fórum da Casa da Noite, o qual podem encontrar neste link. Fazemos este poste para que voces dêem uma olhadela.

Não se esqueçam que o nosso blogue também tem um fórum, o qual podem encontrar neste link.

Que Nyx vos abençoe!

segunda-feira, 28 de março de 2011

Fanfic: The Girl With The Red Rose - Capitulo 7

Capitulo 7

Passei a noite (dia) toda a falar com a Margarida, sempre a tentar não acordar Joka. Margarida falou-me de como era quando ainda era viva. Tinha a minha idade e morrera há mais ou menos 1 mês. Quando lhe perguntei como ela tinha ido parar aquela cela, ela dissera que não se conseguia lembrar, mas que estava completamente encantada por Kalona e o seu Alp.
-Então, só as raparigas conseguem ser encantadas por esse tal Kalona? Quer dizer, há rapazes que morreram como tu? – questionei Margarida certa vez no meio da conversa.
-Quer dizer, se esse Kalona se baseava na Beleza para vos encantar como fazia ele isso com os rapazes?
-Boa pergunta, os rapazes não estiveram com Kalona nem com o Alp. Quando eu e as outras lhes falamos de Kalona eles ficaram interrogativos. Eles garantiram terem sido encantados por uma deusa. Chamavam-lhe Nefert.
-Então isso significa que esse Kalona não está sozinho. Mas uma coisa que eu ainda não percebi é porque é que ele vos rouba metade da alma. – cocei o topo da cabeça e tentei pensar direito. Isto está a fica muito esquisito.
-Oh Mariana tens que nos ajuda. Por favor. – Margarida implorava.
-Eu prometo que te vou ajudar, mas muito sinceramente não estou a ver como… - calei-me e deitei-me escondendo a cara por baixo dos cobertores quando senti Joka a levantar-se. Não queria mesmo que ela me ouvisse a falar com Margarida (que ela não conseguia ver) pensaria que eu teria endoidecido de vez. Ela foi até à casa de banho, ouvi-a a ligar a torneira, e voltar a desligar. Quando voltou para o quarto dirigiu-se para perto da minha cama e começou a bater o pé impacientemente.
-Escusas de fingir que estás a dormir, eu sei muito bem que não estás. Eu ouvi-te a falar sozinha. – oh bolas, eu sabia que Joka não era parva nenhuma. Mas o que haveria eu de dizer? “Olha Joka consigo falar com iniciados mortos, e agora até tenho uma amiga Margarida que perdeu metade da alma para uma tal Kalona.” Não podia contar-lhe, apesar de só a conhecer há dois dias não a queria perder. Ela era minha amiga.
-Mariana, sabes que me podes contar… eu prometo que não vou gozar nem nada disso… podes contar-me. – ela sentou-se na borda da minha cama e esperou que eu lhe respondesse. Foi aí que eu decidi que lhe iria contar tudo. Ela iria compreender certo? Quer dizer num mundo de vampyros nada é impossível, ela teria de acreditar em mim. Levantei-me e comecei a contar-lhe tudo desde inicio. Falei-lhe de Margarida, de Kalona e dos outros iniciados. Joka ouviu-me sem nunca me interromper. Quando acabei, esperei pela reacção dela.
-Hmmmmmm… isso quer dizer que tu vez os iniciados mortos?
-Sim.
-Achas que isso pode ter alguma coisa a ver com o facto de teres a tua marca diferente? – fiquei admirada com aquela pergunta, estava a espera que ela me perguntasse se eu teria endoidecido de vez, mas em vez disso fez me uma pergunta tão simples, mas para a qual eu não tinha resposta.
-Bem, não sei bem mas a Margarida acha que sim.
-Essa Margarida… eu acho que a conheci… como é que ela é?
-Ela é loura, tem um cabelo invulgarmente volumoso, olhos castanhos e disse que foi companheira de quarto de uma Patrícia. – olhei para Margarida para confirmar se a tinha descrito bem, ela sorriu-me em aprovação.
-É ISSO! Eu sabia que esse nome não me era estranho. A Patrícia tem aula de interpretação comigo e falou-me nela. Ela andava muito deprimida com a morte dela. Até porque se culpa pelo facto de ela ter morrido sozinha. Mas explica-me isso melhor, então quem a matou foi esse tal Kalona?
-Sim, ele matou-a e roubou-lhe metade da alma.
-Isso não é possível. Ela rejeitou a mudança enquanto dormia…
-Não pode ser, eu vi-a trancada numa cela e o Alp foi busca-la e … -Joka interrompeu-me bruscamente.
-Disseste ALP? – ela fez uma cara assustada.
-Sim, ele deu-lhe uma rosa e chamaram-lhe Alp… Mas porquê? Conheces?
-Não! Felizmente não conheço! A professora Carol falou numa criatura dessas na aula de história dos vampyros. Os Alpes eram uma espécie de vampiro muito perigosa. Eles atormentam e apoderam-se dos sonhos das mulheres. Mas a professora disse que esses vampiros estavam extintos.
-Tu tens a certeza do que estás a dizer? – questionei Joka se aquilo seria mesmo possível, e olhei para Margarida que estava completamente paralisada a olhar para nós. Margarida olhou para mim com um olhar fixo.
-Faz sentido, é por isso que eu não me lembro de como tinha ido parar aquela cela, eu estava a dormir… morri durante o sono. - Margarida fez um ar completamente chocado.
-A Margarida está a dizer que é possível, talvez seja essa a razão pela qual ela não se lembre de como tinha ido parar à cela. Mas como podemos ter a certeza? – Questionei Joka para ver se ela teria alguma ideia.
-Só há uma maneira de o saber…
-Qual é? – eu e Margarida aguardamos que Joka partilhasse a sua ideia.
-Vamos pesquisar e contar tudo aos outros.

Passatempo Frase da Semana: Seduzida - Aberto!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

Informações:

  1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
  2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
  3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
  4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.

Datas:

A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

Prémio:

O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

Importante:

Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 1 de Abril, e a frase deve ser sobre o livro Seduzida
As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


Que Nyx vos abençoe!

domingo, 27 de março de 2011

Passatempo Frase da Semana: Perseguida - Resultados

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Já sairam os resultados do passatempo Frase da Semana, aqui vão elas:

  1. Anda cá. Podes pôr a cabeça no meu peito e adormecer. Eu protejo-te. Prometo. - James Stark - Inês Margarida - 46 (68%)
  2. Eu amo-te, Z. Nada do que se passou entre nós mudou isso, mesmo quando eu quis que mudasse. - Erik Night - Mariana Ferreira - 21 (31%)

Parabéns à Inês!!!

Que Nyx vos abençoe!

Juramento do Dragão - Lançamento

PC acaba de actualizar o seu blog e colocou a capa do livro Drangon's Oath (Juramento do Dragão) que será lançado no Reino Unido.



"Oooh! Eu só tenho esta fabulosa editora britânica! Aqui está a capa do Reino Unido para Dragon's Oath. Vai ser publicado em simultâneo nos EUA, o que significa que vai ser lançado dia 12 de Julho. O que é que achas? Eu realmente gosto do azul!
PC"

Fonte: House Of Night Brasil

Passatempo Frase da Semana: Perseguida - Votação

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Já está em votação, até as 20 horas de hoje, as frases para o passatempo Frase da Semana.
As frases são as seguintes:
  1. Anda cá. Podes pôr a cabeça no meu peito e adormecer. Eu protejo-te. Prometo. - James Stark
  2. Eu amo-te, Z. Nada do que se passou entre nós mudou isso, mesmo quando eu quis que mudasse. - Erik Night
Não vou dizer os nomes das participantes para não haver influencias. Votem na melhor frase. No dia de anunciar o/a vencedor/a direi o nome do/a mesmo/a.
Importante:
  • Não votem por comentário, esses votos não contam. Vão à área das sondagens, do lado esquerdo do monitor, para votar.
  • Os resultados sairão até à meia noite de hoje.
Que Nyx vos abençoe!

Awakened em inglês na FNAC

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Enquanto esperamos por Awakened em português, podemos comprar-lo em inglês na FNAC. Se quiserem encomendar pela internet acedam aqui.


