http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

"Uma Grandiosa e Terrível Beleza", de Libba Bray

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!


Hoje deixo-vos com mais uma sugestão de leitura, “Uma Grandiosa e Terrível Beleza” , de Libba Bray juntamente com uma crítica do Blog As Leituras do Corvo.




Sinopse:

Gemma Doyle está preocupada com o seu futuro. Por mais que tente insistir na necessidade de ir para Londres para conquistar a sua oportunidade de vida, a mãe não está disposta a isso. Mas uma brusca mudança no rumo dos acontecimentos fará com que Gemma acabe por ter como destino a cidade por que tanto ansiava. A sua mãe foi assassinada em circunstâncias misteriosas e, agora, Gemma encontra-se num colégio interno para raparigas, onde, mais que as dificuldades de integração, terá de lidar com capacidades que nem ela compreende plenamente. Porque Gemma é a ligação a um reino de magia e de poder. Mas de poder com consequências.


Crítica:

Há algo de surpreendente na forma como a autora consegue interligar elementos comuns a este tipo de livro e construir uma história com muito de próprio e um ritmo tão envolvente. Os elementos comuns são, claro, uma certa medida de dilema adolescente (que cedo se desvanece ante situações de maior importância), um toque muito leve de romance e o clássico cenário escolar. Mas, talvez, em parte, devido à época diferente, há uma nova visão destes aspectos. As preocupações amorosas de Gemma e suas amigas prendem-se mais com a possibilidade de casarem com um velho rico por vontade dos pais, que propriamente com os habituais dilemas e triângulos amorosos. As regras da Academia são, naturalmente, diferentes das de um colégio actual. E o romance vai-se insinuando de uma forma muito mais gradual, o que o torna também mais real.



Aliados a esta abordagem refrescante dos pontos mais comuns, há uma mensagem bastante forte e uma abordagem ao sobrenatural um pouco invulgar, mais centrada num poder mágico existente num lugar preciso que propriamente em possíveis criaturas sobrenaturais. Há os que controlam o poder e os que não o fazem, mas, ainda assim, é de humanos que se trata. Depois, há algo de bastante belo no ambiente dos Reinos, estabelecendo um contraste com os perigos ainda desconhecidos, ao mesmo tempo que cria um cenário neutro para o desenrolar de amizades aparentemente improváveis.


Falta ainda referir o final. Deixando em aberto muitas possibilidades, há, ainda assim, um ciclo que se encerra e que se prende com a já referida mensagem que transparece. Todas as escolhas, ainda que feitas inocentemente, têm consequências, e há alturas em que é simplesmente necessário viver com isso. A forma como este livro se encerra, com algo de perda, muito de responsabilidade e uma inocência que, de certa forma, se desvanece ante o conhecimento, reflecte exactamente essa verdade, uma verdade que, com magia ou sem ela, acaba por se manifestar em todos os ciclos de vida.


Envolvente, surpreendente, com um enredo cativante e grandes momentos de tensão e emoção (bem como algumas situações divertidas), uma leitura intensa e viciante, com as medidas certas de entretenimento e material para reflexão. Muito bom.


Benditos sejam!

1 comentário: