http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Especial Indomável, por Vitor

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

O nosso querido Vitor fez um especial Indomável do ponto de vista da Erin no capitulo 1.

ESPECIAL INDOMÁVEL
Erin Bates
Permanecíamos todos sentados na nossa mesa. No nosso canto. Mas devido a acontecimentos realmente inesperados, estávamos todos chateados com uma amiga, Zoey Redbird. Como é que ela pôde mentir-nos? E nem sequer nos mencionar o facto que andava rendida aos encantos do Ex-Professor Loren Blake. E quando digo Ex-Professor, digo que ele morreu devido a mais horrendas ocorrências. O ar andava pesado, à medida que cada um pronunciava uma palavra. Todos nós estávamos chateados com ela. E chateados é dizer pouco. Estávamos furiosos – esta seria a melhor expressão para dizer aquilo que estávamos a sentir. De certeza que a minha Gémea, Shaunee, estava de acordo comigo. Ela estava a passar pelo mesmo que eu. E como a monotonia entre nós era bastante semelhante, podia-se dizer que estávamos ligadas através de um elo de irmãs.
- Voltando ao assunto principal… - Dizia Damien, enquanto enfiava mais uma garfada da “sua comida”, se é que se pode chamar isso. – Como é que estamos em relação a ela?
Ele voltou a trazer aquele pormenor à mesa. Eu dizia-lhe umas quantas coisas só para se calar e me deixar comer de uma vez por todas. E então a Gémea finalizava com uma das suas eloquentes frases ou afirmações. Tal e qual como eu.
- Não estamos. Eu cá não falo com ela. E tu, Gémea?
- Nem por sombras, Gémea. Nem que ela fosse a única pessoa à face da Terra. – Respondeu Shaunee com uma honestidade a transparecer na sua voz.
- Nós teríamos compreendido se ela nos tivesse dito, Damien. – Disse eu, pousando os talheres em cima do prato. – E o que aconteceu apenas demonstra a confiança que ela tem em nós, o que é certamente pouca.
Eu não conseguia manter o termo certo para aquele momento. Nem para nada que virasse para o assunto centrado. Em todos os momentos que vivi aqui nesta Casa da Noite, nunca pensei que tudo fosse acabar assim desta maneira. Desde a morte da nossa amiga Stevie Rae até à decapitação de professores. Ultimamente, os alunos que haviam rejeitado a Mudança têm voltado à vida e as repentinas atitudes da Neferet faziam suscitar várias suspeitas sobre ela.
Tudo tinha sido virado do avesso e eu já nem compreendia metade das coisas que aqui se passavam.
- Gémea, estás bem? – Perguntou Shaunee, pousando a sua mão no meu braço.
Ainda bem que eu tinha uma boa amiga como ela. Ela preocupa-se tanto comigo e com o bem-estar dos outros…ela é realmente uma boa pessoa, mas quando tem que dizer umas boas verdades, di-las sem nenhum pesar na voz.
- Claro. Sim, estou. - Menti. E não estava nada bem. Sentia-me enganada e menosprezada por uma das minhas melhores amigas. Não havia como estar bem naquele tipo de situação.
E quando menos esperamos, lá estava a Zoey a entrar pelo refeitório adentro. A dirigir-se para ir buscar um tabuleiro com comida e a vir na nossa direcção. De certo, iria sentar-se ao lado de Damien. Todos concordávamos que ele era o nosso elo mais fraco da nossa liga “NÃO FALAR COM A ZOEY”, pelo que seria o primeiro a falar. Ela lá se sentou ao lado dele e nada proferiu durante alguns minutos. Após isso, nenhum de nós olhou para ela de frente, porque sabe-se lá Nyx o que nós diríamos. Porém, ela disse:
- Olá.
Por mim, ela podia sair a chorar do refeitório que eu não me importava nada. Só o que ela fez e o não dizer porque o fez, merece muito pior daquilo que eu já estava a imaginar.
- Então, e aí? – Percebi que ela fizera a pergunta directamente para Damien. Era tão óbvio como sapatos à espera de serem comprados numa loja de marca em saldos. Lá por o coitado ser gay, sensível e educado, não significa nada. Mas como ele não dizia nada, eu e a Gémea pusemo-nos em acção, por assim dizer.
- Nada de nada, certo, Gémea? – Disse-me Shaunee.
- É isso mesmo, Gémea, nada de nada. Porque nós não somos suficientemente confiáveis para saber alguma coisa. – Respondi. Adorava terminar as frases dela. Era uma coisa que só nós as duas podíamos compreender. Enfim…Gémeas, não? – Gémea, sabias que nós não somos confiáveis de todo?
- Não até recentemente eu não sabia, Gémea. E tu? – Dizia ela, enquanto assumia uma posição de puro gozo.
- Não sabia. Até recentemente também. – Terminei de seguida.
Eu e a Shaunee somos uma dupla que ninguém deitaria a baixo. Nem mesmo a traidora da Zoey e nem mesmo a cabra da Afrodite. A cada palavra que a minha Gémea proferia, eu acabava de seguida. Éramos como irmãs totalmente inseparáveis. E até partilhava-mos um gato: Belzebu. É bastante fofo quando ninguém se mete com ele. Mas também tem os seus tiques de gato, como bufar e arranhar.
Ambas dirigimos um olhar gémeo de raiva e de suspeita na direcção da Zoey. Ela sabia muito bem porque o fizemos.
- Obrigada pelo vosso amável comentário. – Eu realmente odeio quando ela se põe com ironias da treta. – E agora eu vou tentar perguntar isso a alguém que não tem que responder numa versão estéreo da odiosa Blair de Gossip Girl.