Que Nyx vos abençoe!

sábado, 26 de março de 2011

Extras de Loren Blake

Como prometito, aqui está a próxima parte da história Zoey-Loren, espero que gostem :)

Parte 1.2
Hoje seria fácil escrever Haiku.
Estava debaixo da árvore perto do muro oriental concentrado nas suas marcas, na sua voz e no seu sorriso, quando escutei o barulho de passos. Era Neferet, e estava à minha procura, tinha a certeza, hoje ainda não me tinha encontrado com ela. Fiquei apavorado. Neste momento, devia estar a ler a minha mente e a perceber o quão concentrado eu estava na Zoey. Neferet ia me matar! Ela tenta esconder, mas eu sei a inveja que ela tem daquela novata. Eu cinceramente não entendo o porquê. Se tivesse pensando em qualquer outra rapariga, provavelmente ela não ligaria, mas como era Zoey.... as minhas pernas tremeram. Quando senti o cheiro dela. Será?
- Zoey? És tu? - disse.
- Loren? – respondeu. Sobressalteime.
- O que estas a fazer aqui?
- Oi. – disse. Então, sorriu-me e relaxei por completo. Ela era doce. – Ah, estava a voltar do estábulo e eu e a Nala, resolvemos esticar as pernas.
- Esticar as pernas, hum? Olá outra vez Nala. A gata saiu assanhada de perto de mim quando eu tentei acariciála.
Conversámos sobre a sua gata rabugenta e o meu gato resmungão. Era agradável conversamos sobre futilidades. As suas respostas eram inteligentes e estava também a utilizar o seu charme em cima de mim.
- Então o que estava a fazer aqui? – perguntou.
Fiquei na dúvida se responderia com a verdade ou tentaria uma meia verdade. Achei melhor não transparecer ainda o quão interessado nela eu estava.
- A escrever Haiku. Inspiro-me aqui, sozinho, nas horas que antecedem o amanhecer. Ela ficou vermelha e sem graça.
- Ah, meu Deus! Desculpe. Eu não queria interromper. Vou dizer adeus e deixa-lo em paz.
Bolas! Ela não pode ir ainda. Peguei no seu braço quando ela se virou para pará-la.
- Não precisas ir embora. Eu também me inspiro com outras coisas para além de ficar sozinho na noite. – disse.
- Bem, eu não queria incomodá-lo. – disse ela.
Quando olhei para a sua boca, a minha entreabriu-se e senti a pulsação dela a aumentar. Deusa! Queria tanto colocar os meus lábios nos dela. Tive que soltar o seu pulso para me controlar.
- Não te preocupes com isso, não me estas a incomodar– disse para tranquilizá-la.
- Então astá bem. Haiku. É poesia asiática com um número determinado de sílabas, não é?
O meu sorriso aumentou. Ela é esperta. Senti uma afinidade imediata. As marcas no rosto eu conhecia, mas as do ombro...
- Por falar em inspiração... Podias-me ajudar. – Disse. Não consegui resistir. Puz as minhas mãos no seu ombro.
- Nyx marcou-te aqui.
- Sim – disse. O seu olhar queimava. Minha Deusa! Não parecia que esta rapariga fosse virgem. Ela era de uma sensualidade impar.
- Eu gostaria de as ver. Se não for muito desconfortável para ti. – a minha voz estava completamente alterada pelo desejo que sentia.
Vou tentar mostrar-lhe.
Perguntei, mas não achava que iria aceitar. Zoey começou a tirar o casaco e eu pedi para ajudá-la e ela deixou. Mas não consegui tirar os olhos dos olhos dela. Agora ela não parecia uma criança ou uma caloura, parecia detentora de todo o conhecimento do universo. Quando por fim consegui olhar para as suas marcas fiquei encantado.
- É incrível. Nunca vi nada assim antes. É como se fosses uma princesa ancestral que se materializou no nosso tempo. Como somos
abençoados por te ter aqui, Zoey Redbird. – disse, a minha voz estava completamente rouca.
Estávamos tão próximos, estava tão quente. Uma atração tão forte no ar. Eu queria pegá-la ao colo e correr o mais rápido que pudesse, levá-la para o meu loft, despi-la e sentir. Somente sentir. Senti-a
tremer e arrepiar-se. O meu senso voltou um pouco. Isso não pode acontecer, eu sou um professor e ela é uma aluna. Neferet matarar-me-ia e a ela também, além disso, eu não conseguiria dormir com ela só uma noite. O desejo que sinto por ela sem lhe tocar mais intimamente já é forte. Imagino quando descobrir os seus segredos... Mmm... Tenho que me afastar dela.
- Desculpa. Deves estar com frio. – disse.
- Eu não estava a tremer de frio. – disse ela.
Aquilo chocou-me. Olhei para os seus olhos e senti a poesia ideal para o que eu sentia na sua presença.
“Creme e seda: um
Provar, tocar, mui quero
A lua nos vê”.
- É lindo – disse.
- Tu és linda.
Peguei no seu queixo e preparei-me para beijá-la. Que se dane o resto, eu não ia esperar. Momentos tão sublimes como este não ocorrem sempre. Ela cobriu a minha mão com a sua deixando-me livre para fazer o que planeava. Enalei o ar pelas minhas narinas para me render ao seu encanto, quando senti o cheiro doce e elétrico de Neferet. Ela estava a observar-nos. Não ia ser desta vez... Pena...
- Foi bom ver-te, Zoey. E obrigado mais uma vez por me teres deixado ver as tuas marcas.
Acenei com a cabeça e saí. Estava frito. O que faria se Neferet me pedisse para escolher entre as duas? Não tenho a certeza de qual escolheria. Pensar em nunca mais tocar na pele de Zoey e ver a profundidade dos seus olhos, deixava-me com o peito dolorido. Por quê? Como esperado, quando entrei no Sotão do Poeta, Neferet estava à minha espera deitada na cama. Ela era tão condenadamente bonita e sexy.
- Parece que te apanhei em flagrante. – disse ela.
- Não estava a fazer nada de mal. Estava a escrever uns versos quando ela apareceu e começamos a conversar.
- Sabes que quando uma pessoa dá muitas explicações é porque tem alguma coisa a esconder. E eu nem sequer estou a ler a tua mente agora. Não te esqueças com quem é que estas a falar, Loren. Não me confundas com essas rapariguinhascom que de vez em quando te deitas. – e fez uma pausa longa. Isso deu-me uma boa ideia. Vais-me fazer um favor. E vais adorar fazê-lo.
- O que quiseres querida. – disse e tentei aproximar-me ajoelhando-me perto dela.
Riu-se.
- És incorrigível Loren. Eu devia nunca mais ficar contigo. – disse ela medindo-me de alto a baixo. – Pena que sejas tão bom.
A conversa acabou. Neferet só saiu do Loft duas horas depois. Disse-me o que eu deveria fazer e como havia previsto eu gostei muito do meu papel. Ficar com a Zoey com a autorização de Neferet, era uma idéia que nunca me teria passado pela cabeça.
Não era só na cama que eu e Neferet combinávamos. Nós dois tínhamos o mesmo rancor pelos humanos.
Lembro-me como fosse hoje, tudo o que passei na minha infância.
A minha mãe foi seduzida por um jovem da faculdade, atraente e que lhe promera casar-se com ela como um preteito para poder fazer sexo.
Ele era muito bonito, mas a senhora Helena, a minha mãe, tinha sido criada de forma muito severa e sabia que certas coisas só se faziam depois do casamento. Mas Henry, o meu pai, era muito engtatão, rico e completamente lindo. Todas as raparigas da cidade eram doidas por ele, mas aparentemente ele queria Helena, numa noite de luar ele trouxe flores disse que a amava e que estava pensar ir falar com o seu pai e pedir a mão dela em casamento. Ficou tão feliz que naquela noite não
conseguiu resistir ao seu charme. No dia seguinte, encontrou-o na escola e ele tratou-a de forma desprezível. Chorou muito naquela noite e resolveu que aquele incidente não ia acabar com a sua vida. Ia esquecer e seguir com seu futuro. Ela queria ser cientista. Só não contava que o destino planeava outra coisa para a sua vida. Ela engravidou e quando não conseguiu esconder mais do seu pai, foi expulsa de casa e passou a trabalhar na casa de uma senhora por um prato de comida.
A gravidez foi avançando e quando eu nasci ela
foi expulsa do trabalho. Foi quando se tornou prostituta. A única maneira de se sustentar a si e a um filho pequeno. O inconveniente era que o seu filho era a cara chapada do pai e fazia com que, de todas vezes que o via, se lembrasse do desgraçado que a deixou. Por isso não conseguia sentir amor pela criança. Não posso culpá-la, apesar de fazê-lo. Eu era constantemente espancado por qualquer coisa. Ela nunca conseguiu sentir amor por mim. Muitas vezes tive de presenciar os encontros com seus clientes em casa. Os sons, os gemidos e as palavras de baixo escalão. Desde que tenho conhecimento que faço a minha própria comida e lavo a minha própria roupa. Nunca ninguém me fez um lanche para eu levar para a escola, ou passou a mão pela minha cabeça com carinho. Com uns dez anos interessei-me por poesia, pois nos seus versos conheci o sentimento “amor”. Um amor que nunca conheci na realidade e que me parecia um conto da carochinha. Ainda hoje quando penso nisso penso com raiva. Não consegui superar o rancor que tenho de minha mãe e pai. Eu não pedi para nascer e não merecia ter sofrido por um erro que não foi meu.
Foi um dia muito feliz na minha vida, quando fui marcado e vim morar para a casa da noite. Aqui conheci o carinho. Neferet recebeu-me muito bem.
Até bem de mais. Conheci as mulheres com 14 anos, quando
desenvolvi o meu potencial, o meu corpo foi crescendo e desenvolvendo-se. Eu sou bonito como o meu pai. Alguma coisa aquele desgraçado fez de bom por mim. Isso faz me lembar quando ele apareceu na saída da escola. Com uma bíblia de baixo do braço. Disse-me que tudo o que tinha feito de errado com a minha mãe e com ele foi quando ainda era um pecador. Disse também que tinha sido usado pelo demónio. O meus olhos idiotas de 10 anos iluminaram-se e eu senti uma esperança intensa. Imaginei que ele estava aqui para me tirar do inferno que era a minha vida e que me iria levar para uma casa.
E como um parvo completo eu perguntei “Veio-me buscar?”. Ele desconversou e disse que agora tinha uma família e filhos, que a sua mulher não sabia que ele tinha tido outro filho e não iria aceitá-lo em casa. Mas que se eu quisesse nos podiamos encontrar todos os domingos na igreja, isto, se eu não dicesse a ninguém que ele era meu pai. A minha raiva explodiu e mesmo tendo apenas dez anos eu disse-lhe para nunca mais aparecer para me ver. O que ele fez. Eu não era um filho para ele, já que tinha outros. Deus estava do lado dele. Será que ele acha que Deus tinha pedoado todos os seus pecados, estragando a vida de uma mulher e do seu filho? Passei então, a não confiar num Deus que perdoa pessoas como o meu pai.
Não entendia e ainda não entendo. Todos os humanos que conheci não foram amáveis comigo ou me trataram com carinho ou atenção. Só conheci a bondade aqui entre os da minha espécie. Nunca menti ou iludi nenhuma das mulheres com que tive, esse sempre foi o meu lema. Eu não ia deixar nenhuma delas passar o que minha mãe passou.
Lembrei-me da viagem que iria fazer para a Costa Leste para um recital. Por que é que o meu peito dói quando penso em ficar longe da Zoey? Será que por fim estava a viver o amor que só tinha encontrado nos versos dos poemas? É muito prematuro, só falei com ela um par de vezes.
Amor à primeira vista? Não pude deixar de pensar na Zoey durante toda a noite, aquele beijo não concretizado estava a excitar-me de uma forma... Ah! Deusa. Ela é só uma rapariga adolescente. Linda, charmosa, poderosa, inteligente... Ah! Preciso de parar de pensar nela.
Não queria que ela se esquecesse de mim durante o tempo que estivesse longe. Aquele rapazote, Erik... Estava sempre por perto, tinha a certesa que eles estavam a namorar. Então resolvi escrever um verso de Haiku.
“Ontem Rainha
Acorda crisálida.
Asas abrirá”?
Pus no seu armário, no meio dos livros de rituais, sem assinatura. Ela saberia quem o escreveu. Esta a chegar o ritual de lua cheia e pelo pouco que a conheço ela deverá vir à biblioteca pesquisar.
“Para Zoey
Airosa Pítia
Nyz não cobre seu rubro sonho.
Aceita o desejo”.
Este verso retrata bem duas coisas. O desejo de sangue que ela e eu temos. E o desejo físico que com certeza senti nos seus olhos e na forma como o seu corpo reagiu ao meu toque. Mal posso esperar para experimentar o seu sangue e o prazer que vem com ele.
Deusa!... Já estava a ficar com água na boca.
Neferet estava à minha espera quando voltei ao meu loft.
- Loren, preciso que me faças um grande favor. Eu só posso confiar em ti para este caso.
- Tudo o que desejares sacerdotisa. – inclineime com o punho no coração saudando-a como um guerreiro.
– É um caso sério, Loren. Senta-te que a história é longa.
Foi então que fiquei a saber dos mortos-vivos.
Ela contou-me que tinha conseguido trazer os calouros que não passavam pela transformação, de volta à vida. Só que eles voltavam diferentes, com uma necessidade intensa de sangue, hábitos pouco higiénicos e não podiam sair ao s
Sol.
Quando perguntei o porquê dela não ter comunicado a todos o facto. Ela disse que a sua intuição dizia que Nyx tinha um plano especial para eles.
O pedido era que eu levasse um carregamento de sangue para os túneis por baixo da estação de Tulssa. Quando os vi tive um baque.
Não imaginei que fosse assim tão horrivel. Eles eram imundos, os seus olhos vermelhos, os seus corpos esqueléticos e os seus modos...
Pareciam literalmente bichos. Como é que Nyx podia querer transformar pessoas naquilo?! Eu não compreendi, mas a sacerdotisa da Deusa deve saber o que está a fazer, não?
Deixei o sangue e quando estava de saída fui abordado pela polícia, mostrei os meus documentos, inventei uma desculpa qualquer e fui para a minha viagem planeada.


