http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Especial Marcada, por Vitor

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

O nosso tão conhecido Vitor, da fanfic "Blessed" enviou-nos hoje um especial de Marcada, feito por ele, que revela o ponto de vista de Kayla no 1º capitulo do livro. Esperamos que gostem.


ESPECIAL MARCADA - Kayla
(Este especial conta a perspectiva da Kayla no capítulo Um. Espero que todos gostem)
Eu hoje não conseguia parar de falar. Começava a parecer uma gralha e uma tagarela. Era bom conviver com a minha melhor amiga à beira da zona dos cacifos. Precisava mesmo de estar assim…livre para falar do que queria. Mas voltando para o principal tema de conversa entre mim e a minha amiga, disse:
- Não, mas Zoey, juro por Deus que o Heath não ficou assim tão bêbado depois do jogo. Não devias ser tão exigente com ele.
Eu sabia que o Heath gostava dela e que ela gostava dele. Mas ficar assim tão alterada por causa do rapaz ter bebido uns copinhos? Ela estava a exagerar um bocado. O rapaz também tinha direito a divertir-se. Por favor.
- Pois. – Parecia um pouco distraída do nosso assunto. – Então não.
- Penso eu que ele bebeu…Zoey?
Ela estava totalmente distraída. Sentia-me como se estivesse a ser posta de parte. Tentei chamá-la à atenção de diversas maneiras.
- Zoey, se faz favor. Estás a ouvir-me? Acho que ele só bebeu quatro, não sei bem, talvez seis cervejas, e talvez três shots. Ele nem teria bebido nada se os estúpidos dos teus pais não te tivessem obrigado a ir para casa depois do jogo.
Então ambas trocamos um olhar de enorme tristeza e de plena concordância, uma com a outra.
Suspirei. E sem parar de respirar, continuei:
- E mais, ele estava a celebrar. Quer dizer nós vencemos os Union. – Ela estava estranha hoje. Nem parecia ela. Balancei um pouco os meus ombros e levei o meu rosto para mais perto do dela, dizendo:
- Olá! O teu namorado…
- O meu quase namorado. – Disse ela, enquanto tossia.
- Tanto faz. O Heath é o nosso campeão então é ele que vai celebrar. – Enquanto falava, não deixava de transparecer um certo encanto e um certo tom de diversão nas minhas palavras. – Já fazia um milhão de anos desde que a Broken Arrow derrotou o Union.
- Dezasseis anos. – Corrigiu ela.
Pronto, eu não era muito boa a matemática. Pelo contrário, eu era um zero à esquerda. Então quando era comparada à matemática da Zoey, ela era a mais esperta das duas.
Suspirei e continuei:
- Como já disse, tanto faz. O que importa é que ele estava feliz. Tu deverias dar-lhe um desconto, não?
- O problema é que ele estava bêbado pela quinta vez esta semana.
“Detalhes, que importa isso? Tu tens um rapaz todo jeitosinho atrás de ti e tu só falas em detalhes. Francamente, Z.” – Pensei eu.
– Eu sinto muito, mas não quero sair com um rapaz que cuja maior preocupação na vida mudou de tentar jogar futebol na faculdade para tentar beber um pacote de cervejas sem vomitar. – Parou por breves minutos para recomeçar a tossir.
Ela estava definitivamente doente, mas ainda estava com os pés bem assentes na terra. Respirou bem devagar, como se lhe faltasse o ar ou coisa parecida. Não notei bem o que se passava.
Uma imagem do Heath invadiu logo a minha cabeça. Um Heath pançudo. Que feio, mas ao mesmo tempo, engraçado.
- Eww. O Heath gordo não é um visual que todos queiramos. – Nisto eu estava a ser completamente sincera.
- E beijá-lo é como beijar um pé ensopado de álcool.
Levantei o meu rosto e disse:
- Ok, nojento. É pena que ele seja tão bom. – Sou um pouco superficial e às vezes tinha tendência para o ser por inteira. E costumo ser assim quase todos os dias, tornando-se quase um hábito para mim.
Ela revirou a cara dela, como se eu tivesse dito algo de errado. Estava simplesmente na brincadeira com ela, mas parecia que ela tinha entendido outra coisa qualquer.
- Tu és tão mal-humorada quando estás doente. De qualquer forma, tu não tens ideia do quão Heath parecia um cachorro quando tu o ignoraste ao almoço. – De certa forma, era querida aquele maneira de ser dele. – Ele não podia nem mesmo…
E lá recomecei eu a tagarelar. Mas quando reparei que ela não me estava a ouvir, senti-me ignorada.
- Zoey, tu não me estás a ouvir!
E então notei que um vulto aparecera do nada em frente da minha melhor amiga. Começou por dizer algumas coisas que eu não entendia e quando esticou um dedo em direcção à testa da Z, ela pareceu ter um ataque de plena dor. O que consequentemente me levou a abrir a minha grande boca e a gritar sem complexidade alguma.
***
Continuei a olhar para ela, ainda com o medo imposto sobre mim. Não conseguia deixar de notar naquela coisa que ela tinha na testa.
- K, os teus olhos estão a saltar para fora da tua cabeça como se fossem peixes. – Dizia ela.
Mas eu não conseguia deixar de estar surpreendia e ao mesmo tempo amedrontada. Por que é que isto tinha que acontecer com a minha amiga? Porquê?
- Ele marcou-te. Oh, Zoey! Tens o contorno daquela coisa na tua testa! – Pressionei uma das minhas mãos contra os meus lábios, embora estivesse ainda trémula, devido ao choque. De repente, umas lágrimas começaram a sobressair-se nos meus olhos. Eu não queria chorar, mas não consegui segurar a tristeza que estava a sentir naquele momento.
Ela continuou a tossir compulsivamente. Eu estava realmente assustada. Os meus olhos transmitiam dor aos seus e até às bochechas da sua face.
- Zoey! – Agora é que estava mesmo a chorar. Estava a chorar como nunca tinha chorado na minha vida toda. Os soluços surgiam à medida que o choro se tornava mais frequente, mas ainda assim continuei a falar por entre eles:
- Oh. Meu. Deus. Aquele era um rastreador – um Vampiro Rastreador! – Após falar, continuei a chorar.
- K. Pára de chorar. Tu sabes que eu odeio quando tu choras. – Disse ela, enquanto me tentava dar uma palmada reconfortante nos meus ombros. Eu tinha medo. Medo dela. Medo da minha própria amiga. Contraí logo os músculos dos meus ombros e afastei-me logo dela. E já sabia para onde é que ela ia. Ia para aquele lugar repleto de monstros. Monstros maléficos e sanguinários.
Embora estivesse com um grande pesar na minha voz, continuei a tagarelar:
- Oh, Deus, Zoey! O que é que tu vais fazer? Tu não podes ir para aquele lugar. Tu não podes ser uma daquelas coisas. Isto não pode estar a acontecer! Com quem é que eu devo ir a todos aqueles jogos de futebol?
Podia estar a fazer um enorme discurso, mas mesmo assim nem sequer me aproximei um milímetro sequer dela. Eu tinha mesmo a minha melhor amiga?
- Está tudo bem. Eu vou descobrir o que fazer. Provavelmente é algum…algum erro bizarro. – Disse ela logo de seguida.
Começava então a sua tosse compulsiva de novo. Continuei a dar pequenos passos para longe dela, mas ainda disse com a voz um pouco alta:
- Zoey? Tu estás bem?
- Kayla, sou só eu. A mesma que eu era há dois segundos atrás e há duas horas atrás e há dois dias atrás. – Isso até podia ser verdade, mas não mudava o facto de ela se ter tornado…naquela coisa. – Isso não muda quem eu sou!
Eu era mesmo uma bebé chorona, pois comecei outra vez a chorar descontroladamente. O meu telemóvel começou a vibrar e a emitir o toque eu predefinira: “Material Girl” da Madonna. Olhei logo para o visor e notei que era o meu namorado, Jared.
- Vai lá. – Dizia ela numa voz já chata e cansada. – Vai para casa com ele.
Sentia um certo alívio naquelas palavras – coisa que fez diminuir um pouco o meu medo.
- Ligas-me depois? – E então saí apressadamente pelo corredor fora, acabando por sair do recinto escolar. Fui em direcção ao parque de estacionamento e abracei Jared, que de seguida me ofereceu um beijo cativante. Tentei desesperadamente esquecer aquilo tudo, mas a minha tagarelice levou a sua melhor. Comecei a falar com o meu telemóvel amassado contra o meu ouvido e a falar com Jared. Quando lhe contei o que havia sucedido com a Zoey, ele ficou mais branco que sei lá o quê.
Mas será que todos nós estávamos condenados a perder alguém importante para nós? Eu não queria perder a Zoey…eu não queria perder a minha amiga. Éramos bastante chegadas desde a 3ª classe. Mas será que a nossa amizade tinha chegado ao fim?

Que Nyx vos abençoe!

3 comentários:

Catarina MP disse...

Amei, tá mesmo perfeito perfeito :)
Ainda bem k continuas a escrever jeitoso!

bjs,
Cat

Joana MP disse...

Adorei, como seria de esperar. xD
Esta ideia do "Especial Marcada" foi brilhante!

Que Nyx te ilumine o caminho!
Joana

Angie; disse...

É obvio! adorei novamente! está espectacular como todos os outros! Parabens! Continua!
:D