http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Fanfic: Confused - Capitulo 7

Capítulo VII

Enquanto aquela neblina escura nos rodeava, comecei a não ter a certeza daquilo que via. Erik agarrou-me a mão e guiou-me. Fê-lo de uma forma tão confiante que me questionei se os vampes adultos conseguiriam ver melhor do que os iniciados. Provavelmente sim. Mas eu também tinha algo a meu favor. Conseguia ver uma aura azul marinho no meio da neblina.
Quando nos aproximamos, aconteceu tudo muito rápido. Um corvo gigante com cara de homem fitou-me, emitiu um ruído agudo e levantou voo. Simultaneamente, a rapariga caiu redonda no chão, respirando com dificuldade. A aura dela ficou de um negro impenetrável.
Corri para junto dela e virei-a de frente. Eu própria deixei-me abater quando vi aqueles cabelos negros que lhe rodeavam a cara encharcados de um líquido pegajoso.
-Melody – Sussurrei. Como não obtive resposta. Agitei-a e gritei – Melody!
Erik juntou-se a mim e colocou o dedo no seu pulso.
Enquanto Erik a examinava, tentei ouvir a minha intuição, para saber o que raio se estava a passar.
Aquilo tinha sido no mínimo misterioso e assustador. Mas porque é que estava ela desmaiada? Por que é que tinha sido atacada por um corvo com cabeça de homem? Um corvo com cabeça de homem?! Mas, isso era impossível!
Fechei os olhos com brusquidão e tentei reorganizar as ideias. Talvez fosse isto. Aquilo para o qual Nyx nos queria avisar. Era este o mal que necessitaria da afinidade de Erik para ser derrotado. Mas que mal era este afinal?
Voltei a abrir os olhos e observei Melody. Ela… estava a sangrar. O líquido pegajoso era… Sangue.
-Olha – Disse Erik – O corvo gigante atingiu-a na cara.
Quando virou a cara inconsciente de Melody para mim, senti um calafrio percorrer-me a espinha. Melody, aquela cara sem nenhuma imperfeição, agora tinha um grande golpe que ia desde a bochecha direita até ao queixo.
Era daí que vinha o sangue.
- Devíamos chamar ajuda. – Disse nervosa.
Mas Erik nada fez. Fitava-a com os olhos muito abertos e tentava controlar a respiração acelerada. Ele era um vampe adulto, já tinha… Sede de sangue.
-Erik não… Erik – Tentei dizer para o acalmar. Coloquei as minhas mãos nos seus ombros mas ele ignorou-as. Aproximava-se cada vez mais de Melody e a sua cara exprimia uma expressão faminta.
Isto estava a ficar feio, muito feio.
Peguei no telemóvel que tinha no bolso e marquei o primeiro número que me veio à cabeça.
-Estou?
- Estou Damien. – Disse, feliz por ouvir a sua voz. – Sou eu, a Mia.
-Oh linda, o que se passa? – perguntou, de uma forma muito alegre, provavelmente por me ter lembrado dele.
-Nada bom. Vem rápido cá fora, preciso de ajuda. – Disse, tentando controlar a voz o máximo que conseguia.
Quando desliguei o telemóvel e virei a cara, já Erik estava debruçado sobre Melody, pronto para provar o sangue de alguém novo.
Quis gritar, berrar, bater nele mas não conseguia. Estava a ver o lado mais negro de Erik, aquele que também me iria assolar caso passar pela mudança e me transformar numa vampira adulta.
Algo estava errado. Não era o Erik que tinha o dom que nos ia salvar de um mal que Nyx muito temia? Então porque é que se estava a comportar assim? Até compreenderia se fosse sangue humano, fresco a escorrer da fonte, mas não. Era apenas o sangue de um iniciado. Sangue esse que ele teria que saber lidar e que não tinha um efeito igual ao sangue humano. Ainda por cima, agora era um professor, e não interessava se fosse de substituição ou não, provavelmente iria presenciar miúdos a morrer sufocados no próprio sangue. Nesses momentos teria de os acalmar e não limpar-lhes o sangue com a língua.
Estremeci.
Esse iniciado poderia ser qualquer um.
Poderia ser eu.

2 comentários:

Sara disse...

Comentem please!!!

Bjs

BiiGuerra disse...

Wow +.+
tá fantástico, como sempre! :D
escreves mesmo muito bem ^^