Gostaram? vou tentar encontrar a próxima parte

Que Nyx vos acompanhe :)

Crescendo já nas bancas!

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

O livro Crescendo de Becca Fitzpatrick já foi lançado! Como já podem ter reparado por mensagens no chat do blog, a continuação de Hush Hush, foi para o mercado no passado dia 21. É um livro que eu aconselho vivamente a ler enquanto se espera pelos da Casa da Noite. Deixo-vos agora com a ficha detalhada e  com a sinopse...




Autor: Becca Fitzpatrick
Editora: Porto Editora
Dimensões: 15,2 x 23,5 x 2,2 cm
Nº Páginas: 336
Encadernação: Capa Mole

Sinopse:
Depois do best-seller hush, hush

A vida de Nora Grey continua longe de ser perfeita. Sobreviver a um ataque que podia ter-lhe custado a vida não foi fácil, mas tudo se resolveu, graças ao seu anjo da guarda - uma criatura misteriosa, sedutora e bela.
Mas Patch tem sido tudo menos angelical. Está mais distante do que nunca e parece estar a passar demasiado tempo com a arqui-inimiga de Nora, Marcie Millar. E, como se isso não bastasse, Nora é assombrada por recordações do seu pai assassinado, começando a pensar que as intrigas dos anjos poderão estar relacionadas com a morte dele.
Desesperada por desvendar os estranhos acontecimentos do seu passado, Nora expõe-se ao perigo, na esperança de encontrar algumas respostas.
Mas todos sabemos que há perguntas que nunca devem ser feitas...


Poderão encomendá-lo online clicando aqui.

(Obrigada uma vez mais à Ângela!)

Benditos sejam!

Passatempo Frase da Semana: Informação!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Como só recebi uma candidata ao passatempo Frase da Semana esta semana, resolvi estender o passatempo até hoje às 23h59. Caso ninguém concorra até lá a frase que nos foi enviada será declarada frase da semana automaticamente.

