http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

domingo, 31 de Outubro de 2010

Fanfic: Confused - Capitulo 15

Capítulo 15

-Quais são as regras desse tal jogo? – Perguntou
-Jogo teu, tuas regras.
-Então inventei um jogo e não sabia? – Perguntou confuso e com ironia.
-Não sei se sabes, tenho um palpite que não queres é acreditar que o sabes.
-Bem, estas a pôr-me completamente baralhado – Confessou e olhou-me nos olhos
Mandei uma madeixa de cabelo para detrás da orelha.
-É esse o objectivo.
-Do jogo?
-Sim, de que querias que fosse.
Suprimiu um sorriso e voltou a olhar em frente.
-Então era a minha vez?
-Suponho que sim.
Ele clareou a voz e olhou pensativo para algo atrás de mim. Voltou a fixar-me o olhar e, com um sorriso na cara, disse:
- Sou vocalista de uma banda de rock não muito bem sucedida mas simultaneamente escrevo artigos para revistas cor-de-rosa.
Ergui as sobrancelhas
-O que é que é suposto eu dizer?
-Achas que pode ser verdade? – Perguntou e lançou-me outro sorriso sedutor.
Não quero imaginar como me derreti toda com ele, e nem quero supor que suspirei de forma aluada na frente dele.
-Claro que não. – Respondi depressa, depois daquela fase meia Zen.
-Perdeste. Eu já tive uma banda de garagem. E não foi la muito bem sucedida.
-Hummm, mas não escreveste para revistas de fofocas pois não?
Ele sorriu-me e negou com a cabeça.
-Entãaaao…. Ganhei!
-As minhas regras dizem que tu não podes ganhar. – Afirmou erguendo as sobrancelhas
-Então acho que já não faz sentido eu jogar.
Ele voltou a sorrir-me.
-Tua vez.
Demorei alguns segundos a pensar.
-Muito bem, escrevo para o jornal da escola e hoje a noticia da primeira pagina é sobre a minha nova conquista.
Mordi a língua e agora foi a minha vez de erguer as sobrancelhas.
-Não, não farias isso.
Soltei uma gargalhada e gritei
-Ganhei!!!! – Bati palmas a mim própria – Claro que não faria isto, mas já fui capaz, foi por causa de uma aposta. E tu, eras capaz?
-De escrever no jornal …
-Não – interrompi-o – De fazeres uma coisa qualquer estúpida por causa de uma aposta e ferires os sentimentos de alguém.
Ele aguardou e depois suspirou.
-Faria mas se fosse muito mau mesmo não, tipo quebrar uma amizade ou algo assim, tipo ...
Tinha acertado com a flecha no alvo.
-Hummm que Português bem dizido, até fiquei de boca abrida.
Ele olhou-me inquiridor.
-Não, não existem aquelas palavras, só acho que a minha pergunta mexeu contigo.
-Tu não existe – Disse sorrindo-me
Tocou para voltarmos para a aula e levantamo-nos.
-Anda – disse-me.
Passamos pelos corredores da escola um ao lado do outro e, em certas alturas, os nossos braços tocavam-se e uma descarga de electricidade era descarregada sobre mim.
-Dizes-me agora quem era a Elizabeth? – Perguntei antes de chegarmos à aula.
Senti a ansiedade apoderar-se de mim. De certezinha que era a namorada dele e eu podia parecer um obstáculo na sua historia de amor. Já estou a começar a fazer filmes.
-Era minha irmã
-Oh desculpa. Lamento muito Tiger, não sabia…
Passamos a porta para entrar na sala de aula.
-Não há problema. Já foi há muito tempo e já ultrapassei.
Sorri para comigo.
-Tu devias ser um óptimo irmão, ela teve muita sorte.
Sentamo-nos na nossa mesa. Ele virou-se para mim.
-Obrigada Mia
Sorri-lhe também.
As gémeas entraram na aula e olharam-me com desagrado, seguidas de Damien que parecia confuso. Phenteseleia também entrou na sala e a aula começou.

sábado, 30 de Outubro de 2010

Fanfic: Forgiven - 28º Capitulo

- Acorda Zoey
- Hum… - resmunguei
- Acorda – disse Sam abanando-me
- Que horas são? – sentei-me num pulo, que a assustei
- Horas de te levantares. O teu despertador já tocou há algum tempo, despacha-te se queres que espere por ti, eu vou lá para baixo
- Obrigada, vou-me despachar. – Saltei da cama e escolhi a roupa. Tomei um duche penteei-me, vesti-me e pus a minha maquilhagem do costume: lápis esbatido nos olhos e gloss. Fui até ao quarto e fiz a minha cama – Que dia é hoje mesmo?
- Hum… Quinta acho eu – respondeu Loren que se materializara na minha cadeira
- Quase fim de semana… É positivo…
- Bem… ouvi dizer que domingo vai haver espectáculo
- como assim?
- Ah… Tu não sabes…
- Quer-me parecer que vou saber… - disse lançando um olhar ‘Conta!’
- Se for surpresa mete mais piada
- Oh, pronto, eu só não vou discutir isso porque não me apetece chegar atrasada. Espera, risca isso, é aula com a Neferet bem que me apetecia não ir…
-Mas vais
- Lá terá de ser… - descemos as escadas. Eu juntei-me às raparigas para tomar o pequeno-almoço (mais um mínimo almoço, já que apenas bebi um copo de leite e mordisquei uma bolacha de chocolate


- E não se esqueçam de entregar o trabalho daqui a duas semanas – disse Neferet quando soou o toque de saída. A aula fora como todas as outras, entediante, quer dizer hoje estudámos a ‘Família’ de Nyx, quero com isto dizer os outros Deuses de origem grega. Houve um que me despertou especial atenção pela sua crueldade: Chronos, pai de Zeus, teve seis filhos e devorou-os a todos quando nasceram só para não perder o seu trono de Deus dos Deuses. Achei esta atitude imensamente desumana, mesmo já não sendo uma. A parte entediante foi ter de olhar para a cara da Neferet, está claro. O trabalho de pares que nos tinha dado era fazer uma espécie de árvore genealógica dos deuses gregos e situar Nyx nessa árvore e explicar as razões para ser ela a nossa Deusa e não outro qualquer. Claro que Heath foi o primeiro a escolher o par: eu. Mas até nem estava mal com essa decisão.
Ao contrário de ontem, hoje até prestei atenção nas aulas teóricas, e consegui apanhar a matéria que demos em Literatura ontem. Em esgrima adicionámos novas técnicas ao nosso combate, nas quais me atrapalhei e caí redonda de rabo no chão algumas vezes, despertando gargalhadas dos que estavam à minha volta. Por fim, e já sem sentir o rabo lá consegui aguentar-me de pé. O almoço foi passado a rir a bandeiras despegadas com as últimas novidades que as Gémeas traziam.
- Hoy van a hacer un examen sorpresa – disse a professora de espanhol ao entrar na sala. Toda a turma ficou com ar desagradado. Apenas demorei praticamente metade da aula a fazer o teste, o resto da aula passei-a a olhar para a noite lá fora. O céu estava com algumas nuvens, a lua brilhava num quarto crescente quase cheio que se destacava no escuro. Ouvia-se o vento a passar nas árvores e por vezes senti que estava a chuviscar. Tocou para sair e fui até aos estábulos com Heath
- Costumas fazer sempre isso antes da aula? – perguntou-me Heath encostado à entrada da cocheira
- Sim, costuma relaxar-me – respondi, continuando a escovar Perséfone – Porque não te aproximas? – Heath aproximou-se de mim e da égua, mantendo-se mais junto a mim – Calma, ela não morde – Peguei-lhe na mão e levei-a ao focinho de Perséfone, começando a fazer-lhe festas com a mão de Heath. Olhei para ele e sorri, respondendo ao seu sorriso de menino fofo.
- Sim… É relaxante… - tocou para a última aula – Vemo-nos logo – deu-me um beijinho na testa e saiu dos estábulos
- Muito bem turma, já sabem o que têm a fazer! Depois vistam-se, hoje vamos montar, mas não é aqui. Vamos sair da Casa da Noite para aquela pequena mata que está aqui ao lado, por isso despachem-se! – disse Lenóbia ao entrar nos estábulos – Zoey, vais atrás, eu vou à frente
- Okay Lenóbia – acabei de limpara a cocheira, vesti as calças e calcei as botas de montar, coloquei a cela a Perséfone e montei. Encaminhei a égua para a saída, para junto do grupo. Saímos da escola por um pequeno portão na parte detrás. Andar naquela pequenina mata atrás da escola foi uma experiência assustadora: para piorar eu ia atrás. Passo a explicar: no início tudo bem, mas depois fomos andando mais e mais e comecei a sentir uma sensação esquisita, um mau pressentimento. E foi então que me assustei a sério, a meu lado parecia que uma figura se materializara, um homem, intemporal, vestido com aquelas túnicas gregas, e com uma coroa de folhas na cabeça, a olhar fixamente para mim. “Zoey… Porque não fazes como ela e me segues?” O seu pensamento ouviu-se na minha cabeça. Assustei-me e caí da égua. Como, não sei, mas o meu capacete estava desapertado e escorregou-me da cabeça na queda. Senti-me a desmaiar.
-Ela está a acordar – Ouvi uma voz familiar.
Abri os olhos e reconheci, em primeiro o cheiro a cavalo e a palha, depois a minha vista focou-se e vi um monte de pessoas à minha volta: Heath, Lenóbia, as Gémeas, Sam e Damien
Tentei levantar-me mas uma pontada nas costas fez-me desistir da ideia
- Chhh, fica quieta, deves ter uma lesão qualquer nas costas, vou levar-te para a enfermaria – disse Heath, pegando-me ao colo, e fazendo-me gemer de dor de costas – vá isto já passa, é só um bocadinho – ele começou a andar a passo largo. Senti que Lenóbia vinha atrás de nós mas que vinha só ela. Depois de me porem um gel para a dor e me enrolarem as costas numa ligadura que me passava à volta da barriga. Lenóbia ficou uns cinco minutos a dar-me indicações sobre como poderia melhorar as dores para desaparecerem, mas eu disse que pediria ajuda aos elementos. Depois disso, Heath ajudou-me a ia para o quarto
- Obrigada… - disse – quanto tempo estive desmaiada?
- Para aí meia hora… Caíste mesmo no final da aula, assim que me disseram, vim a correr ter contigo… Não sabes o susto que me pregaste!
- Não era minha intenção
- Mas porque é que caíste?
- Assustei-me e escorreguei da cela
- Hum… Uma desculpa muito convincente
- É verdade! Auch… - gemi com o movimento
- Cheira-me que vais ter que ficar quieta por uns tempos, eu vou lá abaixo buscar-te uma sopa, tens de comer
- Okay, eu vou contigo
- Que parte de ficar quieta não percebes?
- A parte do ficar e do quieta
- Vais aprender
- Pois… imagino que sim… - escorreguei lenta e cuidadosamente na cama e recostei-me. Nala saltou para o meu colo e pus me a fazer-lhe festas – É estranho estar assim tão próxima do Heath outra vez… E ainda por cima ele está a levar as coisas com calma…
- Miauf! – resmungou Nala espirrando de seguida
- Pois, eu sei, ele é muito giro, e já tivemos um passado, o que torna um pedacinho impossível a nossa atracão…
- Mesmo? – perguntou entrando no meu quarto com um tabuleiro com duas sopas e duas colas. Corei

sexta-feira, 29 de Outubro de 2010

Parabéns à Sara Norte!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!



