http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Fanfic: Lost Soul - Capitulo 3


Heath – Capitulo 3

O restaurante Dany’s Cookies estava com pouco pessoal, como de costume. Não é que fosse um mau restaurante. Muito pelo contrário, era óptimo. O problema é que no fundo da rua do Dany’s Cookies havia uma discoteca onde normalmente se faziam comemorações de aniversários de gunas e drogados.
Sim, a rua estava sempre a abarrotar de pessoas bêbedas, fumadoras e drogadas.
Eu estava sentado numa mesa mesmo no meio do restaurante, a brincar com o guardanapo enquanto ela não chegava.
O garçon já tinha vindo á minha mesa perguntar se desejava alguma coisa umas 3 vezes e a minha resposta continuava a ser a mesma: ‘’Estou á espera de uma pessoa’’.
Eu ainda tinha tempo. Na casa da noite, os dias são ao contrário, o que significa que a Zoey chegou e foi dormir. Quando acordar será noite, e aí, eu e a Kayla chegaremos para a salvar.
Enquanto fazia um barquinho com o meu guardanapo, uma mulher tropeçou na minha cadeira e pediu desculpa. Quando me virei para a encarar reparei que os brincos que ela usava eram em forma de meia-lua. Aquela imagem fez-me relembrar de tudo, outra vez. Foi como se me tivessem dado um murro na barriga de tal força que me deixou incapacitado de respirar por segundos.
Voltei a olhar para o barquinho de papel feito com o guardanapo e senti uma lágrima quente cair-me pela face.
- Olá gato. – Ouviu-se uma voz feminina atrás de mim. Dei um pequeno salto na cadeira por causa do susto e limpei a lágrima que acabara de cair. – Porque me chamas-te Heath?
Levantei-me para a cumprimentar, e puxei a cadeira que estava á minha frente para que ela se senta-se.
- Kayla, por amor às bolas de futebol, quase me matas-te de susto!
Ela soltou um risinho e disse: - Desculpa. Mas qual é a urgência?
- Qual é a urgência? A tua melhor amiga foi marcada e tu perguntas isso? – Kayla encolheu os ombros e antes que ela pudesse dizer algum disparate continuei: - Nós vamos salva-la! Vamos tira-la de lá.
Ela arregalou os olhos, como se eu tivesse dito que os saldos da Mango acabaram. – Hum... Heath… A… Não. Não podemos.
Cada vez me enervava mais.
- Não podemos, porquê? Nós vamos conseguir. – Disse eu.
- Vamos conseguir entrar numa escola cheia de monstros sugadores de sangue que adoram adolescentes humanos? – Desta vez ela baixou a voz, para que ninguém ouvisse.
- Não digas isso! A minha namorada esta lá e eu vou fazer de tudo para a salvar! Se para a salvar tenho de me pôr em perigo, é isso que vou fazer.
- Vão desejar alguma coisa? – Ouviu-se a voz do garçon que voltou á nossa mesa.
Eu virei a cara para o lado contrário do garçon para dar a entender que não queria nada, mas a Kayla pediu uma água.
O empregado afastou-se e a Kayla voltou a falar com calma.
- Heath, eu não sei se isso é o melhor a fazer. Agora só temos de deixar a Zoey habituar-se á sua nova vida. E nós temos de fazer o mesmo.
- A Zoey não merece aquela vida! – Voltei a falar alto, pelo que me tentei acalmar e completei o que ia dizer – Eu vou fazer isso. Se quiseres, vens. Senão, vou sozinho.
O garçon voltou com a água e saiu.
- Esquece a Zoey, há mais raparigas á face da terra. Tens de olhar em frente. Hum, bem… Para a frente… - Ela corou, e voltou a soltar um risinho.
Empurrei a minha cadeira para trás, levantei-me e disse: - Kayla, vê se percebes que eu AMO a Zoey! - Deixei dinheiro suficiente em cima da mesa para a Kayla pagar a água e saí do restaurante.
Estava frio cá fora, e ao respirar saíam nuvens de ar que pareciam fumo. Isso fez-me lembrar que para me encorajar precisava de um cigarro.