Já sabem, esta semana a frase tem que ser sobre o livro Perseguida.

Que Nyx vos abençoe!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Foto fã: Paula Perleques

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

A nossa querida Paula Perleques fez a sua marca para festejar o Carnaval sem esquecer a nossa fabulosa saga, deixo-vos aqui a sua foto.



Também vocês poderão enviar as vossas fotos e desenhos para o email jwalter2412@gmail.com.
Benditos sejam!

Fanfic: Sangue Cruzado - Capitulo 2


CAPÍTULO DOIS

Cada vez mais me sentia me sentia invulgar e tão diferente daquilo que era antes. A minha vida mudara consideravelmente, considerando o quão foi difícil deixar a minha família para trás. Mas eles não me poderiam ajudar. Tomei aquela decisão de pura e espontânea vontade. Não queria expô-los ao perigo de terem uma criatura vulnerável ao sangue perante eles. Segundo após segundo, pensei se ir ou não para a Casa da Noite (a mais próxima que estivesse de Vancouver) fosse talvez uma solução que estaria pendente. Não. De certo que me dariam cargos e aulas bastante puxadas e eu não estava minimamente preparada para as arrecadar em cima dos ombros.
Virei-me para o outro lado da cama e fechei os olhos. Tudo estava muito sossegado e o silêncio irrompia o ar com o seu manto. Pelos vistos, os vizinhos do quarto ao lado tinham saído. Senão não sei como haveria de poder descansar. Olhei com relutância para as horas marcadas no meu relógio de pulso. Fiquei mesmo surpreendida, pois este indicava 19:00 horas. Tinha assim tanto sono que nem eu própria imaginara? Estava a sofrer a Mudança e bem que podia assegurar que o inesperado podia acontecer. Nyx era misteriosa e as suas decisões ainda eram mais.
Levantei-me e fui até à casa de banho, tomando um duche rápido para me refrescar as ideias e lavar a cabeça dos pensamentos inquietantes que me aborreciam. Vesti uma camisola preta de manda comprida e umas calças de ganga um pouco rasgadas nas pontas. Acho que era mesmo feitio delas. Calcei umas botas que andavam descaídas no quarto e saí do motel. Tive o cuidado de meter algumas madeixas de cabelo a tapar a minha Marca, se não quem sabe o que aconteceria. Possivelmente um escândalo ou uma montada de gente com forquilhas e tochas acesas à minha procura, perseguindo-me para onde quer que fosse.
O dia-a-dia normalizado continuava com o seu percurso. A maioria das pessoas estavam ainda a trabalhar, enquanto o resto se mantinha na calma e reconfortante paz que a natureza oferecera. Por vezes, sentia inveja deles. Estar assim como eles sem ter nada a recear. Poder ter uma vida sossegada e livre de perigos. Deixando de lado aquelas preocupações que faziam pouco sentido, olhei de relance para o Monsuit. Estava com boa clientela hoje. Também não me admirava nada, porque era mais ou menos quando a noite chegava que mais pessoas iam tomar lá o seu suposto cafezinho matinal.
Não podia falar muito. Eu também lá ia quando o tempo mo permitia. Nunca me levantava de manhã. Dormia sempre que o sol raiava no cume do céu e quando a noite chegava, levantava-me e segui-a com a pouca vida que possuía. Tendo em conta que tinha duas hipóteses entre mãos: completar a Mudança ou morrer e desaparecer por completo, a vida não se tornava mais fácil de arrecadar. Mas explorar todo o mundo à procura de algo que fosse realmente importante e que fizesse sentido para mim era mesmo uma complicação dos diabos.
Porém, tudo teria uma explicação lógica. Pelo menos, era nisso que acreditava antes de ser marcada. Todas as minhas crenças foram-se deixando para trás enquanto eu avançava face a uma vida completamente nova e desconhecida donde não conhecia nada nem ninguém. Estava solta num mundo que ocultava muitos segredos, onde o sobrenatural parecia ganhar vida à minha medida que dava um passo em frente. Manter-me incógnita e discreta parecia ser a única maneira de sobreviver e fui adoptando-a ao meu próprio ser.
Parei em frente a um parque, donde se viam baloiços e caixas de areia onde as crianças humanas costumam brincar nos seus tempos livres. Comecei a recordar alguns dos bons momentos que passara com a minha família, o que me fez soltar uma lágrima que traçava um caminho até à zona do queixo. Fui sentar-me num daqueles baloiços, procurando ainda indefinidas respostas para tudo o que se havia passado comigo. Em pensamentos, fui retratando todos os altos e baixos que a minha “nova vida” poderia ter, mas não podia manter grandes esperanças. Podia rejeitar a mudança a qualquer altura e morrer instantaneamente.
Dantes pouco sabia sobre Nyx e os seus conhecimentos. Por sorte, tinha livros históricos na prateleira duma estante da minha antiga casa que me ajudaram a assimilar pouco a pouco todo o seu conteúdo. Com isso, consegui safar-me por uns tempos neste tempo desolado em que vivo neste momento.
Tinha tosses compulsivas já há uns dias. Devo estar a ficar doente, mas porquê? Apenas tinha duas soluções: ir para uma Casa da Noite, o que está seriamente fora da minha lista de coisas a cumprir ou encontrar um vampyro adulto e permanecer a seu lado por algum tempo. Se bem que a segunda solução me parecia a melhor. Detestava acima de tudo andar em colégios e este encaixava, de certa forma, naquela categoria bizarra. Por um lado, desejava uma vida normal tal e qual como eu sempre quisera, sendo igual à minha “vida de sonho”.
A lua já repousava no céu, trazendo o seu manto estrelado para iluminar cada canto escuro. Tornava-se numa visão digna de se observar, se estivesse no campo. Sendo assim, tinha que me contentar com aquilo que tinha. Ergui-me do baloiço e fui para o Monsuit, desejando outro daqueles quentes mas suaves cafés para me acalmar a garganta e fazer esquecer as poucas fatigantes horas que restavam ao dia.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Passatempo Frase da Semana: Perseguida - Aberto!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

Informações:

  1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
  2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
  3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
  4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.


Datas:

A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

Prémio:

O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

Importante:

Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 25 de Março, e a frase deve ser sobre o livro Perseguida
As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


Que Nyx vos abençoe!

Tatuagens de fãs!


 Espero que gostem da tatuagem que o Heider fez em homenagem à nossa série favorita!

Que Nyx vos acompanhe :)