Hoje a nossa ex-dona e criadora do blogue, Sara Norte, faz aninhos!!!


Parabéns a Sara de toda a equipa do blogue!


Que Nyx vos abençoe!

Poema "Anjos", por Paula Perleques

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

Hoje trago-vos um poema da nossa querida Paula Perleques a quem a equipa do blog agradece incessantemente a sua dedicação e cooperação connosco! :)

Desta vez o poema intitula-se "Anjos".


Anjos, por Paula Perleques


Voando andava eu
Algures paradisíaco,
Meu ser sabia
Para além daquela neblina
Impossível seria
Recuar ao meu tempo.

Anjos surgiam por todo o lado
Uns de asas brancas
Outros de asas negras.
Deparei-me com umas asas
Negras e enormes eram,
Ao virar-se, um Deus Grego era
Em seus braços me tomou.

Sussurrou em meu ouvido
Sensual era sua voz,
Malvadez nela existia
Diabólico ele era.

Forças do meu interior tirei
Com elas o empurrei,
Afastei-me correndo.
Neblina tinha-se dissipado
Ao meu tempo impossível
De regressar seria.

Penas brancas
Diante de mim caiam,
Virei-me e eis
Um anjo de asas brancas era.

Esticando sua mão
E nela peguei,
Em seus braços me tomou
E dali me tirou.

Com seus braços me abraçou
Suas asas se abriram,
Voo levantou
Com delicadeza me levou.

Neblina surgiu
Através dela
Não podia passar,
Em meu rosto um beijo deu.

Suas asas em meu corpo passaram
Nelas segurei
Em tentação caí,
Em meus braços o tomei
Em Vampiro o transformei.


Espero que tenham gostado e que comentem! :)

Já sabem podem mandar os vossos poemas para o email jwalter2412@gmail.com.
Contamos com a vossa participação!

Benditos sejam!

terça-feira, 26 de Outubro de 2010

Capa e sinopse de Awakened revelada

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Saiu a sinopse e a capa de Awakened (Despertada), que será lançado na sua versão original a 4 de Janeiro. Não traduzi a sinopse para eu mesma não levar com spoilers ;)



At the start of Awakened, the pulse-pounding eighth installment of the bestselling House of Night series, Zoey has returned, mostly whole, from the Otherworld to her rightful place as High Priestess at the House of Night. Her friends are just glad to have her back, but after losing her human consort, Heath, will Zoey—or her relationship with her super- hot Warrior, Stark—ever be the same? Stevie Rae is drawn even closer to Rephaim, the Raven Mocker with whom she shares a mysterious and powerful Imprint, but he is a dangerous secret that isolates her from her school, her red fledglings, and even her best friends. When the dark threat of Neferet—who is coming closer and closer to achieving her twisted goal of immortality—and Kalona returns, what will it take to keep the House of Night from being lost forever, and what will one desperate girl do to keep her heart from being irreparably broken?


Que Nyx vos abençoe!

domingo, 24 de Outubro de 2010

Fanfic: Confused - Capitulo 14

Capítulo 14

-Eih, Mia! – Ouvi Zoey chamar atrás de mim.
Virei-me lentamente para ela e fiquei aliviada quando vi que vinha sozinha.
-O que é que se passa com elas? O que é que viste?
-Ah?
Estava tão furiosa que me tinha passado completamente ao lado que eu tinha uma mais valia do meu lado e que não a usara.
-Esqueci-me totalmente… Oh espera! Elas não tinham.
-Não tinham o quê? – Perguntou Zoey erguendo as sobrancelhas.
-Não tinham aura nem pensamentos que eu pudesse tentar sequer captar.
Zoey ficou espantada a olhar para mim, mas eu encolhi os ombros.
-Não é nada de especial, às vezes acontece – Sorri-lhe
-Então estás chateada com elas e ainda não sabes o que se passa?
-Sim é isso mesmo. E de qualquer maneira já não tenho fome e não há nada para fazer na cantina certo?
Não esperei por uma resposta. Virei-lhe as costas e saí dali para fora. Queria estar sozinha e pensar naquilo que me estava a acontecer. Eu ainda não tinha estado com o meu pai e o meu irmão desde que tinha sido marcada.
Sentei-me nas escadas do dormitório.
Estava com saudades deles. O meu pai sempre foi uma excelente pessoa e apoiou-me ao máximo quando fui marcada. O meu irmão é mais velho do que eu 2 anos e passamos a vida a embirrar um com o outro, mas também me apoiou muito e disse-me que não tinha nada contra e que, lá por ter uma meia lua na testa ia continuar a ver-me da mesma forma: Uma irmã irritante que a mãe quis dar à luz sabe-se lá porquê. Sorri mas rapidamente este sorriso desvaneceu-se. A minha mãe sempre foi pouco ligada aos filhos. Esteve connosco até eu completar quatro anos, depois disse que aquela não era a vida que ela queria e abandonou-nos. Foi um mês de angustia, dizia-me o meu pai.
Um dia, já eu tinha 12 anos, paramos numa estação de serviço para ir abastecer o carro e o meu pai chamou-me
-Mia, anda cá.
Corri para ele e, quando vi que tinha uma revista na mão, fiz a minha cara mais doce para que a comprasse.
-Estás-me sempre a perguntar como era a mão e que eu sou um péssimo pai por não te ter deixado a custódia dela
-Não vai ser uma revista que me vais conquistar – interrompi-o
Ele riu-se secamente e mostrou-me a capa da revista que mostrava uma mulher bastante bonita com cabelos loiros a posar nua. Fechei os alhos com brusquidão.
-Porque estas a fazer isso?
-Tu não disseste que querias ver a tua mãe, pois ai a tens.
Suspirei e suprimi as lágrimas que teimavam sair dos meus olhos. Esse dia, aquele que poderia ter considerado o dia mais feliz da minha vida, o dia em que veria a minha mãe, tornou-se no pior e transformou todos os meus sonhos em pesadelos.
-Estás bem? – Perguntou-me Tiger.
Levantei-me sobressaltada e limpei a face.
-Não te ouvi chegar – Justifiquei-me
-O que se passa? Estavas a chorar?
Abanei automaticamente a cabeça e forcei um sorriso.
- Uma rapariga sofre muito com a maquilhagem.
-Nem sequer tens maquilhagem.
Ele riu-se e sentou-se nas escadas e eu, instintivamente também me sentei, mas fiz questão de deixar um espaço bem grande entre nós.
Permanecemos em silêncio durante alguns segundos. O suficiente para me deixar bastante nervosa e tentar perscrutar a mente dele. Mas estava tão empolgada que não me conseguia concentrar. Aquilo estava a dar comigo em doida.
-Bem, vais dizer alguma coisa?
-Depende se queres que eu diga.
-Esta bem.
-Não me vais convidar para sair? – Perguntou ele de repente.
-Donde tiraste essa ideia? – Perguntei chocada
-Não finjas Mia, estás a ficar corada. Eu sei que sou irresistível.
-Tu achas mesmo que és o melhor mas não és Tiger. Já namorei com rapazes mais giros do que tu. Com melhor estatuto social e que, esses sim, sabem fazer uma rapariga ficar louca – Arrependi-me imediatamente de ter dito estas palavras. Não por o ter podido magoar mas porque estava a dizer uma mentira das grandes. Ele sabia muito bem por uma rapariga louca e sim, era muito giro, mas não ia admitir isso.
Ele agarrou-me numa mão e aproximou-se devagar de mim, ficando a apenas cerca de 10 centímetros de distancia. Não conseguia reagir. Os meus pensamentos estavam bloqueados.
-É mesmo isso que achas Mia? – Perguntou aproximando-se mais e diminuindo o espaço entre nos.
Senti borboletas voarem-me no estômago e por momentos pensei que ia vomitar.
-Não me parece que estejas a ser sincera comigo.
Soltou-me a mão e afastou.
-Muita experiência sabes?
Senti-me, por momentos, estúpida. Ele estava para ali a gabar-se sem mais nem menos e eu a rever mentalmente aqueles segundos que estivemos tão próximos. Para ele não passava de um jogo, uma aposta que tinha feito com os amigos. Ainda bem que se afastou de mim, agora consigo ler a mente dele com mais clareza. Apostas estúpidas feitas com amigos estúpidos e que levam raparigas estúpidas a acreditar e a deixarem-se ir nos jogos estúpidos dele. Completamente estúpido.
-Tu realmente pensas em mais alguém para alem de ti?
-Sim, penso em ti.
Deitei a língua de fora e fiz-lhe uma careta.
-E eu vivo na Austrália, sou casada contigo, tenho 7 filhos, sou psicóloga e hoje capturei um mamute que estava a passear no meu jardim.
-Não quero ter filhos.
-Não sabes se são teus.
-A que jogo estamos a jogar exactamente?
-Ao teu jogo

Comentem por favor!!!

sábado, 23 de Outubro de 2010

Novidades Harry Potter: pré-venda de ingressos para o último filme de Harry Potter

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!



Hoje trago-vos uma notícia que acho que os fãs de Harry Potter gostarão de saber... Começaram ontem a pré-venda dos ingressos para o filme As Relíquias da Morte- parte 1. Este filme tem data de ante-estreia dia 18 de Novembro à meia noite e de estreia, dia 19 do mesmo mês. Poderão comprar os bilhetes através da rede Cinemark.

Em Harry Potter e As Relíquias da Morte, Harry, Rony e Hermione não voltam para Hogwarts, o trio sai em busca das horcruxes (objectos que guardam fragmentos da alma de Lord Voldemort) para destruí-los.
Ainda na primeira parte do filme, o trio descobre que precisa encontrar as relíquias da morte, para assim conseguir derrotar o lord das trevas.


Fonte: Flor de Lótus

Benditos sejam!