Esfreguei as mãos, na esperança de as aquecer.
Olhei para o fundo da rua e vi os meus mais recentes amigos fumarem perto da entrada da discoteca.
- Era mesmo disto que estava a precisar. – Disse para mim mesmo.
Acenei-lhes e eles acenaram de volta.
- Eu vou contigo. – Virei-me e vi Kayla atrás de mim.
- Óptimo. Eu vou ali ao Justin buscar um cigarro, vens? – Ela olhou para mim um pouco confusa. – Anda lá, vais precisar de alguma coragem. – Falei e pisquei o olho.
- Ok. Eu vou. – Corou novamente, mas vi-a sorrir para mim.
Anda-mos lado a lado, sem nenhum de nós voltar a falar até ao fundo da rua.
- Hey, Justin! Arranjas-me um charro? – Apontei para o cigarro que ele tinha na mão. – Bem, dois neste caso. A Kayla também quer um.
- Então, Heath, como vai isso? – Disse ele ao passar um cigarro para a Kayla e outro para mim.
- Hum, vai-se andando. – Fiquei meio atrapalhado, não queria que eles soubessem o que eu ia fazer.
Justin tinha-se tornado um grande amigo meu. O melhor, dizendo. Mas eu tinha a certeza que ele não me apoiaria na minha missão-suicida. Não queria que ele pensa-se que eu era um descontrolado.
Ok, eu tenho fumado, bebido, e também me tenho drogado ligeiramente, mas isso não significa completamente que sou descontrolado.
O que um homem pode fazer por amor…
- Meu, vamos agora às cervejas. Hum… Vocês vêem? – Disse Justin, depois de termos terminado os charros.
Eu e a Kayla entreolhamo-nos e afirma-mos com a cabeça. Precisávamos de mais encorajamento.
- Sim, vamos – respondi.
Entra-mos na discoteca e fomos directos às bebidas. Hoje, era um homem bastante musculado que estava a servir ao balcão. Tinha bastantes tatuagens e 2 piercings na cara. Um no nariz e outro no lábio.
Sempre quis pôr um no mamilo, mas a Zoey nunca me deixou.
A Zoey…
- Hey Heath, a Zoey foi marcada, não é? Meu, sinto muito, a sério. – Disse um amigo de Justin. Estive com ele em algumas festas. Se não estou errado, o nome dele é Mark.
Soltei um suspiro e limitei-me a acenar com a cabeça. Justin deu-lhe um pequeno empurrão como se o mandasse estar calado, mas Mark encolheu os ombros e foi dançar, como se o ignorasse.
Justin veio até mim e falou-me ao ouvido: - Meu, és o meu melhor amigo. Se precisares de alguma coisa… Qualquer coisa, diz-me. Não deve ser nada fácil perder uma pessoa importante.
- Pois não Justin, não é. – Disse eu.
Ele afastou-se, foi para a pista de dança e juntou-se aos outros.
Olhei ao meu redor e procurei visualmente Kayla.
Vi-a totalmente descontraída. Dançava no meio da pista como se aquele fosse um dia normal.
Como ela podia estar assim depois do que se tinha passado com a melhor amiga?
Tirei o telemóvel do bolso e olhei para o relógio digital. Eram quase 3horas da manhã. O que significa que a Zoey estava acordada.
Desloquei-me até ao sítio onde a Kayla dançava e pegei-lhe no braço.
Ela agarrou-se a mim, como se quisesse transar naquele momento. Soltei-me dos braços dela e falei super irritado: - Vamos Kayla! Comporta-te.
- Já queres ir? – Ela ainda tinha aquele sorriso maroto na cara, mas no fundo eu conseguia ver preocupação.
- Sim. Já. – Respondi eu, já a ferver.
- Hum, ok.
Eu e a Kayla despedimo-nos do pessoal e saímos da discoteca.
Enquanto passávamos pelo segurança que estava na saída respirei fundo várias vezes, na tentativa de me preparar.
- É agora. – Disse eu.



A Eliana enviou-nos uma foto para termos a ideia de com,o seria o Justin, amigo do Heath:



Que Nyx vos abençoe!

1 comentário:

Anónimo disse...

É PRECISO DIZER QUE AMAEI O CAPITULO?
murri _'o
é lindo