Fanarte: Raphiam

quarta-feira, 23 de março de 2011

Extras de Loren Blake

Bem... encontrei isto já à algum tempo e, no fundo, é a história da Zoey e do Loren na verção deste último. Espero que gostem. Parte 1.1 Meu querido, ainda bem que já chegaste. Vem aqui – disse Neferet, abrindo-me os braços. - Estou pronto para ti amor. Sabes, aquela iniciada até que é bonita, aquela nova sacerdotisa. Zoey certo? – disse, sabendo que a provocaria. Sacerdotisa em treino. Disse ela. Os seus olhos piscaram com um ressentimento brincalhão, depois voltou ao tom de luxuria que vi assim que cheguei. Lembro-me da primeira vez que a vi, no ritual de Lua Cheia da Deusa. Foi difícil não olhar. A sua marca preenchida e acrescentada. Neferet já me havia falado dela. Da sua marca e não deixou de mencionar que ela estava a esconder algo e a raiva que tinha de não conceguir ler a sua mente como lia a de todos. Além disso, ela não tinha acreditado na história de “bater com a cabeça” e quando acordou a marca estava preenchida, que ela contava a quem perguntava. Neferet achava que Zoey estava nalguma missão em prole da Deusa. Afinal, ter afinidade com os cinco elementos nunca tinha acontecido antes. Ela só se tinha esquecido de mencionar a sua beleza. Ela realmente era bela, provavelmente também era fútil e desengonçada como normalmente as raparigas da sua idade são. E provavelmente sem nada na cabeça. O meu caso com Neferet começou quando eu ainda era caloiro. Sempre fui mais bonito do que os outros rapazes o que fez com que tivesse todas as raparigas que queria, mesmo antes de ter sido marcado. Tenho um histórico muito bom, nunca na minha vida ouvi um não. Neste caso quem me seduziu foi Neferet, já que ela me metia, e ainda mete, um pouco de medo. Além de bonita ela é muito poderosa e eu sabia que os seus podres estavam a aumentar com o tempo. Ela tinha-mo confidenciado uma vez. Desde então encontramo-nos na cama periodicamente. Ela é incrivelmente linda e charmosa e ensinou-me muitas coisas que eu nem pensava existirem. Muitas coisas relacionadas com sangue e sexo. Não sou fiel, sei que sou professor e não me devo relacionar intimamente com alunas. Ainda mais rapariguinhas. Neferet não me conseguiria manter na escola se alguém soubesse que eu namorava com crianças. Ri-me. Na verdade excita-me um pouco o jogo da conquista, mas nunca encontrei nenhuma aluna que valesse a pena arriscar. Quando descobri que a rapariga exercia um controlo com todos os elementos não tive escolha. Linda, protegida pessoal de Nyx e ainda por cima, a única da história a controlar os elementos, eu tinha que conhecê-la. Tinha quase a certeza que, quando a encontrasse me iria decepcionar. Ela andava com aquelas gémeas bizarras que completavam as frases uma da outra a toda a hora e que viviam a observar-me e a babarem-se. Não tinham nenhum talento para poesia. Elas frequentavam a minha aula só para me verem, pelas palavras e pensamentos que escutava. A futilidade ali era aos gritos. Com certeza que a Zoey era tão fútil quanto elas. O que eu queria mesmo era só satisfazer a minha necessidade de namoriscar, atrair e de, claro, fazer sexo. Eu simplesmente não me importava com o que ela dissesse. Entraria por um ouvido e sairia por outro. Eu só iria usar o sentido da visão. E do tacto claro. Hummm... Então encontrei-a na biblioteca, na verdade segui-a e fiquei a observá-la um pouco. Ela escrevia sem parar no caderno. Que bom, parece que tinha encontrado alguma coisa interessante. Será que ela gostava de poesia? Cheguei-me mais perto. - Pareces completamente absorta nisso. – perguntei curioso. Ela olhou para mim como se tivesse visto um fantasma. Estava tão concentrada que nem reparou que havia mais alguém na biblioteca. O que não é normal para mim. Quando chego perto de uma mulher ela pára e olha. É o padrão! As suas tatuagens eram tão incrivelmente lindas, que me deram vontade de lhes tocar. Pisquei os olhos para os tentar manter focados. - Desculpa, não queria intrerromper, mas é tão invulgar ver alguém escrever tão fervorosamente à mão, em vez de bater teclas de computador, que até pensei que estarias a escrever poesia. Eu prefiro escrever poesia à mão. O computador é demasiado impessoal. - Eu...hum...não estou a escrever poesia.– disse. É claro! É fútil como eu pensava. Nem falar sabe! É melhor eu ir embora não vale a pena perder tempo com isso nem por esta carinha bonita. - Enfim, não faz mal confirmar. Gostei de falar contigo. Eu virei-me para ir embora quando ela falou. - Também acho que computadores são muito impessoais. Nunca escrevi realmente poesia, mas quando eu escrevo qualquer coisa importante para mim, gosto de o fazer assim. – disse a mostrar a caneta. Olhei outra vez para as sua tatuagens. Realmente facinante. Ela deve ser muito especial para Nyx. Conseguiria escrever um livro inteiro de poesia apenas a descrever a beleza exótica das suas tatuagens. - Bem, talvez devas experimentar escrever poesia. Parece que podes muito bem ter alma de poeta. – disse eu. Com aquelas tatuagens encantadoras e aquele sorriso... Quem sabe? – Geralmente a estas horas venho cá para a Safo fazer uma pausa. Não sou professor a tempo inteiro porque só cá estou este ano lectivo. Só dou duas aulas, por isso tempo não me falta. Sou o Loren Blake, Poeta Laureado Vampyro. – disse e comprimentei-a com o braço como as amazonas. O braço dela era quente. E o olhar sexy. Bolas! - Eu sei. – disse ela simplesmente. Depois completou parecendo desajeitada, graciosamente desajeitada. – quer dizer, sei quem o professor é. É o primeiro Poeta Laureado dos últimos duzentos anos. Eu sou a Zoeh Redbird. - Eu também sei quem tu és. - Sorri e ela corou. Ficou lindamente corada. À tanto tempo que eu não usava tantos adjetivos assim num primeiro encontro. Que estranho. – És a primeira iniciada a ter uma marca colorida e expandida, e a unica vampe, iniciada ou adulta, a ter afinidade com os cinco elementos. É bom conhecer-te finalmente em pessoa. A Neferet falou-me muito de ti. - Ai sim? - Claro que sim. Tem muitíssimo orgulho em ti. – Ela ficou ainda mais corada. Bom, não era exatamente o que Neferet dissera, mas deveria ficar orgulhosa de ter uma iniciada como ela. – Não quero interromper o teu trabalho mas, posso sentar-me aqui um bocadinho? - perguntei. Quem sabe, talvez a pudesse conhecer melhor. - Sim, claro. Eu estou mesmo a precisar de uma pausa. Acho que tenho o rabo dormente. – tive de me rir, ela estava tão embaraçada. E os seus olhos brilhavam de uma forma atrativa. - Então, se não for muito pessoal, posso perguntar no que estás a trabalhar tão afincadamente? Ela demorou tanto tempo para falar que achei que não queria contar. E realmente não conceguia ler nada na sua mente. Estava acostumado a ver os pensamentos dos caloiros com algum esforço. E nos dela só podia supor. Será que ela escondia algo, como dizia Neferet? - Zoeh? Se não me quiseres dizer no que estás a trabalhar tudo bem. Eu realmente não queria incomodar. - Não! Esta tudo bem. – ela respirou fundo. – Desculpe, acho que ainda estava a pensar na minha pesquisa. Será? Depois começou a dizer tudo que estava a planear para modificar as “Filhas Das Trevas” e tive de me controlar para não ficar de boca aberta à sua frente. A rapariga sabia o que estava a fazer. Não era fútil como eu tinha imaginado. Zoey era muito esperta e quando falava parecia mais madura do que a idade que tinha. Sorriu com um sorriso encantador e sábio. - Parece-me um novo ritual que Nyx aprovaria. – disse ela. Estava completamente encantado. As suas palavras soaram como as de uma alta sacerdotisa. Ela exalava magia pelos poros. Engoli em seco antes de dizer: - Eu gostei. Acho que é uma boa ideia. - A sério?! Não está a dizer isso só por dizer? – perguntou. - Há uma coisa que tens de saber sobre mim. Eu não minto. – e fiz o meu melhor sorriso. Não estava a mentir quando disse aquilo. Eu era sim, namoradeiro, mas nunca menti a ninguém. Neferet sabia dos meus casos, como eu sei dos casos dela. Zoey continuou a explicar-me e falou dos juramentos. Estavamos tão próximos que eu podia sentir o seu cheiro, o seu hálito rico e uma pontada de desejo passou por mim. Ela olhou para dentro dos meus olhos e um arrepio trespaçou-me. Precisava de tocar naquelas marcas, eram fascinantes. Lentamente aproximei-me e toquei nas marcas que se estendiam pelos seus olhos. - Linda, inteligente e inocente. – disse com uma pontada de desejo na voz. Não o fiz com a intensão de conquistá-la, simplesmente não consegui controlar o desejo de tocá-la. O seu cheiro, o cheiro do seu sangue era delicioso. Eu queria provar. Eu queria sentir o poder do sangue dela no meu corpo. E um poema veio-me à mente. – “A melhor parte da beleza é aquela que nenhuma figura pode expressar”. De repente, uma aluna entrou na biblioteca vazia e tirou-me do transe. Ah! Era Afrodite. Eu fui para o loft dos poetas, mas não consegui parar de pensar nela. À tanto tempo que uma mulher não me atraía assim tanto. Quanto mais conversava com ela mais atraido ficava até que, no final, eu quase a tinha beijado. O que seria um erro. Bom... Como deve ser beijála? Aquela boca vermelha, húmida e aquele cabelo... Fogo! Vou enlouquecer. Respirei fundo para me controlar e resolvi sair para escrever poesia. Hoje estava com certeza inspirado. Haiku era o que iria escrever. Uma das formas de fazer poesia mais complexas e difíceis. Escrever um Haiku que preserve o seu conceito, 575 sílabas métricas e ainda mostre beleza poética, pode exigir do escritor a maior habilidade e consciencialização das idéias envolvidas. E eu estava a transpirar poesia. Gostaram? no sábado ponho o resto. Que Nyx vos acompanhe :)

SIMS3 por Sara Barbosa - Kalona

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Acabamos hoje o trabalho feito pela nossa querida Sara Barbosa, que fez as personagens principais da Casa da Noite em forma de SIMS3. E não podiamos acabar da melhor maneira. Que acham do vilão mais espetacularmente lindo do mundo?

