http://i1295.photobucket.com/albums/b634/Katleyy/letras-Coacutepia3_zpscc96821c.png

Fanfic: Crossover - 10º Capitulo


Décimo Capítulo

Versão da Kate

Ainda sentia ligeiramente o sabor dos lábios de Nick sobre os seus, apesar de já se terem passado algumas horas do seu desaparecimento. Típico dele, escapar ao que não quer aceitar como certo.
O mais irritante de tudo é que eu me preocupava demais com ele, por mais que já tivesse enfiado na cabeça que não valia a pena tentar demovê-lo contra a sua ideia absurda. A família tinha-lhe virado as costas, ninguém se importava minimamente com ele e até se conseguissem matavam-no quando o encontrassem. Não há vampyros bons, segundo aqueles caçadores compulsivos.
Tentei mostrar-lhe isso, mas a sua teimosia torna-o completamente cego, tão cego que até me dava vontade de lhe mostrar a realidade. Era assim tão complicado compreender que a sua vida de humano tinha acabado?
Já eram várias as horas que ela tinha perdido de sono, não apenas por este problema dele. Sentia de um certo modo como o seu corpo quisesse mudar finalmente, completando a sua transformação, mas havia algo que não a permitia. O que seria? Toda esta preocupação? Ou simplesmente era alguma confusão que atrapalhava por completo a sua cabeça.
A verdade é que permanecia deitada desde que reparou que ele a tinha deixado, sem que sequer se levantasse para ingerir qualquer coisa. O que importava isso se não tinha mesmo vontade de o fazer?
Um ligeiro ruído chamou-a à atenção, mas não me movera. Fechei os meus olhos e continuei com a minha respiração leve, até que a sua mão tocou na minha face e agarrei-lhe o pulso, virando-me rapidamente e sorrindo intimamente, enquanto tentava permanecer séria.
- O que estás aqui a fazer? – Perguntei-lhe, olhando-o nos olhos.
Suspirou e permaneceu calado, pelo que parecia tinha acabado de estragar as suas intenções. Ficamos em silêncio, não iam ser mais umas horas que mudariam estes dois dias de total ausência. Poderia estar preocupada com ele mas mesmo assim permanecia ligeiramente chateada. Eu não era nenhuma criança, não podia deixar-me assim, fugir do que é demasiado real não é do meu feitio. Por isso teria de aguentar esta noite aqui comigo até que finalmente as coisas acabassem, de uma forma ou de outra.
- Acredito que já te perguntei o que aqui fazes… - Disse, após um longo silêncio, com uma tentativa de escapar da minha mão, mas sem muito sucesso. Eu sabia bem o que queria.
- Queres mesmo ir por aí? – Perguntou-me sem olhar directamente para os meus olhos, tentando escapar de um certo modo ao que ele mesmo sabia que acabaria por acontecer caso me olhasse.
- É a única forma de saber o que raio anda pela tua cabeça.
- Vim despedir-me. – Começou ele por dizer. – Brevemente seguirei o meu caminho e não poderás estar comigo.
- E quem disse que eu queria estar no teu caminho. Já foi bem claro que eu sou um erro para ti. – Respondi áspera, estava lá importada com o que ele achava importante. Não conseguia ver o que era real.
- Não digas isso… - Comentou rapidamente, observando-me nos olhos, segurando-me o queixo e tocando levemente nos meus lábios.
- Pensas que é assim que tens o que queres? – Continuei eu, com o mesmo tom anterior, o que lhe provocou espanto. Tanto me faz…
- Não, não penso.
- Então? O que vieste cá fazer? – Não iria deixar que ele pudesse voltar-me novamente as costas, por mais que me magoasse, eu tinha de fazer algo. – Tenho de ser eu a decidir o que realmente vai acontecer hoje. Pois muito bem, assim seja!
- Como?
- Sim, ouviste-me. – Ergui-me, sem que largasse sequer o seu pulso. – Ou consegues entender de uma vez por todas tudo o que te tenho dito durante estes anos, ou terei que tomar medidas mais drásticas.
- Medidas mais drásticas? – Perguntava surpreendido.
- Caso saias desta porta, não voltarás mais. E não é por fazeres a idiota tentativa de vingar a família que te quer morto. – Fiz uma leve pausa para ganhar coragem para o que diria de seguida. – Não vou permitir que te magoes, nem que por isso te tenha de matar.



Penúltimo Capitulo

Sem comentários: