http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Fanfic: Desesperada - Capitulo 8


8º Capitulo

Natacha Vamp

Ele já estava a demorar demasiado tempo, ou então era eu que já estava a sentir saudades... Fosse o que fosse, estava a começar a ficar preocupada.
- Desculpa ter demorado tanto, mas houve um emprevisto, o Dragão entrou lá de repente e tive de me esconder até ele sair - Ele tinha-me assustado, entrou de rompante no meu quarto todo ofegante...
- Não faz mal, desde que estejas bem e aqui comigo agora, é o que interessa. Trouxeste o sangue, consigo sentir-lhe o cheiro, assim como também consigo ouvir a tua pulsação... - Eu estava num lado do quarto e ele estava no outro e mesmo assim conseguia ouvir-lhe a pulsação e o cheiro a sangue que vinha de dentro do casaco dele. Não sabia como lhe ouvia a pulsação, mas devia ser de ter a audição mais apurada do que quando ainda era completamente humana, no fundo eu ainda era humana mas menos, muito menos. E o cheiro a sangue devia ser de ter o olfato mais apurado...
- Toma, bebe - ele entregou-me as bolsas de sangue, não aguentava mais o ardor na minha garganta, então sem mais nem menos peguei no copo que tinha na casa de banho (o de lavar os dentes) que era o único que lá tinha, despejei uma das bolsas para dentro dele pois era suficientemente grande e bebi, bebi em três segundos. Tinha sido mesmo rápida a beber o copo com sangue, nunca pensei. Despejei a outra bolsa e bebi, novamente muito rápido... e assim até acabar todas as bolsas. Estava tão distraída a beber todo aquele sangue que nem me lembrava que o meu novo namorado ali estava. Quando me virei para o encarar ele olhava-me com uma cara de quem não estava muito à espera daquilo que viu e eu senti-me envergonhada.
- Desculpa – pedi-lhe envergonhada - eu não queria que visses isto.
- Não faz mal, só não estava à espera que fosses tão... tão rápida - conseguiu dizer finalmente.
- Estás com medo de mim? – a última coisa que eu queria era que o meu namorado tivesse medo de mim.
- Sim, mas o medo que tenho é de te perder! - reconheci a frase, era parecida com a que Bella dizia a Edward quando descobria que ele era um vampiro, no filme Crepúsculo.
- Não me vais perder, eu não te vou deixar - e não ia mesmo, eu amava-o...

Na manhã seguinte (a minha manhã eram as seis da tarde) levantei-me e fui tomar o pequeno-almoço, o que iria comer hoje? Torradas ou uma bela tosta mista? Talvez uma tosta, visto que ontem comi torradas. Depois de ter o pequeno-almoço (tosta mista e uma caneca de leite com chocolate) fui para o pé da Zoey e dos amigas. Hoje estávamos dispençados das aulas, visto que era a visita dos pais e tinhamos de arrumar os quartos... adolescentes sem pais para os mandar arrumar os quartos era um desastre.
- Bom dia a todos – cumprimentei-os.
- Olá Natacha, queriamos te convidar para fazeres parte do próximo ritual da lua cheia outravez, o que achas? - perguntou-me Stevie Rae.
- Adorava. Mas ainda falta algum tempo não falta?
- Sim, sim. Estávamos só a perguntar porque temos de começar a preparar o ritual - continou Zoey.
- Se precisarem de ajuda contem comigo – ofereci, eu estava totalmente disponínel tirando o tempo em que passava com o meu namorado.
Naquele instante um gato saltou para o colo de Zoey, era tão fofinho.
- É teu? – perguntei-lhe.
- Mais ou menos, eu sou a Zoey dela, e ela é a Nala - já não estava a perceber nada, mais ou menos? Ou era ou não, e “sou a Zoey dela” mas que raio?! e como ela tinha um gato na escola?! Já tinha visto muitos gatos a passear pela escola mas nunca me questionei porquê - Quando entrei para a casa da noite, a Nala escolheu-me como sua. Deves estar a achar estranho, mas é mesmo assim, em vez de seres tu a escolher os gatos, são eles que te escolhem a ti. - que intersante, será que algum gato algum dia me iria escolher? Espero que sim, adoro animais.
Naquele momento em que estava perdida nos meus pensamentos entrou pela porta do dormitório Dylan, Damien e Jack. Damien e Jack sentaram-se ao pé das gémeas e o Dylan veio cumprimentar-me com um beijo, fez-me sinal para me levantar, eu levantei-me ele sentou-se. “Olha-me este, que descaramento”, E depois fez-me sinal para me sentar ao seu colo “assim já gosto mais”, eu hoje devia estar mesmo de mau humor, estava a reclamar com tudo e todos nos meus pensamentos...
Fiz sinal ao Dylan para vir comigo até ao meu quarto, Venús já tinha saído quando lá chegámos.

1 comentário:

Bia* disse...

Muito bom, continua assim, quero ler mais =)

Beijinho