Ok. Desta vez, ela passou o limite dos limites. Eu e a minha Gémea já estávamos a sugar literalmente o ar e a prepararmo-nos para dizer algo em resposta àquela provocação. Mas ela apenas nos ignorou e dirigiu o seu olhar para Damien.
- Então eu acho que o que realmente queria perguntar quando disse “e aí”, era se algum de vocês notou algo assustador e fantasmagórico a bater as asas do lado de fora do refeitório, ultimamente. Notaram?
Mas que raio! Agora vem com desculpas esfarrapadas? Isto está lindo, está.
Damien parecia diferente. Olhava para a Zoey com um ar cuidadoso, duma maneira um pouco mais do que frio. Assustador, de facto.
- Um bater de asas fantasmagóricas? – Disse ele. – Desculpa, mas não faço ideia do que é que estás a falar.
O tom de voz que usara naquele preciso momento arrepiou-me, porque não parecia nada com a imagem do Damien que eu conhecia. Como as pessoas mudam. Embora ele tivesse acabado de falar, a Zoey continuou:
- No caminho para cá, algo meio que me atacou. Eu não consegui ver nada, mas era frio e magoou a minha mão. – Respondeu, enquanto erguia a sua mão para o provar.
Ela não tinha nada de mal nem nenhum dano na mão. Ela só podia estar a gozar com a nossa cara. Mentir tantas vezes já deve ser típico para ela. Bufei assim como a minha Gémea, para me conter e não dizer nada que me pudesse vir a arrepender. Damien parecia triste. Então começava a ver o Jack a aproximar-se da nossa mesa.
- Oh, olá! Desculpa estou atrasado, mas quando pus a minha camisa encontrei uma enorme mancha no lado da frente. Dá para acreditar? – Dizia Jack, enquanto corria com uma enorme bandeja de comida e se sentava ao lado do Damien.
- Uma mancha? Não é aquele adorável Armani de manga comprida que eu te dei no Natal, pois não? – Dizia Damien, enquanto se mexia para dar espaço ao seu namorado para se sentar.
Caramba. Só conversas da treta. Ainda por cima, com a traidora aqui por perto para ouvir. Lindo. Isto está a ficar cada vez melhor.
- Oh Meu Deus, não! Eu nunca derramei nada nele. Eu amo aquela camisa e… - Mandei-lhe um aviso com os meus olhos, de modo a que ele percebesse o que eu estava a tentar dizer. E parecia que tinha resultado. – Oh, uh. Olá, Zoey.
- Olá, Jack. – Respondeu ela, sorrindo para eles. Damien e Jack eram gays e namoravam. E quem tivesse problemas com tal coisa, tinha que se haver comigo e com a Gémea. Somos amigas deles os dois e ninguém se mete com os nossos amigos.
- Eu não estava à espera de ter ver aqui. – Disse Jack. – Eu achei que ainda estavas…uh…bem… - Parou de falar e começou a parecer desconfortável e até já estava a corar. Se toda a gente corasse quando está para dizer alguma coisa à Zoey, tinha-mos mais gente no mundo toda rosa.
- Pensaste que eu ainda estava escondida no meu quarto? – De certa forma, ajudou a terminar a frase do Jack. Ao menos, ela serve para alguma coisa.
Ele assentiu com a cabeça de forma afirmativa. Coitado. Mas ficava mesmo engraçado quando corava. Punha-o mais giro, isso era verdade.
- Não. – Disse a Zoey, de uma maneira firme. – Eu terminei com isso.
- Bem, está-na-hora. – Disse eu. Mas quando a minha Gémea estava prestes a continuar, um riso meio estúpido que vinha da porta atrás de nós, fez com que todos olhassem para trás.
Aquela cabra megera do inferno, a Afrodite, entrou pelo salão adentro e a rir, enquanto piscava os olhos para Darius. Darius era um dos novos Guerreiros, e dos mais bons que podia haver, Filhos de Erebus, que protegem a Cada da Noite e virou o cabelo de uma forma muito snob para o meu gosto. Estava prestes a vomitar por causa daquilo a que estava a assistir. E de certeza que a minha Gémea estava a sentir o mesmo. Mas tive que me conter para não perder o controlo de mim.
Enfim. Há factos na vida que são demasiados estranhos e inexplicáveis, como o facto de a Afrodite ter encontrado alguém que a ature. Eu cá não me vou meter. Ainda apanhava o vírus da “vádia” que anda a surtir pela Casa da Noite. De certeza que a Afrodite pegou-o à Zoey.
Esqueci por momentos aquelas imagens e voltei a minha atenção para o meu prato, continuando a comer o que lá havia.


Que Nyx vos abençoe!

7 comentários:

Joana MP disse...

Está lindo, quero mais!
O que tu me fazes, em vez de estar a estudar estou para aqui a ler esta 8 marvailha xD

Que Nyx te abençoe!
Joana

Ines disse...

A Ju tem razão senhor vitor!! E agr o que é que eu faço?? Agr tenho de ficar á espera!! :(
Ès mau!! :D Quero mais e mais.

Que Nyx te abençõe
Bjx Ines

Anónimo disse...

Uau gostei muito de ler este "especial" indomável. Já li o indomável original e gostei de ler no ponto de vista da Zoey mas ler no ponto de vista da Erin foi uma brilhante ideia e gostei muito . Fico á espera do proximo capitulo.

Que Nyx te abençõe
Beijinhos Ana

Anónimo disse...

Eu gostei muito de ler este capitulo. Pergunta: este especial indomável vai continuar a ser postado certo???

Beijinho Lilly

Anónimo disse...

exelente. Adorei!!! Continua assim beijo luciana

Katley disse...

Lilly: Não, foi só este.

Nessye disse...

Está muito bom, parabens ! :D