http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Fanfic: Forgiven - Capitulo 5




Felicidade
Vesti o meu pijama, enfiei-me na cama a agradecer a Nyx pela nova oportunidade de fazer as pazes, quando aquela minha gatinha rabugenta me roubou a almofada.
- Miauf! – a sua voz de velhinha não me fez chorar mas sorrir e comecei a coçar-lhe o pescoço.
Fiquei a pensar o porquê de o Jack ter dito “Obrigada Nyx” depois de ela os abraçar. Será que lhe segredou alguma coisa? Bem sempre poderia saber com a minha nova “afinidade” de saber sempre demais… Náh. Não me parece que o fosse fazer… Não sou assim tão cusca…
Assim que ela começou a ronronar adormeci pesadamente.
***
E ali estava eu, sozinha, com sorrisos loucos de gozo à minha volta que vinham das caras dos meus amigos, eles estavam a gozar-me! Loren estava lá, vampyro vermelho, mas estava lá. Seria um sinal que ia dar certo? E Neferet não ficava de fora. Aliás, fora ela quem começou tudo! Ela começou a guerra e a guerra ela não vai ganhar. Vou ser eu… Sentia-me fraca a ser eduzida pelo riso de gozo vindo das bocas que rodopiavam à minha volta. Precisava de sair dali, u-r-g-e-n-t-e-m-e-n-t-e! ( e era uma óptima altura para a minha cola sagrada…)
E o sonho (ou pesadelo?) mudou. Agora estava no fundo do mar, com bichos horrendos à minha volta, assim como estavam os antigos companheiros mais que nojentos de Stevie Rae. Estavam a aproximar-se de mim, e eu ficava com medo. Não conseguia chamar o fogo, para evaporar a água à minha volta, a Terra, porém, ajudava-me imenso, fazia algas gigantes apanhar as criaturas nojentas que de certezinha me queriam chupar o sangue e deixar o meu corpinho inerte ali. O Espírito encheu-me de coragem e a Água tornou-se turva para eles e totalmente límpida nos meus olhos. A seguir, veio a bruma e a noite que me tiraram do oceano, e a flutuar, completamente invisível, me levaram para uma praia deserta. Aí pedi ao Fogo que me secasse a pele e me aquecesse. Deitei-me e vi o rosto de Heath. A chorar. Parecia… parecia doente e nisto perguntei-lhe:
- Voltaste a beber? A fumar? Não andas nas drogas pois não?
- Não, não e não. – As lágrimas caiam-lhe dos olhos e acertavam-me na minha cara. Depois contorceu-se e tossiu – Porquê Zo? O que fizeste? Zo, o que se passou?
- Quebrámos a Impressão. E tu devias ir ao médico, pareces mal – Sussurrei enquanto me levantava e fitei-o. Ainda olhava para baixo, como se os meus olhos lá tivessem.
- Como? Como é que quebrámos uma coisa tão forte? – Voltou a tossir – Fazes ideia do que sofri naquele momento? Parecia que me estavam a arrancar TUDO do meu corpo! O coração, o estômago, TUDO! Fazes ideia do que doeu?
- Faço. Criei Impressão com um vampyro adulto, e foi por isso que quebrámos a nossa, que já estava completa. – Aqui deixei-me cair na areia fofa. E comecei a chorar. – Depois descobri que ele me estava a usar e quando ele saiu do perímetro da escola porque pensava que eu tinha fugido, os sacanas do Povo de Fé apanharam-no e mataram-no. Senti o mesmo que tu sentiste. – Expliquei.
- Não. – Mais um ataque de tosse do Heath – A nossa Impressão estava completa, a vossa não. Não fazes a mínima ideia do que é sofrer. – Olhei-o, agora estava à minha frente, a fitar-me o rosto, as tatuagens. Apontou para a minha Marca e berrou. Encolhi-me nesse momento – Nada disso devia ter acontecido! Caramba, aqueles dois homens morreram, quebraste uma Impressão completa! Achas que sentiste o mesmo que eu?
- Eles morreram?
- Sim, para teu bem. Decidi procurar-te e aqui estou eu. Num estúpido sonho teu.
- Não é estúpido. E isto – apontei para a minha Marca – isto tinha que acontecer, Heath, estava destinado dias antes de ser Marcada, na Casa da Noite já sabiam. E caraças, ele seduziu-me, e quebrámos o que eu queria quebrar para teu bem! Se nos continuássemos a ver ou assim, o mais provável era eu ter lambido todo o teu sangue, e aí estavas morto!
- Tens razão. É melhor assim. – E foi-se embora. Não me disse mais nada, apenas se foi embora.
- Espera, Heath! – ele voltou-se para mim
- Diz – e tossiu mais uma vez
- Não te vás embora… por favor… agora não…
- Porque haveria de ficar? – perguntou-me e chutou a areia
- Não sei, mas quero-te ao pé de mim… Heath tenho saudades tuas! E mesmo não sendo meu namorado ainda és meu amigo, meu grande amigo – sorri-lhe. Ele veio na minha direcção e abraçou-me. Sentámo-nos na areia quente a olhar para o sol posto. Comecei a dizer-lhe do meu último encontro com Nyx e do que ela me tinha dito acerca do Erik.
- Isso é uma beca mau, Zo… - disse-me ele entre o nonagésimo nono e o centésimo ataque de tosse compulsiva. Credo, ele estava mesmo doente…
- Pois, e precisava mesmo de falar com alguém que não fizesse parte do meu grupo habitual…
- Hum… compreendo-te Zo. Sabes… A Kayla tem andado tão cabra! Anda com o Dustin, e tem-se atirado a mim a todo o custo. Só pode mesmo dizer que anda com aquelas cabras do seu grupinho…
- Dela nunca esperei isso… - disse a abanar a cabeça. Depois encostei-a ao ombro dele e fechei os olhos. Não dissemos mais nada até eu acordar de verdade (muito infelizmente).


Que Nyx vos abençoe!

3 comentários:

Catarina disse...

olá1 =)

voces sabem quando é que estreia a perseguida, o livro a seguir a indomavel? se souberem, postem pff.
BJS

Katley disse...

Querida, nós postamos sempre todas as informações que temos. Se ainda nao foi postado é porque não temos certeza, só que será em Setembro como ja postamos...

Anónimo disse...

Ainda bm que é em Setembro!!!! Já tenho prenda de anos!!! :D