Fanfic: Forgiven - 27º Capitulo

- Então Heath? Passaste este tempo todo aqui à espera?
- Sim
- Deves ter apanhado uma seca! Desculpa! – dirigi-me a Heath que esperara pacientemente fora da sala durante toda a reunião
- Não faz mal, Zo, sabes que por ti espero o que for preciso – limitei-me a corar
- Onde estão eles? – perguntou Damien surgindo detrás de mim e apoiando o queixo no meu ombro
- Quem?
- O Chad e a Sam?
- Um palpite? – inquiri – no… nosso quarto
- Ui, eles dois não podem estar sozinhos… - começou Erin
- sem que a temperatura aumente significativamente… - continuou Shaunee
- Nem diria mais! – Erin proferiu
- Vá vamos lá – disse Jack
Seguimos até ao dormitório e subimos, quando íamos a entrar Nala saiu pela sua portinhola e atirou-se a mim que eu ia quase caindo, mas Heath segurou-me
- O-Obrigada Heath – gaguejei
- Não tens de quê – uma das pontas dos seus lábios subiu e fez aparecer aquela covinha que o punha ainda mais fofo. Sorri. Ainda a coçar a cabecita de Nala entrámos no quarto. Samantha estava sentada na sua secretária com um livro aberto e a escrever e Chad tinha puxado a minha cadeira para junto de Sam e parecia estar a fazer o mesmo que ela
- Interrompemos? – Sam saltou na cadeira
- Que susto! – disse ofegante com a mão no peito
- Desculpa – dissemos todos em coro
- Não há problema… ah e não interrompem nada, estávamos só a adiantar o trabalho de pares de Francês
- Sim, dá para acreditar? Primeiro dia e já temos trabalhos de pares!
- Hum… e os pares foram à sorte…
- Ou foram vocês que escolheram? – Erin continuou a deixa de Shaunee
- Hmm… - disseram em coro olharam um para o outro e responderam ao mesmo tempo:
-Fomos nós
- Foi à sorte
- Muito beeem… - Jack arrastou a voz – e é sobre quê o trabalho?, é que se precisarem de ajuda eu e o Damien podemos dar uma mãozinha
- Por acaso até preciso… Como é que se faz este aqui? – os dois ‘experts’ de Francês juntaram-se a eles e eu, Heath e as Gémeas sentámo-nos na minha cama e na de Samantha (claro que elas ficaram na da Sam). Nala queixou-se de eu ter parado de lhe dar festinhas e foi-se aninhar junto da minha perna, fazendo a zona aquecer imediatamente enquanto eu lhe voltava a dar miminhos enquanto ronronava suavemente
- E o que estás a achar das escola e das aulas? – perguntei a Heath para parar com o silêncio constrangedor
- É fixe… Os profs são bacanos, bem… quase todos…, as aulas são completamente diferentes das de BA… Mas estou a morrer de sono!
- Também ficámos assim quando cá chegámos – comentou Erin
- Passa daqui a alguns dias – acrescentou Shaunee
- Espero que sim.
- Bem, eu cá estou a morrer de cansaço, por isso hoje vou só lá abaixo comer qualquer coisinha e subo logo para a minha caminha
- Estou contigo Gémea, até amanhã!
- Boa noite!
- Bom dia, Z, é bom dia
- Ainda não tomei o pequeno almoço pois não? Nem jantei, por isso é boa noite
- Pronto estás bem…
- Como queiras
Samantha fechou o livro, Chad imitou-a. Damien e Jack despediram-se de nós e foram para o refeitório
- Não vens Zoey? – perguntou Chad ao sair
- Hum… Não, eu faço como as Gémeas. Bom jantar!
- Obrigada, e tu Heath?
- Queres companhia? – Perguntou-me. Eu encolhi os ombros em jeito de tanto faz – Eu fico com ela. Bom jantar, divirtam-se! – Eles saíram.
- Não era preciso ficares, podias ir com eles, sempre comias melhor
- Tenho a sensação que o jantar aqui não é assim tão mal – ele sorriu com o seu sorriso de menino maroto, o que me fez revirar os olhos com o duplo significado da frase. Continuei a dar festinhas a Nala, enquanto se abatia um silêncio algo constrangedor entre nós
- Então… - disse Heath unicamente
- Então… - respondi
- Então… - repeti
- Hum… Então… Zoey… estás solteira não é?
- Pode-se dizer que sim… Bem… ao menos não tenho três namorados…
- Pois… Olha sabes quem é que me ligou?
- Quem?
- A Kayla
- A sério? – mostrei desdém
- Ya… Como não me viu hoje lá na escola queria saber onde eu estava… ela não me larga! – senti-me ciumenta
- Hum… E disseste-lhe que tinhas sido Marcado?
- Sim… Ela começou ‘O quê? Tu também? Mas porque é que toda a gente é? Ou melhor porque é que tu foste?’ e cenas assim
- A miúda não bate bem…
- Podes crer… - permanecemos em silêncio mais um tempo e depois descemos. Arranjámos umas sandes e colas e pusemo-nos em frente a uma televisão. Quando acabámos de jantar ficamos mais um bocado lá em baixo, antes de eu subir e me deitar, para uma noite/dia sem pesadelos ou quaisquer sonhos

sexta-feira, 22 de Outubro de 2010

Fanfic: Desesperada . Capitulo 21

Capitulo 21

Natacha Vamp
Que homem lindo, era tal e qual como no meu sonho aqueles olhos cor de mel, o seu tronco musculado e despido, apenas tendo no corpo uns calções vestidos era difícil resistir-lhe, mas eu sabia que ele era malévolo e que fez coisas horríveis. Tinha de ser capaz de lhe resistir. De repente na minha cabeça surgiu uma “mensagem” que dizia: Usa o teu dom e tenta pedir ajuda a Nyx.
Nyx por favor ajuda-me neste momento em que preciso de ti diz-me como posso vencer Kalona- pensei para mim.
Nada aconteceu, no momento em que mais precisava de ajuda a minha deusa não me ajudava, mas não desisti continuei a pedir à deusa para me ajudar. Até que, Nyx me apareceu à frente e me disse:
-Tens de o mandar de volta para de onde veio ou então arranjar maneira de o destruir, para que não possa mais voltar a vida de nenhuma maneira- sabia que só eu conseguia ver Nyx naquele momento, era esse o meu dom, ver Nyx em espírito.
-Zoey, Zoey temos de o destruir, ou fazer com que volte para a gruta- tentei dizer baixo mas acho que foi em vão e que todos no dormitório me ouviram.
Segundo o que me contaram Zoey era a tal de Ay-a e que ele a queria e desejava, era ela que o tinha de por de volta na gruta e com o seus novos puderes de vampira adulta fazer com que a gruta se destrua com Kalona lá dentro. Tem de ser essa a solução.

Continuação
Tinha de conseguir passar aquilo para Zoey sem mais ninguém perceber, conseguir que ela saiba o que estou a pensar e para isso tinha apenas o meu dom, tenho de transmitir isto a Nyx e depois Nyx tem de o transmitir a Zoey.
Nyx, minha deusa, peço-lhe que diga a Zoey para levar Kalona para perto de uma gruta, para que o volte a enterrar e destruir a gruta ou então se tiver mais alguma ideia que a utilize para acabar de vez com está guerra.
Zoey pareceu-me ter recebido a mensagem, pois, piscou-me o olho como se me disse-se: obrigada ou boa ideia, ou algo do género.
-Proponho um justo combate no Campus, um combate justo e sem batotas- declarou Zoey, num tom de voz calmo, tranquilo mas com um pouco de receio.
-Concordo, proponho que apenas combatemos nós os dois, sem mais ninguém- disse Kalona, uma proposta parva e que eu tinha quase a certeza que Zoey não ia aceitar.
-Está bem- ela não pode ter aceitado isto, ela vai-se magoar- mas com uma condição...- Um senão assim é melhor vamos ver que ela lhe vai pedir- tens de tirar a Nefered dessa vida de fazer mal aos outros, de ser a Rainha Tsi-Gili. Tem de voltar a ser como quando eu fui marcada.
-Ela é que quis ser assim, ela escolheu. Sim que eu ajudei, mas é muito difícil voltar a te-la de volta à bondade, diria que é quase impossível, ela teria de cair em si, ou então apenas uma magia muito forte e poderosa- foi a resposta de Kalona, talvez um circulo a pudesse trazer de volta.
-Então nada feito, lutaremos todos. Juntos e unidos como antes estivemos mas mais fortes e puderosos- gostei da resposta de Zoey.
(...)
Estamos agora no Campus, prontos para que o combate começasse, mas ninguém queria ser o primeiro a atacar. Eu, a Zoey, o Stark, a Stevie Rae, a Afrodite, a Erin, a Shaunee, o Demien, o Jack, o Eric, o Dylan e a Emma, estávamos lá todos mais unidos que nunca, todos a lutar para que Kalona morre-se, ou fica-se preso para sempre numa gruta.
Nefered estava impaciente para que o combate começa-se e foi ela a primeira a atacar, atingiu Zoey no peito, mas esta não se magoou, era como se a magia de Nefered não afectasse Zoey. Mais um ponto de vantagem para nós.
Zoey com a ajuda de Demien respondeu ao ataque com um vento muito forte, que a fez derrubar. Foi a vez de Kalona atacar, dirigiu-se para o nosso lado e agarrou Stevie Rae, tirou um punhal do bolso dos calções e fez-lhe um pequeno corte no braço, corri para ela e disparei um raio de energia contra Kalona, fez-o cair no chão e foi o suficiente para me puder por à frente de Stevie Rae. Todos começaram a atacar. Agora estava oficialmente dito: A GUERRA COMEÇOU.
Tentei ajudar todos, mas foquei-me mais em Dylan e Emma que eram obviamente os que estavam mais em desvantagem, porque primeira: não tinham nenhum dom. E segunda: nunca tinham estado numa guerra, eu também não mas sempre tinha o meu dom para me safar.
-Dylan saí daqui com a tua irmã, vão para o meu quarto e esperem lá por mim. Quando isto tudo acabar vou lá ter com vocês, ficaram melhor lá- sussurrei-lhe ao ouvido, ele ainda tentou barafustar comigo, mas sabia que eu tinha razão.
Corri para o lado de Afrodite que lutava muito bem, e tentei ver alguns dos seus golpes para que os pudesse aplicar. Senti dor no fundo das costas e sabia que se olha-se para elas um liquido vermelho escarlate sairia de lá, pelo que preferi não olhar. Virei-me para trás para ver quem me tinha atingido e vi Kalona o mesmo punhal que tinha atingido Stevie Rae nas mãos, mas agora sujo com o meu sangue também. Tinha de ir ter com Stark, ele tinha de ver o que acontecia quando uma das suas flechas atingia Kalona no coração, visto que foi com uma flecha no peito de Stevie Rae que ele voltou da gruta, devia ser com uma no seu coração que ele morria. Mas isto são apenas teorias que se fossem verdade ajudaram muita gente.
Corri para perto de Stark que estava ao pé da Zoey a lutar com Nefered, Kalona já não estava ao pé de mim, lutava agora com as gémeas e com Demien.
-Stark tenta acertar com uma flecha no coração de Kalona- pedi-lhe.
-Ok- foi a sua resposta.
Ele fez o que lhe pedi e todos ficaram a olhar para Kalona a cair no chão e a gritar de dor, apenas consegui dizer:
-Nem o ser mais antigo e que se diz imortal é imortal- todos olharam para mim e de novo para Kalona, agora deitado e morto no meio de uma guerra.
Procurei Nefered com o olhar e apenas a vi ao longe a correr e apenas a consegui ouvir dizer:
-Ei-de voltar para vingar a morte de Kalona.

