http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Fanfic: Confused - Capitulo 8

Capítulo 8

Eu tinha que fazer alguma coisa. Mas o quê?
Não podia permitir que o Erik sugasse o sangue de Melody, não podia mesmo.
Foi então que me ocorreu uma ideia que embora me parecesse um bocadinho estúpida e talvez até perigosa, poderia atrair a atenção dele para mim.
Procurei na terra e encontrei o que queria: uma pedra bastante afiada na ponta. Apanhei-a e cortei-me propositadamente. Segundos depois uma fina linha vermelho vivo descia-me pelo braço e caia no chão, misturando-se com a terra.
Erik começou lentamente a afastar-se de Melody e observava o sangue que me escorria do braço.
Subitamente, deixou de fitar o meu sangue e olhou-me nos olhos.
-Porquê eu Mia, porquê? – Balbuciou.
-Controla-te. Evita o contacto visual com o sangue. Olha para mim – Supliquei-lhe e desejei com todas as minhas forças que Damien chegasse depressa com a ajuda.
Erik olhava intensamente para os meus olhos e fazia um esforço tremendo para não desviar o olhar.
-Eu não sou um monstro – Afirmou, sempre fitando-me. Tentava não me mexer, para que ele não se desconcentrasse. – Eu não sei o que me deu. Não me consegui controlar.
-Tu até te controlas-te. Não lhe fizeste mal.
-Mas também não a ajudei. A esta hora ela deveria estar na enfermaria ou talvez até mesmo no hospital – Afirmou – Se eu não estivesse aqui ela estaria muito melhor.
-Se tu não estivesses aqui, provavelmente eu também não, e ela poderia muito bem ter sido morta por aquele… animal.
Eu sabia bem que não era um animal. Aquilo que atacou Melody é que era um monstro. Um mal dos piores.
Erik continuava a fitar-me nos olhos sem perder a concentração em mim e eu também o fitava intensamente. Noutra situação, aquilo até poderia ter sido bastante cómico, ou mesmo assustador. Mas agora era uma necessidade. Não, era uma prevenção.
Damien regressou rapidamente com dois professores vampiros. Estava acompanhado por Lenóbia e por Dragão. Dragão pegou em Melody e levou-a para a enfermaria.
Lenóbia pediu-nos para irmos falar com ela para um gabinete e contei-lhe tudo o que tinha acontecido. Hesitei na parte do Erik mas decidi contar-lhe, confiava nela e acreditava que me poderia ajudar. Ela olhei para ele com uma expressão que se traduzia em “Tu agora és o crescidinho, és tu que tratas das birras dos pequeninos.” Ri-me com a minha própria tradução.
Lenóbia disse-me para sair e regressar às aulas e foi isso que fiz.
***
Finalmente cheguei à quinta aula.
Olhei para o meu horário: Literatura. Fiz má cara, mas não me podia baldar às aulas, principalmente no primeiro dia.
Entrei na sala de aula e pedi desculpa à professora, dizendo que tinha tido uma óptima justificação para o meu atraso e que podia falar com Lenóbia para o comprovar.
Olhei a turma inteira que me fitava e soltei um guincho quando vi as gémeas e Damien a acenarem-me histéricos. Devolvi-lhes um sorriso de orelha a orelha e sentei-me no lugar que a professora Pentheselia me indicou, ao lado de um rapaz de uns olhos muito castanhos e um cabelo encaracolado castanho escuro. Tinha uma aura azul esverdeada, meia transparente. Sorri-lhe e apresentei-me:
-Olá sou a Mia. Mia Scarlet.
Ele olhou-me soltou um sorriso travesso e apresentou-se:
-Tiger.
-Tiger só?
Ele suspirou e colocou o braço em cima da minha cadeira.
- Sempre é melhor do que a Elizabeth sem apelido.
-Quem é essa?
Ele riu-se. Bem esta minha ignorância fazia-o divertir-se. Será que ela teve algum cargo importante na sociedade vampira?
-Foi uma sumo-sacerdotisa famosa ou assim?
Desta vez ele soltou uma gargalhada bastante forte e atenção da turma inteira virou para nós.
-Pode-me dizer o que há de tanta piada senhor Tiger? – Inquiriu Pentheseleia naquele tom irónico que os professores humanos fazem quando estão a tratar os alunos como adultos responsáveis. Pelos vistos não eram só os professores humanos que o faziam.
Tiger tirou o braço de cima da minha cadeira, pegou no lápis que ainda não tinha sido usado naquela aula e começou a escrever o que estava no quadro.
Eu imitei-o, evitando os olhares dos outros alunos e tentando concentra-me na aula. O facto das gémeas estarem na mesa à minha direita não ajudava muito, já que estavam sempre a mandar bocas do género: “Ele é giro miúda, não o deixes escapar!” ou “Eh lá que a Mia não nenhuma inocentezinha, ataca logo!”
Bolas, bolas, bolas, eu tinha o Erik e não precisava de mais ninguém.
Mas elas tinham razão numa parte. Eu não era nenhuma inocentezinha. Ai está o erro. Ainda nem há um dia conhecia o Erik e já o tinha.

3 comentários:

Anónimo disse...

Tá muito giro! Mas e ZOE nao aparece ai há algum tempo!!! oke lhe aconteceu?

BiiGuerra disse...

Ai meu deus, esta fic ta cada vez melhor! :D
Espero ansiosamente pela chegada do próximo domingo :b

beijinhos ^^

Anónimo disse...

OMG! tá fantastico! Oque aconteceu á Zoey?