Kalona

Que Nyx vos abençoe!

Passatempo Frase da Semana: Perseguida - Aberto!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

Informações:

  1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
  2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
  3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
  4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.


Datas:

A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

Prémio:

O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

Importante:

Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 25 de Março, e a frase deve ser sobre o livro Perseguida
As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


Que Nyx vos abençoe!

terça-feira, 22 de março de 2011

Burned finalista do Children's Choice Book Awards!!!

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!


O livro Burned é finalista do concurso Children's Choice Awards e as nossas queridas escritoras estão muito contentes e excitadas por verem o seu trabalho reconhecido e agradecem aos fãs as votações. Poderão ver a seguir a lista completa dos livros que se encontram na final...

  • Burned (House of Night, Book 7) by P.C. Cast and Kristin Cast (St. Martin’s Griffin/Macmillan)
  • Fang (A Maximum Ride Novel) by James Patterson (Little, Brown)
  • Mockingjay (The Final Book of The Hunger Games) by Suzanne Collins (Scholastic Press)
  • Spirit Bound (Vampire Academy, Book 5) by Richelle Mead (Razorbill/Penguin)
  • Will Grayson, Will Grayson by John Green and David Levithan (Dutton/Penguin)

 Para saberem mais e votarem no vosso livro favorito vão ao site http://www.cbcbooks.org/

Benditos sejam!

SIMS3 por Sara Barbosa - Jack Twist

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Trago-vos hoje a pessoa mais doce de toda a trama, Jack Twist. Que acham?

Jack Twist

Que Nyx vos abençoe!

segunda-feira, 21 de março de 2011

SIMS3 por Sara Barbosa - Damien Maslin

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Como imaginam o gay mais bonzão da história?

Damien Maslin

Que Nyx vos abençoe!

Fanfic: The Girl With The Red Rose - Capitulo 6

Capitulo 6
Mariana

O que raio se passava comigo? O que aconteceu há pouco lá fora no pátio? Estava deitada na cama a dar voltas à cabeça. Talvez Joka tivesse razão e eu estava simplesmente abalada e cansada com o facto de ter sido marcada. Mas eu sei o que vi, aquela rapariga estava mesmo ali, ela esteve mesmo a falar comigo, mas quando tentei tocar-lhe… trespassei-a simplesmente, como se fosse mesmo um fantasma e tivesse mesmo morrido. Ah, estava a ficar com dores de cabeça, já deviam ser 4 da tarde, e ainda não conseguira pregar olho. Eu só queria ambientar-me, queria finalmente encontrar o meu lugar neste mundo, mas a única coisa que recebo são mais preocupações e uma marca diferente da dos outros.
Depois de muitas voltas dar na cama consegui finalmente adormecer e entrar no mundo dos sonhos.
****
Estava numa cela? Bem, os meus sonhos iam de mal a pior... As paredes eram feitas de pedra e já pareciam ter uns bons anos. Conseguia cheirar o cheiro a esgoto que me fez lágrimas nos olhos.
-Bah que nojo. – sacudi a mão à frente do nariz na tentativa de afastar aquele cheiro a podre. Vi as grades que serviam de porta para a cela e aproximei-me delas. Porque raio estava eu numa cela?
Olhei para fora da cela nauseabunda, existiam várias celas, parecia uma masmorra de um castelo com um corredor enorme. Um gato preto com uma rosa vermelha na boca aproximou-se das grades.
-O ALP! VEM AÍ O ALP! – ouvi uma voz feminina seguida por vários suspiros. O que raio era um Alp? O gato que estava à porta da minha cela transformou-se num homem, um homem realmente belo. Aquela beleza fez-me crescer água na boca. Abriu a porta da cela passando como se eu não estivesse ali, dirigiu-se até ao fundo da sala onde estava uma rapariga. (Como é que eu não a vi?) Ofereceu-lhe a rosa e beijou-a.
-Vem comigo minha querida, o mestre Kalona está ansioso por te ver. – sem hesitar a rapariga pegou na rosa e deu-lhe a mão. Quando se dirigiram à porta consegui finalmente ver a cara da rapariga. Fiquei completamente paralisada quando vi que era a Margarida.
-Margarida! Não podes ir! Vais morrer! - berrei tentando alcançá-la, mas como acontecera anteriormente a minha mão trespassou-a. Mas desta vez era diferente, nem ela nem o homem olharam para mim quando eu berrei. Parecia que eles não me viam, como se eu não estivesse ali. Fiz um movimento tão brusco em direcção às grades, que só tive tempo de me inclinar para o lado, mas ao invés de embater nas grades passei por dentro delas como um fantasma. Virei-me para dentro da cela, ficando a olhar estupefacta para as minhas mãos. Como podia isto ser possível? Tudo bem que eu estava a sonhar, mas há menos de duas hora quando ainda estava acordada aconteceu-me o mesmo com a Margarida, e Joka não vira rigorosamente nada. Virei-me novamente para o corredor para avisar Margarida do perigo que ela corria. Corri atrás dela, desta vez não tentei sequer abrir a porta pela qual eles entraram, limitei-me a passar através dela. Fiquei estupefacta ao ver a magnífica criatura que ali estava, era um anjo! Um anjo com majestosas asas pretas, caí de joelhos perante ele. Fora um acto involuntário, os meus joelhos simplesmente cederam. Ele tinha Margarida nos braços, envolvendo-a com as suas grandes asas negras.
-Entregas-te a mim? – a voz do anjo era tão doce…
-Sim! – Margarida não hesitou em responder-lhe.
-Entregas-me teu corpo e alma meu amor?
-Sim, corpo e alma… Depois só consegui ouvir margarida gemer e estremecer ligeiramente.
Poucos segundo depois o anjo segurou-a nos braços, ela estava branca como a cal da parede e a marca que jazia na sua testa perdera toda a cor ficando negra. Ela estava morta, morrera mesmo. A angústia que senti foi tanta que finalmente acordei.
*****
Acordei em pânico, estava completamente suada. Afastei os cobertores e sentei-me na cama levando as mãos à cabeça. Eu não estava bem, não estava nada, nada bem. Mas que raio se estava a passar comigo? Quando dei por mim estava a chorar.
-Tem calma, tem calma nada disto foi real, foi só um pesadelo. – tentei convencer-me a mim própria de que estava tudo bem. Senti uma pesada respiração vir da cadeira que estava ao lado da minha cama. Virei-me ligeiramente para o lado. Era a Margarida que estava sentada na cadeira, segurava a rosa enquanto olhava para mim.
-Não foi nenhum pesadelo. Não querias saber como tinha morrido? Pronto, agora já sabes. – não conseguia olhar para ela, levei as mãos à cara para reprimir o choro. Eu estava a ficar com medo. Nunca acreditei que fosse possível ver os mortos, mas também nunca pensei tornar-me uma iniciada vampyra. Margarida sentou-se na minha cama e ficou a olhar para mim.
-Por favor, vai-te embora! Deixa-me, tu não estás aqui, és só fruto da minha imaginação! Desaparece! – estava a ficar desesperada, já não sabia como ligar com esta situação.
-Tu é que pediste para eu te contar o que se tinha passado comigo, eu só te mostrei. E nem penses que me vou embora, já não falo com ninguém vivo desde que morri! E aposto que os outros também vão querer falar contigo, és a única maneira que temos para falar com os vivos…. – interrompi-a.
-OUTROS!? Mas que outros? Estás a dizer-me que há mais iguais a ti?
-Claro que sim. Ou achavas que eu era a única? Alô? Lembra-te que estas na casa da noite, aqui morrem iniciados todos os dias.
-Mas eu só te vi a ti! – comecei a entrar em pânico.
-Pois, mas se eu tivesse passado por ti num corredor? Terias-te apercebido de que os outros não me vêem? Há muitos iniciados que não conseguem ir ter com Nyx quando morrem. E ficam aqui na casa da Noite por algum motivo.
-Mas porque ficas-te tu aqui?
-Só aqui estou porque perdi metade da alma. Deixei-me encantar por Kalona, e ele ficou-me com metade da alma. Só vai ter com Nyx quem morreu por não passar pela mudança. Oh Mariana, estou tão feliz por Nyx te ter finalmente enviado, o teu dom vai salvar-nos!
-O meu dom? – limpei as lágrimas e franzi-lhe o sobrolho.
-Claro tonta! Ou pensas que todos andam para aí a falar com os mortos?
-Não, mas porquê eu? Logo agora que eu estava a começar a gostar da minha nova vida, só cá estou há um dia e já está completamente virada de pernas para o ar.

Passatempo Frase da Semana: Perseguida - Aberto!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

Informações:

  1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
  2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
  3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
  4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.


Datas:

A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

Prémio:

O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

Importante:

Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 25 de Março, e a frase deve ser sobre o livro Perseguida
As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


Que Nyx vos abençoe!

domingo, 20 de março de 2011

Passatempo Frase da Semana: Indomável - Resultados

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Já sairam os resultados do passatempo Frase da Semana, aqui vão elas:

  1. Fizeste bem em chamar-me. Devias obedecer ao teu verdadeiro instinto com mais frequência, Zoey. Nunca te orientará mal. - Nyx - Inês Margarida - 16 (19%)
  2. Promete-me que não me esquecerás. - James Stark - Rita - 66 (80%)

Parabéns à Rita!!!

Que Nyx vos abençoe!

SIMS3 por Sara Barbosa - Dário

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Com tão pouca discrição sobre o Dário, alguma vez o imaginaram especificamente?

Dário

Que Nyx vos abençoe!

Fanarte: Neferet

 Trago-vos mais uma fanarte da nossa malvada Neferet. Espero que gostem :)

sábado, 19 de março de 2011

SIMS3 por Sara Barbosa - Afrodite LaFont

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Será a Afrodite como vocês a imaginaram?

Afrodite LaFont

Que Nyx vos abençoe!

Passatempo Frase da Semana: Indomável - Votação

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Já está em votação, até as 20 horas de amanhã, as frases para o passatempo Frase da Semana.

As frases são as seguintes:

  1. Promete-me que não me esquecerás. - James Stark
  2. Fizeste bem em chamar-me. Devias obedecer ao teu verdadeiro instinto com mais frequência, Zoey. Nunca te orientará mal. - Nyx

Não vou dizer os nomes das participantes para não haver influencias. Votem na melhor frase. No dia de anunciar o/a vencedor/a direi o nome do/a mesmo/a.

Importante:

  • Não votem por comentário, esses votos não contam. Vão à area das sondagens, do lado esquerdo do monitor, para votar.
  • Os resultados sairão até à meia noite de amanhã.

Que Nyx vos abençoe!

sexta-feira, 18 de março de 2011

"O Beijo dos Elfos", de Aprilynne Pike

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

"O Beijo dos Elfos", de Aprilynne Pike, editado pela Contraponto,  parece ter cativado os leitores. Dêm uma olhada na sinopse e depois digam algo.


Sinopse:

“Laurel é uma jovem de quinze anos diferente – frágil, vegan e amante da natureza – que se muda com os pais para outra cidade.

Integrar-se na nova escola e fazer amigos são questões complicadas para uma rapariga tímida como ela, mas o atraente David ajuda-a a ambientar-se.

É então que acontece algo inexplicável que aterroriza Laurel: diante do espelho, vê surgir sobre os seus ombros umas formas longas branco-azuladas, de uma beleza quase indescritível, como as pétalas a pairar no ar junto à sua cabeça – semelhantes a asas.

Para perceber o sucedido, a jovem regressa à sua cidade natal, onde conhecera Tamani, um magnetizante rapaz de olhar cor de esmeralda. Ele parece conhece-la desde sempre e vai revelar-lhe uma verdade aterradora.

A partir desse momento, Laurel ver-se-á suspensa entre dois mundos e dividida entre dois rapazes igualmente fascinantes, que a atraem em direcções opostas…”

Aqui fica o link de uma crítica publicada no blog As Histórias de Elphaba sobre este livro...

Benditos sejam!

Nova membra...

Olá a todos,
o meu nome é Sara e como já devem ter calculado sou a nova membra do blog. Bem, sou nova nestas coisas e espero estar a altura.
Eu nasci em Portugal e vivi ai toda a minha vida até à 2 anos. Agora vivo em Maputo e consequentemente um pouco afastada da civilização :S mas pronto. Ha! Já agora, tenho 15 anos.
Espero que gostem das minhas postagens.

Beijos e benditos sejam todos.

SIMS3 por Sara Barbosa - Neferet

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Nunca se apanharam a questionar-se a vós mesmos como alguém tão belo pode ser tão mau?

Neferet

Que Nyx vos abençoe!