Este é o ultimo capitulo da minha fanfic, peço desculpas não ter feito o que prometi de escrever dois capitulos, mas escrevi um mais longo que será o ultimo.

quinta-feira, 21 de Outubro de 2010

Fannart7: Zoey Redbird

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

Desculpem o atraso mas aqui fica mais uma imagem para vocês, desta vez da Zoey.


(Autor desconhecido)

Zoey Redbird

Já sabem... esperamos pelos vossos desenhos, imagens, textos, poemas... é só enviarem para o email jwalter2412@gmail.com.

Benditos sejam!

Passatempo Perfeitos

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

Hoje trago-vos a notícia de um passatempo que está a decorrer no Blog Leituras do Corvo...
Aqui ficam todas as informações necessárias à vossa participação...



O blogue As Leituras do Corvo, em parceria com a Vogais & Companhia, tem para oferecer 2 exemplares do livro Perfeitos, de Scott Westerfeld. Para participar basta responder às seguintes questões:


1. Como se chama a protagonista deste livro?

2. Onde nasceu Scott Westerfeld?

3. Qual será o título (em português) do próximo livro desta série?


Regras do Passatempo:

- O passatempo decorrerá até às 23:59 do dia 30 de Outubro. Respostas posteriores não serão consideradas.

- Para participar deverão enviar as respostas para carianmoonlight@gmail.com, juntamente com os dados pessoais (nome e morada);

- Os vencedores serão sorteados aleatoriamente entre as participações válidas;

- Os vencedores serão contactados por email e o resultado será anunciado no blogue;

- Só se aceitarão participações de residentes em Portugal e apenas uma por participante e residência.

 
Que Nyx vos acompanhe!

segunda-feira, 18 de Outubro de 2010

Poema da Daniela

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Trago-vos hoje um poema da Daniela Caillaud sobre uma vampira que luta contra a sua natureza.

Natureza Infeliz

Abro os olhos e penso:
“O que faço eu aqui?”
Depois me lembro
Foi aqui que me ergui

Saio para a rua
À espera de uma presa encontrar
Lembro-me porque sou assim
Contra a minha natureza tento lutar

Um berro oiço,
Alguém está a chorar
Um rapaz vejo
E os meus instintos começam a alertar

O cheiro dele, irresistível
Sinto-me atraída
Puro e virgem, ele é
Fico possuída.

“Como te chamas?
O que fazes aqui?”
“Perdido, eu estou
Por favor, tira-me daqui!”

Olho para ele
Quinze anos deve ter
Não me consigo controlar
Caio, e começo a tremer

“Afasta-te de mim
Eu não te posso ajudar!”
Em mim ele agarra
E eu começo a arrepiar

Enquanto ele me ajuda
Os dentes lhe cravo
O Grito dele tento abafar
Enquanto ele me tenta travar

O sangue é do mais puro
Não me consigo fazer parar
Até que morto ele está
Já nada o salvará

Assim é a minha natureza
Contra ela tento sempre lutar
Mas de volta á caça estou
Já nada me consegue parar


Que Nyx vos abençoe!

domingo, 17 de Outubro de 2010

Fanfic: Confused - Capitulo 13

Capítulo 13

Sim! A minha vida deu uma reviravolta completa! Agora tenho alguém do meu lado! Alguém com quem posso sempre contar! Um amigo verdadeiro que poderá ser a luz ao fundo do túnel!
Oh minha Deusa, parece que estou a fazer o guião de um programa televisivo infantil, daqueles em que aparecem pessoas mascaradas de coelhos gigantes. E ainda por cima no meu novo livro de Espanhol!
Estou na minha terceira aula da parte da manhã e, a única pessoa que conheço daqui, infelizmente, é a Barbie. Traz vestido uma camisola com um decote em V, uma mini-saia de ganga e umas sandálias de salto alto que ainda lhe realçam mais as pernas. A miúda parece ser uma substituta da Afrodite antiga, já que esta está numa fase de “Paz e Amor”.
Vê-la fazia lembrar o episódio da noite passada, mas de uma forma muito mais terrorífica. Cada detalhe da cena, cada imagem retida, uma por uma vinha de novo à minha cabeça.
-Eu não sabia que ela era assim, não tenho culpa que ela tinha reagido dessa forma! Alias, quem a traiu foi o namorado dela, não eu… - Ouvia-a a cochichar com alguém. Desde o inicio da aula que não parava de falar. Aquela rapariga parecia ter sérios problemas…
Suspirei de alívio quando finalmente tocou para acabar a aula e o professor Germy nos deixou sair.
Próxima aula: Esgrima. Vou levar uma abada.
***
Sim, eu disse que ia levar uma abada, não contava era que fosse da Zoey. Bem, depois de comparar-mos os horários de uma e de outra, chegamos à conclusão de que tínhamos três aulas juntas: Sociologia, Esgrima e Equitação.
-Bem bem, acho que me vou fartar de ti Zoey – Disse
-Eu também – Disse Zoey, a rir. Um riso nervoso que, apesar das suas palavras hoje de manhã, vinha a provar a tenção ainda existente entre nós. Era difícil aceitar uma verdade daquelas, e eu sabia bastante bem disso.
Sentámo-nos na nossa mesa do refeitório, ao lado das gémeas que já lá se encontravam. Damien e Jack ainda não tinham chegado.
-Bem meninas, há novidades? – Perguntou Shaunne
-Daquelas fresquinhas? – Inquiriu Erin
Do outro lado do refeitório vi Melody com o tabuleiro do almoço. Quando me viu sorriu-me, cumprimentando-me e eu fiz o mesmo. A marca dela já quase não se notava, nem parecia que tinha sido atacada. Isto interrogou-me durante toda a manha de aulas.
Estive com a Melody na primeira aula, e ela aparentava estar bem e tranquilizou-me, garantindo que não tinha sido nada demais. Reparei que a marca dela quase não se via, mas ela justificou-se dizendo que tinha um bom creme anti-cicatrizante. Infelizmente Neferet não tem a fama de chegar atrasada à aula e não nos deixou falar mais.
-Bem, na primeira aula estou sentada ao lado de Melody… - Comecei
-Sobre isso não! – Exclamaram as gémeas ao mesmo tempo
-Qual é o vosso problema? – Perguntou Zoey.
As gémeas olharam à volta para se certificarem de que ninguém as ouvia. Depois tiveram uma troca de olhares demorada entre elas e, ao fim de algum tempo, acenaram ao mesmo tempo em sinal de aprovação e viraram-se para nós.
- O problema e que nós estamos envolvidas nisso – Respondeu Erin, enquanto me engasgava a beber um trago do meu sumo.
-Mas vocês passaram-se ou que? A Melody podia ter morrido e foi uma sorte nós estarmos ali! Que raio vos passou pela cabeça para fazerem isso? – Não consegui controlar bem a voz e tenha a impressão que a elevei um bocadinho demais.
-Shhhh!!! – Disseram as gémeas em uníssono, pondo o dedo indicador sobre a boca.
-Porquê? – Sussurrou Zoey
-O que é que se passa? – Perguntou Damon por detrás delas. Vinha acompanhado por Jack. As gémeas deram um salto assim que ouviram a voz dele.
-Estávamos a ter uma conversa sobre… - Tentou Erin
-Sobre coisas – Ajudou Shaunee
-Coisas de miúdas
-Sabes brincos, colares, anéis, pulseiras
-Manicura, pedicura
-Depilação
-Coisas dessas
-De miúdas – Acrescentou mais uma vez Shaunee. Reparei no seu tique nervoso. Exibia um sorriso forçado de meio segundo.
Elas não queriam que Damon soubesse. Nem eu queria ter sabido. Bem, talvez queria.
-Vocês acham mesmo que acredito em vocês?
Elas acenaram ao mesmo tempo exibindo sorrisos bonzinhos e fofinhos. Mas era uma máscara, elas não eram aquilo que aparentavam ser, eram muito piores, pessoas más, quase assassinas que cometeram quase um crime por causa de qualquer caprichozinho que lhes tenha subido à memoria.
-Sim, elas estão a dizer a verdade – Disse eu, levantando-me da cadeira. – A verdade verdadinha. Quem duvida das gémeas? Elas eram incapazes de fazer algo de mal. Inofensivas. Queridas. Amigas de qualquer pessoas. Acredita na palavra delas, tens tudo a ganhar com isso.
Todos me olhavam absortos daquilo que tinha acabado de dizer. Nas gémeas vi uma chama de raiva.
Peguei no meu tabeleiro.
-Estou farta de ouvir falar sobre coisas de miúdas, sobre jóias, depilação e manicura. Acho que é a vossa ronda.
Mandei um sorriso forçado às gémeas e sai dali.
Eu sabia que elas estavam mais do que zangadas comigo, estavam furiosas. Sabia que as tinha atacado sem saber a explicação sobre o seu acto. Sabia que, como não queriam contar a Damon era uma coisa má. Sabia que Damon estava confuso. Sabia que Jack estava chocado. Sabia que Zoey estava atónica. Sabia que sabia coisas a mais.

Poema da Inês

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

E hoje apresento-vos outro poema da Inês, desta vez sobre a Zoey e o Stark.


A Promessa

Uma promessa me fizeste
Que me vinhas salvar
Mas quando vieste
Já ela me veio buscar

Disseste que não é de confiança
Para manter a esperança
Mas numa outra eterna dança
Quebraste a nossa aliança.

Para o mal ela me levou
Contra ti ela me tentou
Mas do nada, ferida apareceste
E o nosso fogo reacendeste.


Que Nyx vos abençoe!

sábado, 16 de Outubro de 2010

Poema da Inês

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Trago-vos hoje mais um poema da Inês, aqui vai:


Kalona
Anjo caído
Lindo e sedutor
Que acabara perdido
Pelo seu grande amor

Mal fizera
Pessoas magoara
E agora pagara
Seu coração despedaçara

Oh anjo caído
Lindo e sedutor
Que acaba perdido
Sozinho com a sua dor.


Que Nyx vos abençoe

Fanfic: Forgiven - 26º Capitulo

- Zoey?
- Ham?
- Perguntei-te se tens alguma dúvida sobre a matéria
- Ah… Não, não...
- Vê se estás mais atenta
- Sim, professora – E foi assim que voltei à terra. Ainda estava meio a divagar sobre o dia de ontem… de Heath…
As duas primeiras aulas correram bem, quer dizer… tirando aquela tensão de fúria entre mim e Neferet em Sociologia, mas pronto. Acordei, tomei duche e vesti-me. Tomei o pequeno almoço com a Sammy e as Gémeas. O Heath fez questão de vir ter comigo ao dormitório para me acompanhar às aulas, abrindo-me sempre as portas e dizendo como ele estava feliz por ser Marcado e poder estar junto de mim… A verdade é que eu também estava, e muito… se calhar mais do que devia… Passou-se sociologia. Quando estávamos a ter teatro, o Heath não parava de olhar para mim e Erik, ciumento, e só parou quando eu lhe expliquei à milésima vez, que não tinha nada com que se preocupar, que eu não tinha nenhum namorado, que eu e Erik éramos só amigos e que ele não se tinha de meter (eu sei, fui um bocadinho bruta e fria, mas ele já começava a irritar). E aqui estou eu, na aula de Literatura, à espera que toca, a rabiscar o meu caderno e a limitar-me a prestar atenção de vez em quando. Já era a terceira vez que a Prof P me chamava a atenção, pelo que decidi concentrar-me na aula, ou o que restava dela… mas mesmo antes de tocar desliguei e comecei a pensar outra vez no Heath… Afrodite andava desaparecida, muito provavelmente andava com o Dário e a arrumar as coisas dela, pelo que não tinha tido oportunidade de falar com ela sobre a sua visão… Mas depressa voltei ao assunto Heath: no quanto ele cheirava bem (e não estou a falar de perfumes), no quanto eu sentia e conseguia cheirar o seu sangue delicioso… no quanto me sentia tentada a prová-lo mais uma vez (ou mais do que uma vez…)…
- Alô? Zo? Não vens?
- Hã?
- Já tocou à cinco minutos, vens? Eu levo-te ao ginásio
- Ah, claro, o Damien?
- Já saiu
- Hum… então vamos, depois falo com ele – passámos na minha sala, a de sociologia, para deixar lá os livros e depois seguimos para o ginásio
- Então… Que se passa contigo hoje?
- Como assim?
- Estás no mundo da lua, estás estranha
- Ando a pensar em coisas – não era mentira
- Coisas…
- Sim, tipo, tenho uma reunião para fazer hoje montes de coisas para discutir e ainda estou cansada de ontem… - também não era mentira
- Que é isso?
- Quê?
- Isso no teu braço – olhei para o meu braço. Apenas tinha vestido uma t-shirt preta com duas estrelas em purpurinas prateadas, e no meu braço via-se a ligadura que tapava o que fora queimado do meu braço. De debaixo da ligadura surgiam espiraizinhas azuis e runas
- Então é isto que me tem dado comichão toda a manhã! E ardor também!
- São mais tatuagens?
- Sim… - tirei a ligadura e observei o desenho. Era como uma moldura, à volta tinha espiraizinhas e algumas runas e no meio tinha um pássaro… Um… um pássaro, cujo nome provinha das lendas cherokees, Um Redbird!
- É linda! – disse Heath. Num impulso abracei-o, e como fiquei com a cabeça sobre o seu ombro, foi muito mais fácil ouvir o seu coração palpitar, e cheirar o líquido que lhe escorria debaixo da pele… Comprimi os lábios e afastei-me. Percebi que Heath queria tanta que eu bebesse dele, como eu queria beber
- Obrigada… Ajudas-me a pôr a ligadura? Não quero que isto venha a infectar
- Claro… - resolvi dar uma espreitadela à sua mente, para saber o que ele sentia ‘ Porque é que recuaste? Porquê? Não percebes que eu quero que bebas?’ Encolhi-me –Estás bem?
- Sim, foi só um vento frio… Vamos?
- ‘Bora… - à porta do ginásio Heath parou à minha frente. Fiquei a olhar para o seu ar de menino, aquele ar que o fazia eternamente jovem, o seu cabelo loiro, as suas covinhas que apareceram quando ele me sorriu… Vi os olhos dele brilharem quando eu sorri para ele, por segundo pensei que me ia beijar, mas apenas me passou a mão pela cara numa festinha suave – Venho aqui ter contigo à hora de almoço – sorriu-me e foi-se embora
- Ai, que raiva! – disse para mim, a pensar que ainda gostava dele a sério
- Z! Despacha-te! Estou à tua espera! – gritou Damien da porta
- Vou já, vou já… - vesti-me em quinze minutos e comecei a aquecer. Depois, como sempre fizemos combates e eu, como sempre outra vez, fiquei com o Damien
- Hum, Damien… Vou precisar que me emprestes os teus apontamentos da aula de Literatura, não apanhei nada
- Pois eu reparei, dou-tos logo à noite… - ataquei – Já me estás a manchar a reputação?
- Tenho um óptimo professor! Não me culpes a mim!
- lá isso é verdade… - disse ele, gabando-se – ouve, tu reparaste na Sam e no Chad hoje?
- Nem por isso
- Bem, saltavam faíscas entre os dois!
Ri-me – não gozes, eles gostam um do outro, eu acho é que a Sam não quer ter nada com ele antes de o conhecer…
- Não a julgo! E se o Chad fosse um violador em série? – olhei com ele numa de ‘A sério?’ – Pois, tens razão… Mas pronto…
- Mas que ficam bem os dois, ficam!
- Se ficam! Hás-de reparar quando o Chad olha para ela e ela se apercebe, fica que nem um tomate ambulante!
- Ai, Damien, tu e as tuas comparações! – tocou para sair. Fui para o vestiário e despachei-me o mais rápido que pude. Assim que saí, lá estava o Heath à minha espera
- Olá! – ‘princesa’ pensou ele… Corei
- Olá! – mordi o lábio, a pensar que ele me ia chamar princesa
- Então como correu a aula?
- Optimamente, e a tua?
- Muito boa… Jogar futebol aqui é diferente que lá em Broken Arrow
- A sério? – disse eu em lugar de um ‘não me digas…’
- Yup, vamos almoçar?, estou cá com uma fome!
- Vamos lá – O caminho para o refeitório foi feito com Heath a fazer-me montes de perguntas sobre a Casa da Noite e com os rituais que fazíamos e isso tudo. Quando nos sentámos só lá estava Samantha
- Então, estás sozinha?
- Pelos vistos…
- As Gémeas?
- Cole e T.J.
- Ah, almoço romântico portanto
- Pois, e o Jack e o Damien devem estar a chegar, com o Chad
- Okay… - No final de almoço ainda nos faltava um bom bocado para tocar. Fomos para a sala de convívio, mas a certa altura Heath pegou na minha mãe e fez-me sinal para que eu fosse com ele lá fora
Seguimos até um árvore e escondemo-nos aí debaixo. Ele olhou para mim e mordeu o lábio – Zo… eu estive a pensar… agora que sou iniciado, o sangue tem outro sabor, certo?
- Sim, mas pelo que sei, quando se prova a primeira vez não se gosta… Quer dizer eu gostei… Mas eu sou eu e eu sou fora da normalidade…
- Pronto, tagarela, mas… eu gostava de saber como sabe… achas que… - oh Deusa! O Heath queria beber de mim! E agora? Digo sim?, Não?... Parte de mim dizia avidamente um sim! Mas outra parte dizia que o mais provável era ele não gostar – Não te preocupes, eu sou um bisarma, não vou vomitar prometo – cruzou os dedos à frente dos lábios em sinal de juramento – Por favor, Z… É que… Tu tens cheirado tão bem desde ontem, e a quê eu não sei, mas não é o perfume que usas… é outra coisa… - minha santinha!, ele também era parte como eu: a sede de sangue começou em terceiranista… Talvez tenha sido… da nossa impressão, é deve ser disso… - Então?
- Eu… não sei… É que… eu… - hesitei, mas depressa me calei quando ele se mexeu rapidamente e me beijou. As nossas bocas abriram-se e tornámos o beijo ainda mais intenso. Como ele beijava bem… já me tinha esquecido do quanto me fazia as pernas levantarem voo. Acabámos um encostado ao outro, eu com a minha respiração a bater-lhe no peito.
- Por favor – pediu. Passei a sua unha pelo meu lábio e lambi-o, dando-me automaticamente forças. Ele levou o dedo à boca, provando a gotinha que lhe tinha ficado lá. Esbugalhou os olhos e sorriu. Colou a sua boca à minha e sugou-me o lábio, provocando em mim uma excitação que me fez gemer – Já te disseram que és deliciosa?
Pensei em responder ‘já’ , mas saiu-me uma coisa estúpida – Ainda bem…
Lambeu-me mais umas vezes o lábio inferior e depois abraçou-me. Comprimi o lábio para parar de sangrar. Tocou para entrar e dirigimo-nos à aula de espanhol. Demos umas revisões e nova matéria. Senti os olhos de Heath pregados em mim e comecei a corar. Na aula de equitação estivemos a fazer saltos. No final fiquei a escovar Perséfone.
- Já tinha saudades tuas – disse-lhe enquanto lhe dava festinhas no focinho. A égua resfolgou no que eu interpretei ser um ‘Eu também’
- Estás aqui! – a voz de Heath pregou-me um susto - O Damien pediu-me para te avisar que estão todos à tua espera para a reunião
- A reunião! – saí a correr para ir ter com eles à biblioteca. Decidimos que, já como a Afrodite se ia embora e Erik tinha mudado, iríamos pôr os seus lugares disponíveis para quem se mostrasse interessado e competente para isso. Organizámos o ritual de domingo também, como o íamos fazer e como íamos anunciar os novos cargos. Afrodite ainda ia fazer parte deste e só depois se ia embora.

sexta-feira, 15 de Outubro de 2010

Fanfic: Desesperada - Capitulo 21

Capitulo 21 Natacha Vamp
Que homem lindo, era tal e qual como no meu sonho aqueles olhos cor de mel, o seu tronco musculado e despido, apenas tendo no corpo uns calções vestidos era difícil resistir-lhe, mas eu sabia que ele era malévolo e que fez coisas horríveis. Tinha de ser capaz de lhe resistir. De repente na minha cabeça surgiu uma “mensagem” que dizia: Usa o teu dom e tenta pedir ajuda a Nyx.
Nyx por favor ajuda-me neste momento em que presido de ti diz-me como posso vencer Kalona- pensei para mim.
Nada aconteceu, no momento em que mais precisava de ajuda a minha deusa não me ajudava, mas não desisti continuarei a pedir à deusa para me ajudar. Até que, Nyx me apareceu à frente e me disse:
-Tens de o mandar de volta para de onde veio ou então arranjar maneira de o destruir, para que não possa mais voltar a vida de nenhuma maneira- sabia que só eu conseguia ver Nyx naquele momento, era esse o meu dom, ver Nyx em espírito.
-Zoey, Zoey temos de o destruir, ou fazer com que volte para a gruta- tentei dizer baixo mas acho que foi em vão e que todos no dormitório me ouviram.
Segundo o que me contaram Zoey era a tal de Ay-a e que ele a queria e desejava, era ela que o tinha de por de volta na gruta e com o seus novos puderes de vampyra adulta fazer com que a gruta se destrua com Kalona lá dentro. Tem de ser essa a solução. Tinha de conseguir passar aquilo para Zoey sem mais ninguém perceber, conseguir que ela saiba o que estou a pensar e para isso tinha apenas o meu dom, tenho de transmitir isto
A autora pede desculpa pelo pequeno texto, mas promete que na próxima semana enviará dois para compensar.