Fanfic: Sangue Cruzado - Capitulo 1


CAPÍTULO UM

Nas inúmeras viagens que fizera, nenhuma fora tão bela como aquela que fiz a Vancouver. Cidade já por si bela, purificava as pessoas com uma aura de tranquilidade. Quem me dera poder encontrar uma resposta para a única pergunta que residia na minha cabeça: porquê havia sido Marcada? Sempre que pensava naquilo, menos relutância se fazia parecer. Procurei sempre ver se existia alguém como eu. Óbvio que existiam pessoas assim. A serem devidamente preparadas para se tornarem vampyros. Eu não queria aquele destino. Queria seguir com a minha vida, como sempre fizera.
Não queria depender de nada nem de ninguém para ter a vida que sempre desejara para mim. Apesar de saber que podia ficar doente se não fosse para uma Casa da Noite ou se não estivesse perto de um vampyro adulto. Preferia mil vezes a última hipótese. Porém, resignava a hipótese de morrer. Isso estava claramente fora de questão. Mas como havia de saber todas estas coisas se não estava devidamente preparada? Estava sozinha naquele mundo escuro e frio, sem ninguém para me apoiar e cuidar de mim. Sendo uma criatura supostamente mitológica, se bem que ainda estou a passar pela Mudança portanto ainda não sou bem mitológica tanto quanto isso, quem é que iria sequer arriscar estar ao pé de mim?
Enquanto murmurava para mim respostas sem qualquer sentido, nem sequer havia reparado que ainda estava sentada numa mesa do canto, ao pé do café Monsuit. Coisa estranha, admito. Ainda tinha o café à minha frente a soprar o vapor para o ar, dissolvendo-se em milésimos de segundo. Tomei-o cuidadosamente, tomando atenção a toda a gente à minha volta para que não reparassem na minha marca. Podiam caçar-me ou torturar-me. Tinha que ter o máximo de cautela. Ao mínimo deslize, a morte estaria bem mais próxima do que eu poderia julgar.
As notícias da rádio estavam a relatar vários acontecimentos, entre os quais um pelo menos me causou uma impertinente atenção: “ Perante alguns incidentes que têm percorrido o mundo inteiro, estudantes têm desaparecido sem deixar rasto. Ninguém sabe o como ou o porquê, mas simplesmente se desvaneceram. O Povo da Fé já tem reunido mais alguns apoiantes, a fim de porem término à vida das criaturas a que chamam vampyros. Muita gente tem entrado em pânico, mas temos todos de manter a calma. Quem sabe o que andará mais por aí. E aqui terminamos a nossa emissão desta noite.”
Pelos vistos, agora anda tudo a ser Marcado. Mas não fazia qualquer sentido. Nyx só marcava aqueles que teriam algum potencial e um coração nobre. Eu nunca me consegui encaixar em nenhuma daquelas possibilidades. A única coisa que desejava era paz. Paz e tranquilidade eram as únicas coisas que se podiam conseguir somente em Vancouver. Pelo menos, tinha um quarto alugado no motel aqui do lado. Lugar onde pudesse descansar e alimentar com frequência. Mas aquele noticiário de certo que me assustou. Estudantes haviam desaparecido assim do nada e a polícia não tinha quaisquer explicações para dar aos familiares preocupados. Deviam ter prestado mais atenção aos movimentos do parente que havia sumido, isso sem dúvida nenhuma.
Quase todas as conversas que ouvia com relutância ou eram sobre os mais secantes desportos ou eram sobre o facto Sobrenatural. Ouvia isto quase todos os dias. Antes fosse ouvir os discursos de moda ou as entrevistas aos políticos que lideravam o país. Dirigi-me até ao balcão e deixei lá 5 dólares, não me importando com o troco que ia receber. Saí rapidamente do café e dirigi-me para o motel. Por razões unívocas, a noite permanecia escura e sombria, como sempre ficava cada vez que no horizonte aparecia o anoitecer.
Puxei o fecho do casaco para cima, mas nem mesmo assim deixei de sentir o frio a percorrer-me o corpo todo. Mas senti que estava alguém perto fora do normal. Alguém não-humano. Algum vampyro talvez? Tendo em conta os recentes acontecimentos, nada mais me poderia surpreender. A minha vida era meramente monótona. Nada de interessante havia nela. Andava sempre isolada de tudo e todos para meu próprio bem. Calada para nunca ter de me meter em sarilhos ou com o medo de ser magoada por alguém.
Andava tão perdida nos meus pensamentos que até esbarrei contra alguém. Por sorte, não caí senão seria uma vergonha tremenda. Não levantei a cara para pedir desculpas, mas senti uma mão a segurar-me o braço, como se estivesse a ajudar-me. Num sussurro benevolente pude ouvir “Desculpa. Fui um bocado descuidado”. Apesar de a sua voz soar como uma doce melodia de inverno, não pude deixar de notar de onde viera. Pertencia a um rapaz, de certeza. Não quis criar complicações por isso ajeitei-me e voltei a seguir o caminho para o motel.
Quando cheguei, entrei no meu quarto o mais rápido possível e deitei-me na minha cama, ainda a pensar no que havia acontecido durante o dia. O sono andava constantemente a trocar-me as voltas, como se estivesse a dizer-me que o dia e a noite haviam sido alterados, mudando a ordem inversa do tempo. Esperava que Nyx me ajudasse a encontrar um sítio ao qual pudesse chamar casa. Não seria mesmo possível para mim ter algo assim tão precioso. Admirava os seres mitológicos, mas não imaginava que um dia me poderia converter num deles.
Mas o passado já não podia ser alterado. Apenas tinha que viver em conformidade com a decisão de Nyx em ter-me marcado. Encostei a minha cabeça à almofada e adormeci perante o conforto que ela me proporcionava, a pensar no que na minha vida poderia ser mudado: no presente ou no futuro. Mas o meu nome permanecia incógnito. E esse nome era Scarlett Parker.

Passatempo Frase da Semana: Indomável - Aberto!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

Informações:

  1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
  2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
  3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
  4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.


Datas:

A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

Prémio:

O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

Importante:

Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 18 de Março, e a frase deve ser sobre o livro Indomável
As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


Que Nyx vos abençoe!

quinta-feira, 17 de março de 2011

Jeremiah S. Chechik

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Há pouco mais de um ano dei-vos a conhecer Michael Birnbaum, um dos produtores do filme Casa da Noite. Hoje trago-vos Jeremy S. Chechik, o qual não é falado, mas também será produtor do filme da nossa querida saga. Ao contrário de Michael, Jeremy tem produções conhecidas no seu currículo, como Jonas, Gossip Girl, Chuck e Bons Rapazes.
Uma pequena introdução.

Jeremiah S. Chechik, nascido em 1955 em Montreal, Quebec, Canada, é director de filmes como National Lampoon's Christmas Vacation, Benny & Joon, Diabolique e The Avengers.

Chechik foi nomeado para Pior Director em 1998 nos prémios Golden Raspberry pelo filme The Avengers, mas perdeu para Gus Van Sant com o seu remake de Psycho.

Em 2007, Chechik direccionou todos os primeiros oito episódios de The Bronx is Burning. Ele, com o produtor Michael Birnbaum, comprou os direitos dos primeiros nove livros da Série Casa da Noite de P.C. e Kristen Cast a 17 de Novembro de 2008.

Não nos assustemos com a nomeação para Pior Director. Primeiro, ele não ganhou, segundo, é director de quatro séries de sucesso, terceiro, a nomeação já foi à treze anos e foi a única nomeação do género em vinte e dois anos de carreira (iniciou-se em 1989), e quarto, já vimos grandes actores serem considerados "os piores" e "os melhores" diversas vezes, certo? ;)

Que Nyx vos abençoe!

Fonte

Fanarte: Zoey

Trago vos este fanarte que encontrei. É bem giro, não?


Zoye Redbird feito por: didoo0501

SIMS3 por Sara Barbosa - Heath Luck

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Bem, às vezes apanho-me a questionar a mim mesma. Será que eu também não ficaria confusa com os três pedaçoes de mau caminho que a Zoey tem atrás dela? Humm, acho que ficava =') Vejam o nosso querido jogador de futebol.

Heath Luck

Que Nyx vos abençoe!

Parabéns à Márcia!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Hoje temos mais um aniversário. A nossa querida Márcia, de Coimbra, faz hoje 13 aninhos!!!

Parabéns à Márcia de toda a equipa do blogue Casa da Noite Portugal!!!


Que Nyx te abençoe!

quarta-feira, 16 de março de 2011

Passatempo Frase da Semana: Indomável - Aberto!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

O Passatempo Frase da Semana está aberto. Estamos à espera das vossas candidaturas ;)

Informações:

  1. Todas as semanas será escolhida uma frase de cada livro da saga lançado em Portugal, começando pelo Marcada, depois Traída, e assim sucessivamente.
  2. Vocês enviam a frase ideal para vocês para o e-mail casadanoitept@gmail.com com o titulo "Frase da Semana - (Titulo do livro da semana)", o vosso Nome, Idade e Localidade (não é a morada).
  3. A frase irá a votos no blogue e a mais votada será postada como frase da semana do blogue.
  4. Só é aceite uma frase por pessoa na mesma semana.


Datas:

A frase será postada todas as Segundas-Feiras, e o passatempo será lançado logo de seguida, no mesmo dia. As frases deverão ser enviadas até Sexta-Feira às 23h59 para ficarem Sábado e Domingo em votação (Qualquer frase enviada depois dessa hora não será aceite).

Prémio:

O prémio é a vossa frase, caso ganhe, ser postada no blogue. Não existe qualquer outro prémio.

Importante:

Deves entregar a frase até Sexta-Feira, dia 18 de Março, e a frase deve ser sobre o livro Indomável
As frases devem ser frases presentes nos livros e não inventadas por vocês.


Que Nyx vos abençoe!

Blogue Windsor Blackrose

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Foi criado um blogue por duas fãs tanto da saga Luz e Escuridão como da saga Casa da Noite, tentando misturar as duas histórias com um toque pessoal. O blogue resulta da junção de ideias entre duas pessoas. Trata a história de uma adolescente que se transforma em vampira por hereditariedade e que vai para "uma universidade".
As autoras começaram a escrever porque são seguidoras assíduas das sagas já mencionadas e elas foram a sua inspiração para começar esta história. O site é este windsor-blackrose.blogspot.com.

Que Nyx vos abençoe!

SIMS3 por Sara Barbosa - James Stark

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Depois do fanico de ontem, estão preparadas para trepar as paredes? =') Aqui trago hoje o rebelde da trama, James Stark. Apreciem só.

James Stark

Que Nyx vos abençoe!