Evento Tentada - BRASIL

Olá Filhos e Filhas das Trevas!

Trago-vos hoje um evento do blogue House of Night BR para o livro Tentada. Check it out!



EVENTO DE TENTADA!


Geeentee.. se me lembro bem, tinha comentado em uma das postagens que marcamos o evento de tentada mas não tinhamos a data e o banner ainda.
Bom.. estou trazendo o banner para vocês verem.
O evento acontecerá neste domingo (17 de Outubro), às 16 horas e terminará às 18h
Se preparem para perguntas, sorteios, novidades, e brincadeiras relacionadas a série!
No caso de dúvidas é só manda pro nosso e-mail: houseofnightbr@yahoo.com.br




APOIO: Saraiva Mega Store
Editora Novo Século

Abençoados Seja!

quinta-feira, 14 de Outubro de 2010

Entrevista a Becca Fitzpatrick

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

A escritora Becca Fitzpatrick está a fazer uma tour pelos blogs do Reino Unido para celebrar o lançamento de Crescendo (2.º livro da série Hush Hush), que será lançado lá ainda este mês (:s que sorte...). Para verem toda a programação da tour cliquem aqui.

Hoje deixo-vos a entrevista traduzida a Becca Fitzpatrick inserida nessa mesma tour postada no Blog Book Chick City a 29 de Setembro.


BCC: Para aqueles que não estão familiarizados com a série Hush Hush, pode dar-nos uma ideia sobre os seus livros?


Becca: Claro! Hush, hush é o primeiro livro da série e é uma história sensual e sinuosa sobre uma garota de dezesseis anos de idade que se apaixona por um anjo caído com uma agenda obscura para se tornar humano. Pense em suspense, romantismo, paranormal para adolescentes.


BCC: Crescendo será lançado no Reino Unido em Outubro deste ano, está trabalhando num terceiro volume para a série? Além disso, está trabalhando em alguma coisa em separado da série Hush Hush?

Becca: Algo pode estar em obras, mas as pessoas vão ter que esperar para saber ... Eu sou tão mazinha!


BCC: Como gosta de relaxar quando não está a escrever?

Becca: Eu gosto de correr ... pensando bem, eu não tenho certeza de que conta, já que eu faço a maior parte do enredo do meu livro enquanto corro! Eu também gosto de escavar na terra e plantar coisas (não tenho a certeza de ser boa o suficiente para me chamar de "jardineira"), nadar com os meus filhos, sair para jantar com meu marido, e ler na cama até tardias horas.


BCC: Qual é o seu lugar preferido para escrever e tem um momento do dia favorito para o fazer?

Becca: Eu geralmente escrevo no meu escritório. É uma pequena sala com três janelas, duas estantes e uma planta quase morta. Prefiro escrever pela manhã, quando a minha mente está fresca e ainda me lembro dos sonhos da noite anterior (sempre útil em arranjar ideias), mas eu diria que noventa por cento da minha escrita dá-se à noite, depois dos meus filhos irem para a cama.


BCC: Após o lançamento de Hush Hush, você ficou surpresa com a quantidade de transito que acumulou em torno da blogosfera? Havia alturas que eram frenéticas!

Becca:  *Rindo...* mais como eu fiquei chocada! Tudo sobre ser publicada foi uma surpresa. Lembro-me do dia em que a minha agente ligou para dizer que tinha vendido HUSH HUSH a Simon & Schuster. Depois de desligar, comecei a ler por meio de muitos, muitas cartas de rejeição que eu tinha acumulado antes desse ponto. Eu ficava a pensar: "Será realmente verdade? Será que alguém realmente quer publicar o meu livro? "Passei cinco anos ouvindo não, não e definitivamente não, de modo que um sim tomou-me de surpresa. Foi um choque delicioso e estonteante.


BCC: Qual é o seu filme favorito?

Becca: Favoritos são tão difíceis! Eu sou do tipo de pessoa que muda constantemente de ideias, de modo a apegar-me a uma coisa é complicado. Mas hoje.... eu vou dizer... Pride and Prejudice (Orgulho e Preconceito), com Colin Firth. Ou talvez The Waitress, ou Better off Dead, ou Romancing the Stone. Como um back-up, eu vou excluir Robin Hood Prince of Thieves (Robin Hood O Príncipe dos Ladrões).

BCC: A sua música preferida?

Becca: Eu amo o Fantasma da Ópera soundtrack. Eu também adoro qualquer coisa dos Rolling Stones.


BCC: E a sua comida favorita?

Becca: Uma pergunta fácil! Gelado, mãos para baixo.


BCC: Quem é seu autor preferido?

Becca: GAH! Estes favoritos são de morrer! Jane Austen é sempre um favorito, o mesmo com Sandra Brown.


BCC: E finalmente o seu livro favorito?

Becca: Speak, de Laurie Halse Anderson é um dos meus favoritos de todos os tempos. Foi o livro que me fez apaixonar pela ficção YA.


BCC: Muito obrigada Becca e deselho muita sorte para Crescendo!


Benditos sejam!

terça-feira, 12 de Outubro de 2010

Fannart6: Stark e Zoey

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!


Deixo-vos hoje com uma imagem do Stark e da Zoey Espero que gostem!

(Autor desconhecido)
Zoey Redbird e Stark


Que Nyx vos acompanhe!

segunda-feira, 11 de Outubro de 2010

Lançamento de Queimada no Brasil

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

Hoje trago-vos uma notícia bastante agradável para os fãs brasileiros da saga mas que nos deixa a nós invejosas, pelo menos a mim.

A Novo Século (Editora responsável pelos livros da saga House of Night no Brasil) já divulgou a capa, sinopse e data de lançamento de "Queimada". Aqui ficam as informações juntamente com a capa:



Título: Queimada
Autora(s): P.C. e Kristin Cast
Editora: Novo Século
Lançamento: novembro/10

Sinopse:
As coisas se tornaram negras na House of Night. A alma de Zoey Redbird se despedaçou. Com tudo o que ela acreditava caindo aos pedaços, e um coração despedaçado fazendo com que ela queira ficar no Otherworld para sempre, Zoey rapidamente desaparecendo. Está sendo mais e mais duvidoso que ela consiga se trazer de volta a tempo de se juntar aos seus amigos e colocar o mundo de volta do jeito que deve ser. Sendo a única pessoa viva que consegue alcançá-la, Stark deve achar uma forma de ir até ela. Mas como? Ele vai ter que morrer para fazer isso, isso é o que Alto Conselho dos Vampiros estipula. E então, Zoey desistirá concerteza. Só há mais 7 dias...

Fonte: House of Night Br

Que Nyx vos acompanhe!

domingo, 10 de Outubro de 2010

Fanfic: Confused - Capitulo 12

Capítulo 12

Acordei bastante cedo no dia seguinte. Agora, o que acontecera na noite passada já não me atormentava tanto. Tinha sido uma falha de electricidade e, com o medo, pareceu-me ver algo e interpretei mal. Bem deve ter sido mesmo isso certo?
Ainda estava de dia, mais precisamente pôr do sol. Mesmo com as cortinas fechadas, os raios de sol conseguiam invadir o quarto. Dirigi-me á janela e fechei as persianas, para que aquilo não acordasse também Zoey, mas não estava à espera que elas a fechar fizessem o estrondo que fizeram.
-Desculpa – Sussurrei
Zoey gemeu e rebolou na cama
-Se não estivesses aqui há apenas um dia, estavas feita! – Resmungou.
-Uhh, a Zoey tem muito mal acordar! – Exclamei e coloquei a mão á frente da boca, exagerando bastante a minha “suposta” surpresa.
Enquanto me ria do meu belo e breve momento teatral, levei com uma almofada em cheio na cara. Agora era ela que se ria da minha cara. Peguei na almofada e simulei como se lha fosse atirar, fazendo-a por as mãos á frente da cabeça e fechar os olhos.
-Estou á espera! – Resmungou
-De quê? – Perguntei, colocando-me ao lado dela na cama.
Ela riu-se e olhou para o despertador.
-Ainda temos tempo antes das aulas começarem, que me querias contar?
Hesitei antes de falar, mas sabia que podia contar com ela.
-Bem, o ataque de Melody foi verdade, não estava a gozar, juro! – Defendi-me, rezando para que ela acredita-se na minha palavra.
-Eu sei que acontecem coisas estranhas aqui na casa da noite e, um corvo gigante com cara de homem já não é nada que me surpreenda. – Acabou por responder.
Senti a felicidade apoderar-se de mim e agarrei-me a ela e abracei-a com toda a minha força.
-Obrigada por acreditares em mim – Disse
-Ok, ok, mas agora quero-te perguntar uma coisinha, mas não leves a mal! – Avisou-me
-Diz lá Zoey, eu prometo que não mordo – Brinquei
-O que estava o Erik lá a fazer?
Bem… Ela é que tinha de prometer que não me mordia. Mordi a língua com tanta força que me doeu.
-Eu e o Erik temos algo bastante estranho. – Expliquei – Não sei se andamos mesmo, quer dizer, tu é que por favor tenta entender, mas eu acho que não gosto dele dessa forma mas, quando estou com ele faço coisas que ás vezes parece que não sou eu que comando o meu corpo, que há uma vozinha na minha cabeça a dizer “Cuidado!”, mas que há outra que se sobrepõe a esta e diz “Tem calma, está tudo bem!”. É que, nem eu sei bem o que se passa e tu tens de me ajudar a descobrir Zoey, por favor!
Olhei para ela e o seu rosto estava sério. Quando abriu a boca para falar, tinha medo de levar com um não, com um “Traidora” ou “Eu bem sabia!”, mas fosse o que fosse, era para meu bem e eu sabia que o merecia.
-Como pudeste? - Perguntou com a voz trémula.
-Por favor…
-Eu contei-te tudo, não te escondi nada. Fui bastante claro quando te disse que ele era meu ex mas que eu ainda e amava como amo agora. E no mesmo dia tu curtes com ele, mesmo depois dos avisos que te deu e ainda dizes que não controlaste?
Abri a boca para falar mas ela não me deixou
-Eu amo-o. Eu sei que lhe fiz mal, que errei, que também beijei muitos mais rapazes nas costas dele, mas…
-Se vires por esse lado compreendes que o que eu te fiz foi o que tu lhe fizeste.
-O que?! – Zoey levantou-se da cama e colocou-se á minha frente – Fizeste isso para te fingares de mim, na vez dele!
-Claro que não! – Levantei-me também e elevei a minha voz. Tinha de a fazer ouvir a razão – Tens de parar tanto de olhar para o teu umbigo Zoey! Eu cometi o mesmo erro que tu! E estou-te a dizer que é como se algo me manipula-se a faze-lo mas que me envolve tanto que até confundo os meus pensamentos com isso! Quando isto te aconteceu tu quiseste resolve-lo e escondeste dos teus amigos, mas algo correu mal e eles souberam antes de tu poderes contar. Ficaram zangados contigo e tu sabes que não merecias. Comigo é a mesma coisa!
Depois de um momento de silencio, ela voltou a falar.
-Não, eu estou no lugar do Erik.
-Exactamente, e sei que queres que ele te desculpe. E acho que antes de lhe pedires tal coisa, devias ver as coisas do ponto de vista dele. Para isso Zoey, perdoa-me, porque eu estou assumir que errei e que preciso de ajuda para perceber o que se esta a passar.
Mais um momentos de silencio.
- Porquê? Porquê? – Perguntou desesperada.
-Eu já te expliquei o que se passa e cabe-te a ti acreditar e perdoar. – Respondi.
Olhei-a nos olhos e vi na sua aura azul baço uma cor a ressurgir. Um vermelho cor de fogo que se expandia e dominava o azul fraco. De um momento para o outro, o azul venceu a guerra e o vermelho foi substituído por uma azul ciano muito forte e reluzente.
-Eu acredito em ti e sim, ajudo-te! – Acabou por responder.
A alegria apoderou-se novamente de mim e voltei a abraça-la, quase a chorar de alegria.

sábado, 9 de Outubro de 2010

De meter medo...

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

Hoje estava a ver umas coisas na net quando me deparo com estes bonecos... São simplesmente de arrepiar, acho que não conseguia ter um destes ainda tinha pesadelos hehehe ;D










Então que acharam?
A autora destes bonecos chama-se Shain Erin e poderão ver todos os seus trabalhos no site dela.

Benditos sejam!

Tudo sobre a continuação de Hush Hush

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

Estava dando uma vista de olhos no nosso chat e fiquei com a impressão que há um pouco de dúvidas sobre a continuação do livro "Hush Hush", de Becca Fitzpatrick, por isso resolvi fazer um post dedicado a isso para vos tentar esclarecer o melhor que conseguir! Já contactei a Porto Editora e estou à espera da resposta, para que as informações sejam o mais fidedignas possíveis e sem erros. Mal saiba de algo dir-vos-ei.

Benditos sejam!

Fanfic: Forgiven - 25º Capitulo

- Zoey! Estás bem?
- Como é que sabias? – estalei logo a Erik no corredor
- O quê?
- Do Heath! Disseste que vinha aí um novo miúdo e que era mais uma razão para nós podermos acabar. O Chad não é de certeza, mas o Heath só teve a Marca hoje, por isso, como é que sabias?
Ele retesou-se e pensou um bocado – Simplesmente sabia que ele vinha – Mordeu o lábio e olhou o meu olhar irado – A Afrodite viu esta cena toda, do Heath, tu, a Neferet e o outro humano. Na visão dela a Neferet tinha mais força e acabava contigo logo, mas pelos vistos ela ainda estava fraca… Por isso ainda estás aqui
- Isso não explica como é que sabias que o Heath ia ser Marcado
- Já te disse que simplesmente sabia! E a Afrodite disse que bem… como tu… credo custa tanto dizê-lo
- Que eu ia morrer
- Sim… isso… como tu ias desta para melhor Nyx ia recompensar o Heath por se sujeitar a isto para te proteger
- É uma das desculpas mais esfarrapadas que já ouvi mas está bem… - Senti-me irritada de novo
- Eh, lá! Não que te queres acalmar não?
- Desculpa – fiz parar a tempestade de neve e vento que se criara à nossa volta. Erik sacudiu uns flocos do cabelo perfeito e olhou para mim
- Ouve, não te stresses mais com isto. Vê o lado positivo: já não pode haver impressão entre vocês, pelo menos enquanto forem os dois iniciados
- Ajuda-me e diz-me mais vantagens que eu não as vejo
- Relaxa! Olha eu levo o teu padrasto a casa, o Heath pode ficar no quarto do Jack, ele está sozinho, e tu vai tomar um duche quente e come qualquer coisa, estás branca.
- Não tenho fome
- Zoey, não é um pedido
- Não tenho fome
Senti os joelhos cederem e caí em cima de Erik que me agarrou
- Que é que se passa?
- Um toque na zona posterior dos joelhos , com a perna esticada, e eles cedem
- Que queres dizer?
-Que se continuas a resistir eu levo te ao colo para a tua casa de banho e tranco-te lá até tomares o teu segundo banho hoje. E já agora onde estava o teu guarda costas quando precisaste?
- Ali… - Olhei para o gato estendido no chão, imóvel – ele está…
- Não… Está sedado… A Neferet sabe mais do que deve…
- Pois… Ele vai ficar bem?
- Sim… Vá, eu peço às Gémeas para acamparem no teu quarto enquanto não fizeres o que te digo
- Pronto está bem, mas achas que me podes largar, sei lá, para poder andar?
Ele riu-se… Eu pus-me de novo em cima de mim e comecei a andar, desajeitadamente (tinha formigueiros pelas pernas todas!) até ao gato. “Acorda” Sussurrei, pondo a minha mão no seu peito; o gato desatou a correr e depois apareceu Loren com uma cara ensonada
- Desculpa, eu não estava lá, desculpa
- Já está tudo bem!
- Pois, já está tudo bem… - repetiu Erik
- Levas o traste agora?
- Como queira Sacerdotisa
- Tu também não! – ele levantou as mãos como se rendesse. Revirei os olhos - Pronto eu vou ver do Heath. Loren vem comigo
- Z! – Erik voltou para trás e abraçou-me – Tem cuidado
- Não vá, sei lá, Saturno cair-me em cima, nunca se sabe… - ironizei
- A sério, tem cuidado
- Vou ter. Vamos – Eu e Loren seguimos em silêncio para a enfermaria enquanto Erik ia buscar as chaves do seu carro
- Que queres que faça?
- Que carregues um futebolista para o quarto que será dele
- Huh… Parece complicado, ou não. Venha ele
- Zoey! – Heath levantou-se da maca onde estava sentado com a enfermeira a desinfectar-lhe a cicatriz e veio na minha direcção a abraçar-me – Ainda bem que estás bem, Anda, tens de ver dessa queimadura. Não parece nada bem, está com pior aspecto
Olhei para o meu braço, Heath tinha razão, o braço já não estava todo tapado, devo ter feito força a mais e rasguei um bocadinho da pele nova
- Venha cá – chamou-me outra enfermeira. Segui até outra maca enquanto obrigava Heath a voltar para a sua. Sentei-me e a enfermeira começou a desinfectar-me, fazendo-me gemer de ardor quando começou.
Assim que fiquei pronta estavam todos à minha espera. – Estás bem Z?
- Sim, obrigada – sorri para todos
- Vamos lá, temos ordens expressas para te obrigarmos a tomar duche e a comer
- Pois – resmunguei – Heath acho que podes ficar no quarto do Jacky, ele está sozinho
- Mas…
- Nada, Heath ele tem namorado, não te vai querer comer! Baixa a testosterona se faz favor!
- Okay…
- Pronto, este dia foi difícil, ainda temos de marcar a reunião do conselho, montes de coisas para planear mas vemos isso amanhã, agora vamos todos aproveitar o último dia de férias
- Mas antes… - começou Erin
- Quarto! – ordenou Shaunee
- Eu vou, eu vou… Heath o Damien e o Jack levam-te à Lenóbia, ela saberá o que fazer por causa do teu horário e isso tudo
- Z! – chamaram as Gémeas já ao fundo do corredor
- Pronto, se quero ficar inteirinha, tipo… com cabeça, tenho de ir
- Até já! Vamos tratar disto de Heath e depois vamos ver do Chad e da Sammy – disse Damien. Os três rapazes seguiram para os estábulos, enquanto eu corria em direcção às gémeas que me seguiram que nem cachorrinhos para o meu quarto e aguardaram enquanto eu fazia por me demorar no banho de água a escaldar.
Passámos o resto da tarde a mostrar a casa da Noite ao Heath e a ver um filme qualquer de comédia sobre os tempos mediavais. Heath tinha implorado para ficar com o mesmo horário que eu, excepto os desportos que tinha, obviamente, futebol e mais outra coisa, pelos vistos resultou. Deitei-me relativamente cedo nesse dia visto que estava super cansada.

sexta-feira, 8 de Outubro de 2010

Fanfic: Desesperada - Capitulo 20

Capitulo 20

Natacha Vamp
A noite tinha surgido mais uma vez, mas ela não era como quando eu tinha sido marcada, estava diferente. Mais fria, escura e silenciosa.
Tinha passado uma semana desde que Zoey afirmara ter visto Nefered, uma mulher que pelo que ouvi dizer era uma boa sumo-sacerdotisa, com cabelos ruivos e olhos verdes musgo mas que foi enfeitiçada por Kalona (um antigo imortal) e que transformava os caloiros que rejeitavam a mudança em vampiros mortos-vivos sugadores de sangue imparáveis. Ouviu-se um estrondo no corredor, estava em pijama mas isso não me impediu de lá ir ver o que se passava.
Não queria acreditar no que estava a ver, era a mulher, a tal de Nefered, ela estava ali no corredor, junto ao meu quarto e da Venús.
-Natacha, andava à tua procura, um passarinho veio-me dizer que conseguias falar com Nyx que tens um dom muito poderoso. Estava à tua espera à espera de alguém forte que conseguisse falar com a Deusa, tenho tanto para lhe contar- a sua voz é harmoniosa e bondosa, mas também parece ser malvada e maquiavélica- tenho tantas saudades dela, afastaram-me dela sem mais nem menos.
-Eu sei toda a verdade, você não é quem diz que é, você é a rainha Tsi-Gili e eu nunca, mas nunca mesmo me vou unir a si.
-Quem te disse esse disparate? São essas as coisas que andaram a inventar sobre mim na minha ausênsia?
-Não são invenções é a verdade. Você é malvada e ninguém o vai negar- algo embateu sobre mim e fez-me cair redonda no chão, no momento exacto Zoey chegou juntamente com Stevie Rae. Stevie rae veio para junto de mim ver se estava bem. A Zoey ficou à nossa frente como se nós estivesse a proteger de um próximo ataque, de repente senti uma nuvem de elementos a minha volta e soube que estavam ali para me proteger.


Zoey Redbird
Como é que ela tinha entrado aqui? Como? Eram muitas perguntas e poucas respostas mas o meu objectivo agora era proteger os que amo e ver-me livre dela e não lamentar-me.
-Elementos venham a mim ajudem-me na luta contra a rainha Tsi-Gili- disse baixo para que mais ninguém ouvisse sem ser eu, os elementos responderam todos como habitual, eles fazem parte de mim. Nas minhas mãos surgiram duas bolas de fogo, de baixo de mim era a água que me protegia dos lados tinha duas árvores gigantes rodeadas de um vento forte e o espírito estava em todo o lado.
-Vento ataca- ordenei. Uma bola de magia negra acertou-me mesmo no peito e quase me derrubou. As minhas árvores gigantes começaram a atacar. Não queria entrar em guerras mas acho que era tarde de mais para pensar nisso. A Natacha, a Stevie Rae, a Erin, A shaunee e o Demien surgiram dos meus lados juntam,ente com Stark (que trazia um arco e varias flechas, será que era o suficiente para nos salvar?)
As gémeas foram as primeiras a atacar, a Erin com ondas fortes e a Shaunee com bolas de fogo. Seguiu-se Stevie Rae com um tornado de terra e areia. Depois Demien, que fez com que as minhas rajadas de vento e o tornado de Stevie Rae ficassem mais fortes. Natacha não sabia o que fazer, via-se pela sua expressão, envie-lhe por pensamento um aviso para que tenta-se pedir ajuda a Nyx (era uma das coisas que fiquei apta a fazer depois de me transformar). Nefered estava caída no chão, mas de repente surgiu Kalona, não sei de onde, não sei como, mas ele estava ali. Tinha medo que Natacha não conseguisse resistir-lhe ela é muito nova para estar nesta batalha.

quinta-feira, 7 de Outubro de 2010

Poema de Paula Rebola

Olá Filhos e Filhas das Trevas!


Trago-vos um novo poema da Paula Rebola. Aqui vai:


Caminhando

Vagueando andava eu
Pela praia à beira mar
Contemplando a lua cheia
Reluzente ela estava.

Distraída estava
Mergulhada em meus pensamentos
Apenas a lua me contemplava.

Parei e deitei-me
Na areia macia e húmida
Contemplando a linda lua que estava.

De repente me levantei
Ao sentir o doce aroma
Muito meu conhecido
De repente ter surgido no ar.

Olhei em redor
Nada vi,
Voltei a caminhar à beira mar.

Mais à frente
Deparei-me com um vulto
Caído na areia estava
Sendo empurrado pelas ondas
E o doce aroma mais forte ficara.

Corri para junto do vulto
Para ver o que era,
Deparei-me com um humano
Ferido estava
Delirando com febre estava
"Monstro" gritou ele.

Recuei um passo
Impossível a mim referir-se
Pois seus olhos mal abria,
E posso garantir
Por ser Vampira
Monstro não sou.

Puxei pelo telemóvel
Para ajuda pedir,
Enquanto ela não chegava
Meu casaco despi
E sobre ele o coloquei.

Sua cabeça em meu coloquei
Esvaindo em sangue estava
Contra meu instinto lutei
Pois monstro não sou.

Por fim, a ajuda chegou
Para o hospital o levaram
E lá dele cuidaram.

Dias depois saiu
Recuperado estava,
Na praia me reencontrou
Mesmo sem saber quem eu era.

A mim agradeceu
Por sua vida salvar,
Antes de lhe virar as costas:
"Monstros não existem
Apenas seres diferentes"
E no meio da noite desapareci.


Que Nyx vos abençoe!

Passatempo Eternidade

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

Trago-vos agora uma notícia que creio que seja uma excelente notícia para todos os fãs da saga d' Os Imortais. Está aberto o "Passatempo Eternidade", para saberem mais deixo-vos aqui o post do site.

Hoje trazemos uma grande surpresa para vocês, o nosso 1ºpassatempo!

Patrocinado pela Editora Gailivro, serão escolhido 3 vencedores. os quais receberão o Livro Eternidade!

No que consistirá?

Simples: Terão apenas de responder a uma simples perguntas:





Porquê é que gostas tanto desta saga?


Regras:

- Mínimo 300 palavras, máximo uma página A4.

- Tipo de letra Times New Roman, tamanho 12, espaçamento normal.


Outras informações:

- Passatempo limitado a território nacional.

- Serão escolhidos 3 vencedores, cada um receberá o livro: Eternidade.

- Os textos deverão ser enviados para osimortaispt@gmail.com até dia 30 de Novembro.

- Caso tenham alguma dúvida, basta contactar-nos para o e-mail em cima mencionado.

 
Avaliação dos Textos:

- Os textos serão avaliados pelo cumprimento das regras, criatividade, bom português utilizado e a sua originalidade.

- A decisão do júri é soberana, não sendo possível de contestação.
 


Parabéns à Inês Quintas!

Olá Filhos e Filhas das Trevas!


Hoje faz anos mais uma fã da nossa saga favorita. A Inês Quintas, de Moura, faz hoje 19 aninhosss!!!


Parabéns à Inês de toda a equipa da Casa da Noite Portugal!


Que Nyx vos abençoe!

terça-feira, 5 de Outubro de 2010

Fanart5: Damien e Jack

Feliz encontro Filhas e Filhos das Trevas!

Aqui fica mais um desenho amoroso do Damien e do Jack. Espero que gostem!

(Autor desconhecido)

Damien e Jack


Que Nyx vos acompanhe!

domingo, 3 de Outubro de 2010

Fanfic: Confused - Capitulo 11

Capítulo 11
-Bem, bem, estás com uma cara Mia – Observou Erin, brincando com um bocadinho de tomate que tinha no prato.
-Há problemas por aí não? – Questionou Shaunne
Suspirei. As gémeas eram bastante intuitivas mas não consigo perceber porquê. Talvez aquilo que observei no corredor me tivesse levado mesmo abaixo. Mas há muitos mais porquês a ecoar na minha cabeça. Como é que aquilo me incomodava tanto? “Aquilo” traduz-se por “Erik”. Eu nem sabia se gostava mesmo dele… Quer dizer, sentia algo por ele mas, não sei se é o que me faço acreditar que é. Quando estou com ele sinto uma atracção inexplicável e parece que “não me controlo”. Quando não estamos juntos… Tenho estes pensamentos. Acho que ele é só uma pessoa, sem qualquer significado.
Coloquei as duas mãos em cima da mesa com a palmas das mãos para baixo.
-Que se passa? – Perguntou Jack colocando as suas mãos em cima dos meus ombros.
Ergui as sobrancelhas e tentei lembrar-me de uma outra coisa para dizer. Melody. Eles tinham que saber. Como é que tenho estado só a pensar em problemas amorosos quando tenho problemas ainda mais importantes para resolver?
- A Melody hoje foi atacada. Eu estava lá perto e fui socorre-la com o Erik
-Porque estava lá o Erik? – Interrompeu-me Zoey
-Talvez porque é o orientador da Mia – Explicou Damien, erguendo as sobrancelhas, absorto.
-Ela foi atacada por, acho que foi um corvo gigante.
As gémeas e o Jack começaram-se a rir e a Zoey e o Damien suprimiam um sorriso.
-Pois, está bem! – Conseguiu dizer Shaunne entre o riso.
-Tem cuidado quando saíres à rua gémea!
-Ai isso é que vou ter!
Não acreditava naquilo. Eles já não tinham provas suficientes de que a magia existia e com ela também criaturas que dantes só viviam na nossa imaginação?
Ou talvez nada tenha mudado, talvez seja eu que esteja a ficar… DOIDA. Sim, estou doida. Eu disse isto? Porque não era isto que eu queria pensar, não consegui controlar. É um pensamento, não se controla.
-Estou bastante cansada e vou indo para o dormitório – Disse antes de lhes virar as costas e me dirigir para o meu quarto. Pelo caminho, fui contra Barbie.
-Vê lá por onde andas animal
Revirei os olhos e tentei contorná-la, mas ela colocou-se à minha frente.
-Tem cuidado com aquilo que fazes. Não quero que me estragues os planos.
-Mas de que é que estás para aí a falar?
Ela semi-cerrou os olhos.
-Estou farta que pessoas como tu me estraguem a vida. Pessoas que dizem ser algo que não são, que nos traem a confiança.
Fiquei surpreendida com o que ela me acabou de dizer e, por segundos, pensei que ela pudesse estar bêbada. Mas não, ela estava bem, sóbria.
-Acho que me estás a confundir com alguém, porque não faço a mínima ideia daquilo que estás para aí a dizer.
-Talvez – Encolheu os ombros.
Nesse momento a luz foi abaixo e vi algo a mexer-se violentamente nas sombras.
-Barbie? – Perguntei mas não obtive resposta.
Senti um calafrio percorrer-me a espinha e os pêlos da nuca a eriçarem. A figura que se apresentava à minha frente parecia debater-se de algo que a agarrava e puxava. Emitia sons como se quisesse gritar mas não conseguisse. Em pânico procurei o interruptor que estava na parede e a luz voltou. Vi Barbie a andar de costas para mim.
-Eih estás bem?
Senti coração a acelerar e tinha medo de que quando ela se vira-se vi-se alguém sem rosto ou assim…
-Foi só uma falha de electricidade – Respondeu olhando para mim com desagrado e seguindo caminho.
Cheguei ao quatro e só quando me deitei na cama é que reparei que estava a tremer. Aquilo tinha-me assustado de morte. A medo, desliguei as luzes e cai num sono profundo.